Seja bem vindo! Eu sou Ana Paz, (Anita). Sou nordestina,professora do curso de pedagogia na Universidade de Brasília. Não nasci numa aldeia, mas meus parentes por parte de mãe, contavam histórias de uma ancestral índia, pega a laço, da etnia potyguara, porque alguns deles foram da Paraíba, para o interior do Ceará.
Mas me sinto índia porque sou brasileira e corre nas minhas veias o sangue dos guerreiros, porque amo e respeito a natureza e tenho a terra como minha Mãe. Porque sei ler no livro da natureza, olho a hora pela sombra das árvores e ouço as histórias que voam no vento. Porque acho que todo o conhecimento humano deve ser respeitado. Porque amo meus irmãos índios, negros, amarelos e brancos, mas penso que os índios é que são capazes de reconhecer o valor sagrado da Mãe Terra e sabem cuidar do planeta para as novas gerações.
Vamos fazer desta caminhada uma busca por novos conhecimentos e informações sobre saúde como direito. E você ? Fale um pouco da sua história, do seu nome, da sua etnia, dos seus sonhos, da sua aldeia, da sua idade, do trabalho que faz na sua comunidade….O que você espera dessa nossa troca de idéias sobre saúde?

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

26 COMENTÁRIOS

  1. LIAN

    Eu sou Tânia Silva,a pelido Lian tenho 25 anos moro na comunidade Brejo dos Padres etnia Pankararu,nasce e cresce aqui meus pais também cresceram e vivem até hoje na aldeia,no estado de Pernambuco.Porém saí para fazer o curso de enfermagem na capital,onde fui adotada afetivamente por duas pessoas não india que amo muito o srº Valdemar e dona Fátima,me ajudaram na pior fase de minha(eu sofri um assidente de carro e perdi a memoria e eles passaram a ser minha nova família).Hoje sou líder do grupo jovem Renascer aqui de Pankararu luto a mas de seis anos com esse grupo embusca de oportunidades para os mesmos.”Meu maior sonho é conseguir encaminhar esses jovens para o bem e o desenvolvimento pessoal de cada um,abrir portas que futuramente ou até mesmo no presente os traga benefícios e realizações quanto pessoas.”
    Tento mostra que em cima de sua cultura podem desenvolver o seu lugar,sua alto estíma,trasformando nossos saberes em soluçoes pois nossa ciencia é muito rica.O arco digital na minha vida foi algo que me fez ver que a união entre povos é possível,pois aqui existe um repasse de experiências e conhecimentos,sou colaboradora do arco e sei o desenpenho de cada um para transformar o arco em um meio “de comunicações e desenvolvimento etníco,mostrando que podemos crescer e se desenvolver em cima de nossa cultura ,cresças, saberes e mitos que o nosso meio é a solução de nossos problemas basta cuidarmos e valorizarmos mas.Nossa troca de ideias sobre saúde por exemplo é muito enformativa conheci ervas medicinas e fiz o repasse o hoje pessoas se tratam com essas ervas e estam melhores hoje, seu poder de cura e benefício que elas pode nos propocionar.O mas gostoso de tudo é aforma que elas são repassadas entre vários indigenas de etnias de ferentes,mas acreditam que a união entre povos é a solução de tudo,pois lutam por mesmo ideal.
    Bem! Essa sou eu Lian filha de Pankararu,alguem que acredita no seu povo,na sua cultura e encantos!!!!!!!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here