Não sei por onde começar, a sensação que estou sentindo neste exato momento é pior que o de incapacidade, ou melhor, não consigo encontrar nenhum adjetivo que venha exprimir ou qualificar o que estou experimentando nestes últimos 06 meses, enfim, o que todos nós Tupinambás, Pataxós, Pataxó Hã Hã Hãe, Tenharim, Guarani-Kaiowá, Tumbalalá e todas às Nações Originárias deste território hoje, chamado de Brasil, vivenciamos.  Um governo (entendemos como governo: O Poder Executivo, Legislativo e Judiciário) omisso e impotente diante do caos instalado por sua mera culpa, quando por interesses políticos descumpre suas próprias Leis, e que mediante às situações conflituosas somente usa o poder de polícia, nas entrelinhas o abuso de poder – O Exército, Força Nacional, Polícia Federal e Polícia Militar, de encontro aos mais fracos e oprimidos, assim foi em 1500, quando os invasores pisaram pela primeira vez em nosso território sagrado invadindo-o e continua ao longo desses 513 anos, e que nos últimos anos acirrou-se consideravelmente, a ponto de ferir a CF/1988, quando por medidas tentam tornar sem efeito os artigos que garantem nossos direitos, em nome das alianças partidárias, que não passa de um jogo sujo articulado por seres humanos asquerosos.

Há muito temos dito, que ainda vivemos em Estado de Guerra, que nós indígenas somos prisioneiros e vivemos em Campus de Concentração, e grande parte da sociedade brasileira em letargia,acabam colaborando com aqueles que agem contra nós os grandes latifúndios: Agonegócio, Mineradoras, Setor Imobiliário, Empreendimento Turístico, Multinacionais fabricantes de Agrotóxicos, Bancada Ruralista, Fazendeiros travestidos de Pequenos Agricultores e parte do Povo Brasileiro Ignorante, que só tem servido de massa de manobra dos gananciosos, ambiciosos e prepotentes, metidos a espertos. O Ser Humano que age dessa forma, não deveria morrer nunca, teria que ser autosuficiente para burlar a própria morte.

Queremos dizer a Sociedade Brasileira, que nós Tupinambás de Olivença, não estamos usurpando, a nossa história é verdadeira, só queremos o que é nosso por direito e não estamos nos fazendo de coitadinhos e nem precisamos usar de motivos torpes, não me surpreenderá se algum dia a polícia descobrir que a onda de violência instalada em nosso território, chegando a morte do Agricultor, não seja, uma jogada maquiavélica muito bem arquitetada. O Estado Brasileiro, tem um histórico pseudo, não confiável, sempre pautado nas medidas pérfidas, muitos dos nossos foram vitimados, e não indígenas também, todos sabem disso quando desejam por fim em alguém, seja ceifando a vida, ou desmoralizando-o para que sua voz nunca mais seja ouvida e os objetivos sejam alcançados principalmente, o Direito de propriedade que se impõe sobre as coisas e sobre os outros.

Até quando seremos hostilizados, desqualificados e descaracterizados por parte do Povo  Brasileiro em prol do jogo de interesses daqueles que só tem promovido a destruição de Vidas deste Planeta?

Porque o Povo se deixa ser massa de manobra para beneficiar aqueles que nunca estiveram preocupados com o bem comum de todos, que só tem servido para fomentar a miséria e a fome que assola todos os Continentes? Agora deixaram de fazer gratuitamente, se vendem como se vendeu o jovem, que acabou ceifando a vida de um profissional da Imprensa, lamentável…tudo por dinheiro.

DEMARCAÇÃO JÁ! Devolvam o que é nosso, precisamos viver…, ao invés de enviar tropas do Exército, e todo esse aparato de Força que se encontra em nosso território, Excelentíssima Presidenta e Ministro da Justiça, assinem e indenizem a quem de direito nos devolvendo a Terra dos nossos antepassados!

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here