Somos uma comunidade que desde 1936, viemos sofrendo abusos com os maus tratos do governo. Primeiro tomaram todo o nosso território de onde tirávamos o sustento e a cura de poucas doenças que apareciam na época. Depois delimitaram um pequeno pedaço de terra de 54,100 mil hectares dizendo eles, que pertencia ao povo Pataxó Hãhãhãe… Depois o tempo foi passando e o órgão que deveria dar proteção aos índios acabou negociando as nossas terras a troco de migalhas que foi o SPI (Sistema de Proteção ao Índio). A inocência do nosso povo e também a simplicidade na época se tornou alvo fácil para os homens brancos ambiciosos destruí-los… Depois, os poucos índios que restaram tiveram de sobreviver em um pedaço de terra de aproximadamente 40 tarefas. Uma boa parte dos índios foram mortos assassinados e outros conseguiram sobreviver vindo agir com mais força no ano de 1982 quando ouve a primeira retomada de terra.

Depois de 1982, passou a existir uma ação no Supremo Tribunal Federal para julgar uma terra que já tinha sido demarcado no ano de 1936. Mais uma vez uma forma estratégica dos três poder do Brasil se safa da culpa. Até hoje nada foi julgado, pois o atual relator Ministro Nelson Jobim não tem dado muito a mínima para o nosso sofrimento, nós Pataxó, cansados de esperar resolvemos fazer retomada já conseguimos retomar aproximadamente 14 mil hectare para 54,100 falta muito. Tínhamos uma esperança que era o presidente da República. Até o momento não tivemos nenhum apoio do mesmo. Só nos resta agora a proteção de Deus porque a justiça aqui da terra só existe para quem dá mais, como nós índios não temos dinheiro para fazer com que a justiça nos julgue honestamente então viemos sofrendo, nesse país manda quem tem mais dinheiro.

Temos a certeza que nós Pataxó Hãhãhãe não vamos desistir de lutar pelos nossos direitos, lutaremos até a morte, mesmo que morremos não desistiremos de lutar.
A terra nos pertence e precisamos cuida bem dela. Para os fazendeiros o que vale mais é o dinheiro e para nós o que vale é a terra e a vida é dela que tiramos o nosso sustento e a nossa cura. É com ela que nos unimos para ter uma vida mais saudável, é preservando a natureza para servir a futuras gerações. Se todos pensássemos assim saberíamos que é mais importante fazer com que a terra sirva aos índios do que sirva ao gado e se torne uma terra individual. Que a terra seja distribuída de forma que der para atender a todos. Nós índios formos obrigado a ceder o Brasil todo, e agora que lutamo pelo um pequeno pedaço de terra ainda tem branco que querem nos tirar. Aqui na nossa região onde existe pistoleiro de fazendeiro está como um filme de Bang bang eles querem acabar com o restinho do nosso povo. Mais não vão conseguir estamos mais preparados para lutar.

Fabio Titia. Guerreiro Pataxó Hãhãhãe e Baenã.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Oi, amigo e companheiro de luta, FT
    Exelente registrar a história!!!
    Para os estudantes e pesquisadores, nada melhor do que “beber da fonte”,
    Para os companheiros de luta, ler a história viva é força para continuar na caminhada!
    Que o Grito Pataxó seja ouvido e seja força para os q desanimam no caminho!

    Estou com vcs!
    Um grande abraço, meu irmão!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here