Que ironia da Justiça e da mídia, pois milhares de indígenas já foram exterminados desde a invasão do Brasil até hoje e nada foi feito. Os genocidas ainda estão impune, as terras indígenas são invadidas por fazendeiros, latifundiários, garimpeiros, arrozeiros, canaviais etc…nessa questão a mídia não dá ênfase, agora basta os indígenas dá um susto no engenheiro da Eletrobrás para eles divulgarem em todos os telejornais.
Ressalto que não estou aqui para fazer apologia a violência qualquer que seja ela, sou contra essa atitude. Mas acho legitimo os parentes indígenas defenderes seus direitos, como venhamos lutando por direitos esses constitucionais.
Para isso a Justiça foi rápida, pois a Polícia Federal já abriu inquérito, nesta quarta-feira, para apurar o que ocorreu nesse evento em Altamira (PA), com o engenheiro Paulo Rezende, onde ele teve um pequeno ferimento no braço, na terça-feira num evento realizado em Altamira (PA), sobre a construção da Hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu.
Ai pergunto: Onde está os assassinos que covardemente tirou a vida de Galdino? Onde está os assassinos das lideranças mortas, quando defendiam suas terras? Pois essas são perguntas que não tem respostas a nossa Justiça.
E agora a Justiça quer imagens de tv para prender nossos parentes, que a justiça seja feita, mais não para poucos, e sim para todos. Porque o maior presídio é Brasília, onde está a maioria dos ladrões e criminosos de todas espécies.
A Justiça Federal ordenou a retomada de estudos de impacto ambiental da usina de Belo Monte, que haviam sido suspensos, pois estas questões de interesse dos povos indígenas eles vetam, mais não vão nos calar, pois se tivermos que aguar a terra com o nosso sangue, aguaremos porque daí a nossa semente vai brotar, nossas raízes vão ficar.
Querem fazer o que fizeram com nos Pankararu, tomaram nossas terras para fazer a Barragem de Itaparica, onde nossas terras eram mais de 14.000 Hectares, hoje convivemos em 8.000 Hectares. Até para passarmos na Barragem temos dificuldades, porque se não esquecermos nossa identificação (Documento), temos que passar por fora da Barragem.
Agora o governo quer fazer a mesma coisa com a criação da Barragem de Belo Monte no Rio do Xingu, onde vai inundar 1.200 quilômetros quadrados.

Edcarlos (Carlinhos) Pankararu

www.acaopankararu.blogspot.com

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. Parente, essa sua indignação, é sofrida por todos nós indígenas. Fazem cinco séculos, que foi deflagrada uma guerra contra nós Povos Autóctones, habitantes originários desse imenso território, que eles denominam Américas. Desde, quando despontaram no horizonte caravelas vinda do chamado “Velho Mundo”, trazendo em seus bojos, homens ditos “civilizados”, em busca de novas descobertas, ou explorarem novos mundos, assim eles denominam essa ação, e consigo traziam “paus de fogo” (armas mortais, com poder de ceifar milhôes de vidas), micróbios letais (doenças trazidas por eles), e uma cultura inacessível para os Povos Originários. Estima-se, que em todo o território do “Novo Mundo”, assim denominado por eles, morreram mais de 70.000.000 (setenta milhões de pessoas), somente, aqui no Brasil, estima-se, mais de 14.000.000 (quatorze milhões, e ainda até hoje, essa guerra perdura. No caso do nosso teritório, que eles denominaram de Brasil, até hoje, vivemos em estado de guerra, somos confinados, nas chamadas Reservas Indígenas, ou TI. Promoveram, e continuam promovendo o maior genocídio, que esse planeta tem conhecimento, praticam o etnocídio, roubaram, tomaram, espoliaram, destruíram, e ainda continuam, e nada se faz para parar com isso. Ao contrário, de vítimas, passamos a vilões. Praticam a maior violência, que possa existir contra o SER HUMANO, a liberdade, e o Direito à VIDA. Não respeitam até hoje, nossa cultura e tradição, ainda não perceberam, que somos diferentes, e que não somos marionetes, que são séculos de resistência, apesar de sofrer tudo, que sofremos, continuamos na luta pela VIDA. Que, jamais verão o último indígena se curvar diante dos seus olhos.
    Essa GUERRA, deu-se início com os portugueses, e continuou com os herdeiros dessa maldita “civilização”, que hoje, se auto denominam, brasileiros, mas, que na verdade se comportam como pseudos-europeus, e possuem uma mentalidade colonialista.
    Esta semana, assistí pela TV, um repórter tecer um comentário sobre os Estados Unidos, devido a reportagem, que saiu no “THE NEW YORK TIMES”, sobre a Amazônia. Onde, ele chamou os norte-americanos de hipócritas, que não havia tamanha hipocrisia, como essa dos Estados Unidos, ao falar sobre a Amazônia, sendo que, eles possuem o maior arsenal atômico capaz de destruir tres planetas como o nosso. Dai eu pergunto, existe maior hipocrisia, que essa do povo brasileiro, em relação aos verdadeiros donos desse território, por não reconhecerem nossos direitos, nossa cultura e tradição, e em pleno século XXI, ainda continuam mantendo-nos prisioneiros de guerra, exigindo-nos, que sejamos aculturados a qualquer custo, reduzindo nosso habitat natural em nome de um progresso, que está, também, pondo fim na existência da VIDA na TERRA?
    Existe, hipocrisia maior, que se dizer “civilizado”, e não reconhecer, que somos humanos, e não “índios”, como nos chamam?
    Também, sou contra, qualquer tipo de violência, acredito que nada justifica, tal ato, mas, pergunto, qundo matam um de nós, porque a mídia não se desdobra tanto, para mostrar à sua sociedade, o que têm feito conosco, ao longo desses cinco séculos? E, ainda vem um repórter nos chamar de “incivilizados”, pergunto a esse mesmo repòrter, se fosse a casa dele, que estivesse prestes a ficar no fundo de um lago, qual seria a reação dele como humano, e sabendo, que estaria sendo violado o seu bem mais sagrado. Também, pergunto, o que ele diz da siciedade dele, que matam pessoas por motivos torpes, a cada milésimos de segundo, contado no horário deles?
    Sabe, estou enojada disso tudo, queria não ouvir e nem enxergar, para não ter que presenciar tamanha ignorância. Nós, que somos os primitivos, os bárbaros, os selvagens, será, que somos mesmo???
    Somos nós, que mostramos atos de VIOLÊNCIAS, às nossas crianças, através da Televisão? Capaz, de torcer o aparelho, e sair só sangue…!

  2. Concordo plenamente com seu texto Ed , também sou contra toda e qualquer violência , ainda mais em um caso como este , onde a pessoa ficou sem poder se defender e humilhado perante a familia e exposto a risos em todos os jornais do Brasil e exterior. Porém devemos convir que este mesmo caso ocorreu a 19 anos atrás , com o debate sobre mesma usina, então chamada na época de Kararaô , onde o atual Presidente da Eletrobrás , conforme foto do texto , também sofreu um susto , pelas mãos da india Tuira , porem , sem violência física. . Levando-se em conta este episódio , e a indole guerreira Kaiapó , porque o mesmo , não foi pessoalmente discursar sobre o impacto da instalação da usina de Belo Monte , ou não orientou o Engº Paulo Rezende , sofre os problemas que poderia enfrentar , uma vez que já passou por isso? Acredito que ao invés dos jornais darem tanta enfase ao caso , deveriam se preocupar em questionar , quem estava treinando indios e arrozeiros com táticas de guerrilha , bombas e etc ,para impedir a demarcação em área contínua da reserva Raposo Serra do Sol em Roraima. Infelizmente assistimos uma inversão de valores no país , onde o errado quer ser certo , e o certo é obrigado a engolir a seco certas barbáridades. O Engº Paulo Rezende na minha opinião foi um inocente útil nesta luta , infelizmente !!!

  3. É muito comum os indigenas não suportarem mais uma situacao terrivel e injusta e descobrir que a unica forma de resolve-la e tomando um funcionario de refem e convocar as autoridades para resolver o conflito….. Isso acontece muito e pouco é mostrado… Agora aconteceu em SAO PAULO e a MIDIA, esta armando a NOTICIA para reforçar a IMAGEM DE QUE O INDIO É O MAU….
    Espero que cada vez sejam mais as pessoas que nao engolem essa MIDIA SAFADA e SACANA….E despertem seus olhares!!!

    Valeu a todos pelos comentarios!!!

  4. Parente, é hora de mostrarmos que não somos só fortes, mas que nossa inteligência nossas tradições e cultura se sobrepõe a tudo isso que esta na midia, infelizmente se estamos rodeados por uma sociedade capitalista corrupta e racista temos que ter cuidado, por outro lado eu que trabalho com turismo vejo que isso pode ajudar em muito nossa nação, vide “indios americanos em Las vegas”, já faço esse trabalho no Amazonas e estou trabalhando nesse projeto aqui em São Paulo com o Dimas Pankararu é um trabalho “delicado” e não é tão facil mas é importante saber os caminhos.
    Meu nome é Josafat Mura e me coloco a disposição para fazer palestras sobre turismo e ajudar a transparecer a verdadeira face da nossa nação.
    joamazon@hotmail.com

  5. Concordo plenamente com vc! Estão fazendo o maior drama por isso. Mas quando se trata de um indígena sofrer violência fazem tudo para esconder.Foram inúmeros os crimes cometidos contra os povos indígenas.
    Uma coisa que me deixa indignado tb é esta monstruosa comemoração sobre a Imigração japonesa, ao invés de eles ficarem dando tanta atenção pra uma gente que nunca fez nada pelo nosso país, pq naum dão atenção as questões indígenas e outros problemas do país?
    Pq ao invés de comemorar a chegada do invasor, comemorar a resistência e sobrevivência dos nossos povos?
    Pq pra eles são meses d ecomemoração e divulgação na mídia, e para nossos povos é apenas 1 dia e mal lembrado?

  6. Queridos parentes, concordo com vcs, a violência não leva a lugar nenhum, mas qundo se trata de defender o que é nosso temos que fazer alguma coisa e a “reação é de acordo com a ação”. Venho acompanhando pelos telejornais as noticias e fica parecendo que as vitimas desses conflitos é o homem branco, e fico a me perguntar que século estou vivendo? percebo que infelizmente a mentalidade do povo brasileiro não está acompanhando a passagem dos séculos, os discurssos continuam os mesmos dos séculos passado infelizmente ainda temos que ouvir a palavra “incivilizado” quando querem se dirigir aos povos indígenas e isso me deixa indgnada, e mais uuma vez pergunto, quem é o “incivilizado” dessa terra chamada Brasil? eu mesma posso responder, o homem branco, que dinte das suas ambiçoes e sede de lucro e riqueza continua a derramar no solo sangue inocente do nosso povo.
    Não podemos ficar calado, dinate de tanta injustiça, vamos continuar mostrando que somos superior, na dignidade, coragem, força,cultura,amor, união e na inteligência.
    Estamos há mais de 500 anos superando as dores da colonização da nossa terra,não podemos mais deixar que nos tomes o que ainda nos resta. Vamos continuar lutando se assim for preciso, pelos os nossos antepassado e pelos nossos vilhos.

  7. Meu parente,muito boa sua colocação…eles esqueceram,que nós indigenas já residiam neste país,e que os nossos ancestrais sofreram,muitos foram mortos,não lutamos, como o homem branco,e sim lutamos com a força da mãe natureza, porem o que aconteceu em ALTAMIRA (PA),tenho eu, como um ato de revolta,e não como agresão,mas um meio de se defender.O homem branco não tem o direito de agredir a natureza,nem deve ser medido com o dinheiro do homem branco,ela é a nossa força,nossa ciencia é dela que nos vem a sabedoria,para as nossas pinturas arquitetadas,que imclusive o homem branco nos presentou chamando de folclore, e a sociedade,dia a pós dia,vem querendo usurpar.
    PARENTES VAMOS COM FORÇA NESSA LUTA,POR SE A NATUREZA SE CALAR O FUTURO TAMBEM SE CALARAR…..

  8. Nós da ANDAIÁ,Assoc.de Desenvolvimento e Intercãmbio Cul-tural Indígena da Região de Araxá M.G.,somos solidários
    com os parentes no que se refere a luta dos povos indíge-
    nas no Brasil.Somos descendentes do povo Catú-AWA-Arachás
    do tronco tupí,povo que foi praticamente dizimado,disper-
    sado,aculturado e miscigenado ao longo de dois séculos.De
    uma população de mais ou menos treis mil pessoas,somos hoje em torno de Trezentos descendentes dos Remanescentes
    do bravo e Altivo povo Arachás, que por mais de cento e
    vinte anos defenderam com amor e garra o sagrado planalto
    dos Arachás,contra o invasor europeu.
    Luta inglória pois ,além dos paus de fogo, espadas e pol-
    vóra não contavam com a maldade, astúcia e engodo daque- les homens maus,cujo objetivo era conquistar todas as terras,riquezas e escravizar seus habitantes.
    Que a história do meu povo sirva de reflexão para todos
    Parentes indígenas do Brasil.

    Cacique-Carcará-Urú/Arachás

  9. Sou de Abaeté,cidade do centro-oeste de Minas Gerais, cujo nome, segundo contam algumas pessoas,é devido aos índios Abaetês que habitavam a região.Não há provas convincentes da existência deste povo na região,porque talvez tenham sido dizimados como tantos outros, pois não existe nehuma referência a este povo quando falam dos povos indígenas de Minas Gerais.Há referência somente às tribos Caxixó( na região entre a cidade de Martinho Campos e Pompéu) e Catú-awa-arachá ( na cidade de Araxá).Diante do acima mencionado gostaria de manifestar o meu apoio aos povos indígenas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here