O 3º Seminário de Diversidade Cultural, terá diversos especialistas na área da cultura, para debater as diversidades culturais do pais e do mundo. Onde terá dois momentos, os painéis interculturais, onde esperam que os convidados apresentem e problematizem experiências de trabalho em pesquisas, produção artística e circulação de informações e as mesas redondas, com temáticas pre-definidas para a exploração conceitual, política e conjuntural.
O Seminário acontecerá nos dias 19 e 20 de julho de 2008, em Belo Horizonte – MG, e a representação da REDE INDIOS ON-LINE, será no segundo dia e será realizada pelo seu coordenador Alexandre Pankararu.

Que nessa oportunidade, contará a historia do INDIOS ON-LINE, os povos participantes da Rede, as dificuldades e avanços encontrados durante esses quatro anos da implementação do Índios On-Line, falara também os benefícios que a Rede trouxe para os povos Indígenas, os cursos a distancia que os Índios On-Line proporcionou, a situação que a Rede se encontra hoje e também os objetivos futuros.
E para todos terem mais compreensão sobre esse Seminário, segue abaixo a programação final:

PROGRAMAÇÃO FINAL
3º SEMINARIO DIVERSIDADE CULTURAL

DIA 19 de junho
horário Atividade
19h00 às 20:30 h
Expositores Mediador
Abertura e Painel intercultural:
O Rap e o Repente: Brasil, Alemanha e Estados Unidos Ulrike Schröder UFMG
EMENTA:
As características narrativas e estilísticas dos raps brasileiro e alemão. A reterritorialização da cultura Hip Hop que circula globalmente mas se rearticula em contextos locais em dependência com o respectivo pano de fundo histórico-cultural.
Bráulio Tavares escritor e compositor PB/RJ
EMENTA:
O repente nordestino e o Rap americano, proximidades e singularidades. Américo Córdula MINC
20h30min às 20h45 Intervalo
20h45 às 22h30min Mesa redonda I:
Políticas Públicas para a diversidade cultural Lia Calabre – Casa de Rui Barbosa/MINC RJ
EMENTA:
A necessidade da criação de um Sistema Nacional de Informações culturais que forneça um suporte para as políticas a serem elaboradas e desenvolvidas. A elaboração de políticas culturais para o campo da diversidade a partir de duas questões: a do conhecimento da realidade e a da proteção.
Albino Rubin – UFBa
EMENTA:
O debate e a aprovação da Convenção sobre a Proteção e Promoção da Diversidade das Expressões Culturais da UNESCO recolocou em cena o tema das políticas culturais, que no cenário anterior de predomínio neoliberal estava visivelmente retraído. O atual desafio de inventar políticas para a diversidade cultural comporta diversas exigências. Dentre elas podem ser citadas: a necessidade de revalorizar o papel ativo do estado, sem as tentações de intervenções autoritárias ou de atitudes pretensamente neutras, porque inscritas em um complicado relativismo cultural; a complexa da pluralidade de atores culturais e a necessidade da invenção em um mundo que parece ter perdido a capacidade de imaginar.
Oriol Freixa – Interarts/Espanha
Os primeiros resultados da implementação na UE da Convenção da Unesco para a Diversidade Cultural e a pioneira e inovadora estratégia “Cultura e Desenvolvimento” dentro das políticas de cooperação ao desenvolvimento do Governo da Espanha, onde os aspectos da proteção e diversidade cultural são elementos integradores da mesma. Henilton Menezes
Banco do Nordeste

DIA 20 de junho
horário Atividade Expositores Mediador
14h00 às 16h00 Mesa redonda II:
Da diversidade da gestão à gestão da diversidade
Maria Helena Cunha e Marcela Bertelli DUO MG
os processos formativos podem ser espaços privilegiados de experiência humana e de fortalecimento das práticas que envolvem a noção de diversidade cultural. As novas concepções de ensino/estudo à distância e as práticas formativas aliadas a processos mais amplos de articulação, gestão e cooperação.
Enrique Saraiva -FGV Rio
EMENTA: A gestão da cultura e a cultura da gestão: a dimensão cultural dos modelos de gestão da cultura. Apontamentos críticos sobre a padronização e modelização da gestão da cultura e sua relação de afirmação ou negação da diversidade cultural.
José Márcio Barros (ODC e PUC Minas)
EMENTA A diversidade cultural sua extensão e complexidade: discussão conceitual sobre a extensão política e institucional do trabalho de promoção e proteção da diversidade cultural, especialmente no que se refere à formação e a prática de gestores culturais; Jurema Machado
UNESCO

16h30min às 18h30 Painel intercultural
Web e mídias móveis: encontros e desencontros com a diversidade Clarah Averbuck – escritora RJ
EMENTA: A vida como matéria-prima, a diferença entre diário/autobiografia e ficção baseada em fatos, o blog como ferramenta de divulgação e não estilo literário (literatura de blog não existe), a diversidade do conteúdo dos blogs.

Alex Pankararu – indiosonline.org.br Pe
EMENTA:
Rede índios On-Line, sua historia, os povos indígenas participantes, as diversas linguagens; cursos que já promovemos a distancia dentro de nosso site, os avanços e dificuldades que tivemos ao longo da existência da rede, contar as propriedades técnicas de nossos site, e o que a rede mudou em nosso cotidiano e o que ela significa pra nós.
Delani Lima – realizador MG
EMENTA:
Mídias Expansivas e a Reinvenção do Cotidiano. A pesquisa e experimentação com câmeras de vigilância, mini-dv, webcam, micro-câmera, dispositivos de celular, scanners, programação visual,imagens de arquivo e códigos open source, entre outros mecanismos de captação ou de reinvenção audiovisual. O registro caseiro como produto consumido em grande escala por públicos diversos e sem perfis preestabelecidos. Carlos Falci – PUC Minas
19h00min às 21h00 Mesa redonda III:
Trânsitos Intermediáticos e diversidade cultural
Sergio Bairon – PUC SP
EMENTA:
Reticularidade cultural – A relação entre o método antropológico audiovisual e a linguagem hipermidiática, como fundamento aos estudos sobre diversidade cultural. Apresentação da pesquisa Coroação de Reis Congo que engloba o Brasil, a Argentina, o Uruguai, Cabo Verde e Cuba.
Tailze Melo e Renata Alencar – GP Cultura, Comunicação e Cidade PUC Minas MG
EMENTA:
Em que medida os dispositivos móveis de comunicação se apresentam como ferramentas para uma antropologia visual na contemporaneidade? Como a construção de narrativas midiáticas por parte do cidadão comum reconfigura as noções de memória, cidade e diversidade cultural? A partir dessas inquietações, pretende-se promover uma reflexão preliminar, buscando uma abordagem dos regimes de visibilidade que prime pelo pensamento com a imagem, em detrimento da lógica de pensar sobre a imagem.
Geanne Alzamora – GP Comunicação e redes hipermediáticas PUC Minas MG
Ementa:
Como se caracterizam os processos de mediação cultural em contextos intermidiáticos marcados por lógicas comunicacionais dissonantes e complementares? De que modo o imbricamento dessas lógicas interfere nas mediações culturais em curso? A noção de mediação cultural será aqui abordada sob as perspectivas dos formatos, das linguagens e das mediações sociotecnicas, cuja natureza reticular, fragmentada e dispersa, típica da blogosfera e das redes sociais, se expande pela rede intermídia contemporânea. A discussão será observada em experimentos intermidiáticos como Fiz Tv (www.fiztv.com.br) e Pitchfort.tv (www.pitchfork.tv).
Julio Pinto – PUC Minas
21:00 h Coquetel de lançamento do livro Diversidade Cultural da proteção à promoção

Alex Pankararu
alex@indiosonline.org.br
www.indiosonline.org.br

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here