Ela conheceu o Projeto Saberes da Terra, através do companheiro de trabalho, Nilton Gomes, coordenador de Educação no Campo, da Secretaria de Educação Estadual de Pernambuco.
Conta ela que à principio, participou de algumas reuniões, juntamente com demais companheiros e companheiras de outros movimentos sociais como MST, FETAPE, CPT, Quilombolas e Escola Base.
O movimento social que estamos representando em quanto indígenas e COEP-Central de Organização das Escolas Pankararu. “Achei que a proposta do Projeto tinha tudo haver com a realidade dos Povos Indígenas e que poderíamos fazer uma Educação para jovens e adultos, com nosso jeito especifico de ser, dentro de nossa cultura, mais se tratando de um projeto, de valorização e qualificação profissional e social”, falou Elisa.
Os professores foram avaliados um a um, através de uma seleção. Apesar de algumas dificuldades estamos conduzindo 2 (duas) turmas, com um total de 65 alunos indígenas Pankararus.
“Outro fator importante nesse Projeto foi à articulação dos movimentos sociais enquanto protagonistas na busca de uma Escolarização com qualificação social”, dise ela.

Geovan Miguel da silva
E-mail:aratykumpank@yahoo.com.br

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Parabesn Eliza, Parabens Aratykum,
    Gostaria um dia poder ler, uma reportagem em profundidade a Eliza e acredito que a trajetoria e a visao dela poderá muito orientar e enriquecer outros parentes professores indigenas!
    Valeu

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here