O toré é dança ao ar livre, tendo a participação de homens, mulheres e crianças em qualquer época do ano, o local do tóre pode ser em qualquer terreiro, e em qualquer lugar.
O MENINO DO RANCHO e uma das principais manifestações do povo Pankararu, é uma cerimônia que tem lugar previamente indicado para este fim, onde o menino, padrinhos e madrinhas pintados de branco, correm, dançam juntamente com os praias, numa disputa de dois grupos, um formado pelos protetores encantados (os Praias) e outro pelos padrinhos. Trava-se uma luta que termina com a vitória de um dos grupos e a destruição do rancho. No final com a dança do toré o menino é entregue aos seus pais, com muita alegria de todos.
A outra manifestação do povo Pankararu, é o Flechamento do Imbu, que é realizada sempre no mês de Dezembro, quando aparecem os primeiros frutos dos imbuzeiros, o primeiro imbu maduro é trazido ao dono do terreiro do poente, e preso em um fio entre duas forquilhas. Com isso os indios pintados de branco e os praias, armados de arco e flechas tentam um a um flechar o imbu maduro, aquele que conseguir flechar recebe um resistente cipó, e convida os outros indios Pankararu que se encontram no terreiro, para a prova da puxada do cipó. São formados dois grupos, um fica do lado da onde nasce o sol e o outro fica do lado da onde o sol se põe, e quem vencer define o ano se vai ser bom ou se vai ser ruim, para os indios Pankararu.

A Corrida do Imbu ocorre entre os meses de fevereiro e março, a corrida do imbu acontece quando as índias Pankararu trazem da mata, sextos cheios de imbu, e os ofertam aos indios Pankararu, com os quais formaram pares para dançar. Os indios com o corpo pintado de branco, tentam durante o tóre protege-las dos golpes de cansanção, que é uma planta que quando encosta-se ao corpo da uma coceira terrível, e os indios que estão dançando toré tentam passar uns nos outros, e isso acontece três domingos seguidos. E no quarto domingo ninguém se queima com o cansanção, e após o toré todo mundo sobe para a serrinha e ver a saída do Mestre Guia, que é o mestre de todos os praias.

Vagno Barros de Souza
baxinhopankararu@yahoo.com.br

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Faço parte dessa tradição…..e só quero deixar bem claro aqui, que ísso tudo é muito mágico, é único, é especial, é maravilhosoo….

  2. Olá esta de parabéns os redatores dessa matéria,muito bom mesmo.A nossa cultura sim deve ser mostrada como realmente ela é,pois devemos resgatar nossas raizes mais velhas e aprender coisas que hoje nos não comseguimos dar conta.
    Parabéns!

    Bisneto da índia mais velha do Brasil,é da Aldeia Pankararu.
    Maria Cota.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here