Aqui estamos sofrendo bastante na Região das Alegrias, estamos pedindo
ajuda a ongs que ajude a nossa nação. No Domingo dia 05/02/06 os
pistoleiro fizeram um tiroteio atingindo um índio. Na região das Retomadas está ocorrendo tiroteios todos os dias. O que queremos é justiça e paz. O fazendeiro já matou muito dos nossos, e vem matando muito ate hoje, os que restam dos nossos antepassados eles querem matar.
Pedimos às entidades que nos ajude a preservar os poucos 3200 índios do nosso povo Pataxó Hãhãhãe que ainda existem. Com a ação do juiz Dr. Pedro Rolidey de Ilhéus que vem dando a Liminares favoráveis aos fazendeiros. Por causa dessa ação nossa comunidade resolveu fazer está retomada. Estamos aqui conseguindo tomar o que é nosso que foi perdido, a terra que estão no poder dos fazendeiros, a retomada foi constituída também para pressionar o Governo Federal para julgar o Processo da nossa terra que está no Supremo Tribunal Federal a mais de 24 anos. É lamentável saber que existem as leis, mas a justiça não as, cumpri para favorecer alguns fazendeiros. Pelo que esta escrito na Constituição temos o direto a nossa terra, pois nós somos os verdadeiros donos da mãe terra. Por causa da justiça estamos perdendo muitas vidas. Nós estamos esperando pela justiça para entrarmos em uma negociação. De que forma? Queremos que o Juiz suspenda a Reintegração de Posse das terras que estão sendo dadas aos
fazendeiros. O juiz não tem competência para julgar esta questão, porque já passou para outra estância, mas nós vamos nos manter em nossa terra, caso o juiz não garanta o acordo com nós, estamos prontos para fazer outras retomadas. Nós sabemos que estamos numa região muito perigosa, mas a nossa luta é marcada por perigos, mas temos fé em Tupã que vamos conseguir passar por todas essas barreiras, mais uma vez se o juiz não respeitar a nossa retomada estamos decididos a destruir uma das torres, pois é uma das empresas privadas que passa dentro do nosso território indígena. Fazemos isso para chamar a atenção das autoridades competentes, sabemos também que vai causar muitos prejuízos mais a nossa luta está com 24 anos no Supremo Tribunal Federal que nunca dá uma decisão definitiva.
Temos certeza que alguma coisa vai resolver de bom ou ruim, mas a nossa
decisão é negociar. Nós queremos que o governo negocie, porque 24 anos é
lamentável, pois é uma vergonha conhecida mundialmente. A nossa história
Pataxó Hãhãhãe é de sofrimento, e eles fingem que não vêem. A nossa
terra é bem documentada o que prova o nosso direito, ela não é documentada
para os fazendeiros, mas sim para os Pataxó Hãhãhãe. Mas o juiz vem dando
reintegração de posse aos fazendeiros descumprindo a Lei Brasileira, infelizmente o Juiz Federal de Ilhéus está fazendo o mesmo que o Supremo Tribunal Federal. O Governo Federal faz de conta que não está acontecendo nada. Estamos cansados de esperar por essa justiça lenta, estamos aqui na Reserva das Alegrias localizada no município de Itajú do Colônia com 500 índios. Se nossa retomada complicar vamos buscar outros índios de outras tribos criando uma ação maior. Já pedimos a intervenção dos Direitos Humanos porque nós estamos sendo massacrados constantemente por pistoleiros que todos os dias ameaçam, fazendo tiroteios. Vejam um dos fatos que estão ocorrendo na nossa região: na madrugada de segunda-feira – 06/02/06 – para terça-feira – 07/02/06- foi um pesadelo gerando uma cena de guerra, crianças não conseguiram dormir, mulheres desesperadas correndo pelos matos para sobreviver, idosos com hipertensão passaram mal. Na madrugada anterior – de 06/02/2006 – ocorreram também conflitos na mesma região, os pistoleiros vieram mais uma vez nos massacrar: dando tiros em mulheres, crianças, idosos. Alguns fugiram a meia noite para o mato com suas crianças no colo desesperadas. Esses mafiosos estavam possuindo drogas porque sabemos através de informações observadas através de óculos de alcance. O tiroteio começa pelos pistoleiros a partir das 19 horas da noite, terminado às 4 horas da manhã. No dia seguinte quando fomos levar um índio doente para um hospital da cidade de Itajú do Colônia, um carro cheio de pistoleiros deram vários disparos de tiro em direção à índia e ao motorista, no caminho aos 15 minutos começou o tiroteio maior, para podermos sair com vidas foi preciso que aumentássemos a velocidade do carro para nos livrar da morte.
O coordenador da Polícia Federal (Santos) foi ao local onde os pistoleiros
estão acampados, mas eles acabaram negando tudo. Quando a polícia esteve
no local pela primeira disseram que eles eram vaqueiros. Quando pedimos para a Polícia Militar da Cidade Itajú do Colônia para nos trazer de volta para a Região da Alegrias, disseram que não tinham condições,
e não podiam colocar suas vidas em risco, então tivemos que passar a noite na cidade, mas ficamos bastante preocupados porque um dos nossos parentes foi nos encontrar e acabou caindo na emboscada, caso acontecesse alguma coisa com um dos nossos, no outro dia ia rolar sangue, porque já perdemos muitas lideranças em que a policia federal não foi nem buscar o corpo, tivemos que trazer na rede. A Polícia Federal não iam porque estava com medo. Mas para retirar o nosso povo da nossa terra faz seu sinal de guerra. O Estado vem com seu helicóptero, e vários policiais federais armados como se fosse um lugar de terrorista, isto é uma vergonha para uma República que se diz democrática. Nós nunca desrespeitamos a justiça, o local em que estamos ocupando é uma área tradicional que está escrito na lei. O que sabemos é que Justiça é para cumprir lei, a Câmara e o Senado fazem as leis e a Justiça deve cumprir a lei. Até hoje o Supremo Tribunal Federal demonstra que a terra é nossa, se não fosse nossa o Supremo Tribunal Federal já tinha julgado 24 anos. Uma estância maior tem toda competência para julgar essa questão,
infelizmente Ministro Nelson Jobim que não quer julgar a nossa terra. Tivemos com ele a 3 anos atrás, ele nos garantiu que a área que nós cupássemos não saíssemos, e também nós não podia quebrar o protocolo,mas acabaram nos retirando de 5 fazenda propriedade nossa, fazemos essa ação basicamente nisto.
O que nós queremos hoje é que o nosso povo cresça tanto demograficamente
como em população não queremos perder mais vidas, pelas pesquisas feitas no Brasil morre mais índio no mundo, como é o caso dos Guaranis que estão
morrendo várias crianças pro falta do apoio do governo. Alguma sociedade
nos chama de preguiçoso sabendo eles, que os português nos protocolaram
com isso, que o índio não tinha rei, lei e nem fé, acabaram atropelando uma cultura diferente, hoje é uma vergonha o nosso pais, pois no dia 17 de
fevereiro 2006,a Polícia Militarvem nos retirar da nossa terra, esta policia não tem competência, pois a mesma é mandada pelos fazendeiros que tem uma critica com nosso povo há muito anos, quando nos vem retiar é batendo em criança, mulheres gestante perdem os seus filhos, com isto tudo queremos a policia federal que venha, pois ela não vem assim nos
maltratando.
Pedimos para aqueles que conhece o nosso sofrimento que nos
ajude nesta causa, e que façam campanha para que a Polícia Militar não venha maltratar o nosso povo. Pois o que só esperamos dessa gente é só morte.

Texto escrito por Yonana Pataxó com base em conversa com o cacique
Akanawan Pataxó,e a liderança Doniakim .

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here