A repercussão do Fórum desenvolvido por Indígenas Universitários do Projeto Pindorama PUC/SP vem dando resultados, pois os alunos não-índio da Universidade ficaram admirados por saber que se tem um Projeto dentro da Universidade mantido pelos próprios indígenas.
O FORUM RETOMADA INDÍGENA – Encruzilhada e conflitos, desenvolvidos pelos próprios alunos indígenas de várias etnias vem se destacando por ser um projeto pioneiro dentro da PUC/SP.
Os alunos universitários deram inicio com esse Fórum nesta ultima 4ª feira (24/09/08), foi um sucesso, uma vez que muitos não-índios ainda não se sabiam ou não quiseram enxergar que tinham indígenas dentro da universidade.
Para que os não-índios esqueça desses povos que se tem dentro da universidade, fórum vai continuar até o dia 03/10/08 onde a partir de segunda feira serão apresentado vários documentários (Cine-indígena)sobre os Povos Indígenas do Brasil inclusive os que moram na cidade, pois temos que quebrar o estereotipo de que “Indígenas que saem de suas aldeias para viver nas grandes cidades deixam de ser Índios”, pois muitas vezes não temos alternativas, porque somos muitas vezes obrigados a sair.
Foi lançado oficialmente o site do Projeto Pindorama: www.projetopindorama.com.br desenvolvido pelos próprios alunos indígenas formado pelo próprio projeto em Mídias e Tecnologia.
Depois passamos um vídeo que fala sobre um dos troncos Guarani que é o Marçal de Souza, parente nosso esse que foi brutamente assassinado por pistoleiros a sangue frio, mostramos a nossa indignação perante esse caso, pois já faz mais de 25 anos que ainda não se acharam culpados pelo caso.
Sem falar que esse é mais um de vários assassinatos indígenas que já ocorreram e que vem ocorrendo cada vez mais às perseguições de nossas lideranças, como também o Xicão Xucuru.
Mais eles estão enganados se pensam que vamos ficar calados, pois se nossos parentes deu suas vidas por nós, porque não continuar a lutar sempre para honrá-los por sua força e coragem.

O interessante é que a Mesa foi formada por nós indígenas e pessoas que convivem fielmente com a questão indígena, e não por ser apenas pessoas em interesses de nos estudar como se fossemos objeto de estudos.
Por exemplo o Sr Benedito Prezia (Pastoral Indigenista/SP) está conosco desde a formação e implantação deste projeto pindorama; a Drª Michael Nolan (Advogada Criminalista) que acompanhou desde o dia que Marçal foi assassinado e até hoje vem procurando Justiça para os familiares de Marçal; o Profº Rinaldo Arruda (PUC/SP) que vem mostrar para a sociedade a conjuntura indígena atual; e Rejane Silva (Pankararu estudante de Direito PUC/SP – Projeto Pindorama), fala sobre a visão dos não-índios em relação aos indígenas que moram na cidade e freqüentam as universidades; o Pedro Macena (Guarani do Jaraguá falou sobre os impasses da demarcação de sua aldeia que fica no meio da cidade de São Paulo.
Embora vemos que o problema não é indígenas na cidades, mais sim também as cidades que vêem tomando de conta das terras indígenas, mesmo os Guarani´s tendo uma de suas terras demarcadas a cidade vem cada vez mais apertando suas terras.

Edcarlos (Carlinhos) – Pankararu
edpankararu@yahoo.com.br

“Eu sou uma pessoa marcada para morrer. Mas por uma causa justa a gente Morre!”
Marçal da Silva – Guarani

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Olá Ed Carlos e alunos da Usp
    recebam meus parabéns por essa iniciativa de realização do Fórum, é uma prova de que os saberes indígenas são importantes e do quanto podem ser ricas as trocas com os universitários não-indígenas, já está passando da hora de erradicarmos esse preconceito que divide, desqualifica e invisibiliza a presença dos estudantes indígenas nas universidades e faculdades do país. Tenho certezade que essas trocas poderão revitalizar as instituições pois vocês são detentores de saberes tradicionais e espirituais que a humanidade não pode esquecer, especialmente quanto ao respeito à natureza e a todos os seres.Que esta seja a primeira de muitas realizações, que vocês possam criar espaços de pesquisa, cursos de extensão,grupos de estudo,espaços de divulgação da arte e da literatura,oportunizando o conhecimento da cultura indígena para a sociedade não -índigena e valorizando o respeito que os povos indígenas merecem. Meu abraço a todos, e vamos em frente, que a luta é grande e a causa justa

  2. Olá Ed adorei muito o evento de vocês realizado na PUC/SP, eu fiquei bastante admirado pelo potencial de vocês do Projeto Pindorama, nunca tinha visto algo parecido aqui nesta Universidade. Muitas vezes era os acadêmicos que falavam e organizavam tudo, mais desta vez o projeto de vocês foram bastante osado e quebraram o protocolo, vocês organizaram tudo e falaram do geito de vocês.
    Fiquei super surpreso com tudo isso, espero que vocês organizem varios outros, porque a nossa sociedade precisa enxegar mais os povos indigenas.
    Parabéns e muito obrigado por me indicar esse site indios on line, aqui eu apreendi bastante sobre o seu povo suas matérias e dos seus outros parentes indigenas.
    Boa sorte muito legal o site, e vê se aparece mais na faculdade para bater-mos um papo tenho muito a perguntar sobre os Pankararu.

  3. Parabéns Ed e todos os companheiros universitários indígenas ou não , que ousaram em criar este projeto e levar em frente este evento sem dúvida muito esclarecedor e fundamental para quebrar barreiras , preconceitos , e abrir as portas do saber para quem quizer aprender um pouco mais sobre a diversidade de povos indígenas , realidades diferentes , direitos , organização e movimento indígena !!! Parabéns a PUC/SP também por mais esta abertura !!!

  4. Eu odiei muiito sériio essa Porra Pkee esta merda nao oferece nada do que eu quero meu amoor .
    Olha só vocees tem que botar mais coisas nesse site Porra nao tem nada nesta porcariia desse site chato !
    tEM QUE BOTAR :sociedade,redes de relações,cotidiano e etc ….

    Se liga hein isso é para nao denunciar tá ok ?!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here