Reflexões

Hoje, nós queremos ensinar ao ‘branco’

Hoje, nós queremos ensinar ao ‘branco’ a AMAR A NATUREZA, proteger o ambiente, conversar com os animais, não extinguir espécies, tirar da natureza só aquilo que precisa; como também a AMAR A SUA FAMÍLIA, respeitar os idosos e as crianças, viver com todos como irmãos. Eu tenho sentido os ‘brancosÂ’ com muito interesse em aprender esta harmonia.

Em uma sociedade indígena cada pessoa da comunidade tem uma função, desde o cacique e os conselheiros até o pescador, o caçador, o farejador, o ceramista. Mesmo o fabricador de arco, que não necessariamente é o melhor atirador, como nem sempre o melhor coletor de ervas do mato é quem necessariamente melhor sabe fazer os remédios… Assim cada um tem uma função. Ao contrário do modelo social capitalista, onde poucos têm função e os pobres são desprezados. Para nós uma criança que sobe muito bem nas árvores tem um doutorado naquela atividade e cada atividade do povo é importante. Quando se perde alguém que não repassou para outro sua sabedoria é uma grande perda para toda a comunidade. Só se é índio em grupo. Todos juntos formam este corpo que é o Grande Índio. Quando falta alguém é como a falta de um órgão para o corpo, um corpo sem uma mão é um corpo incompleto. Hoje, na sociedade de vocês, não existe corpo, existem várias cabeças. São muitas siglas, secretarias, ministérios, associações… Mas se todos honrassem sua função cumprindo a lei, o Brasil seria um país altamente desenvolvido. E este problema não é só nacional, é global.

Hoje se fala de desenvolvimento, mas parece que se refere só à matéria, esquecendo o social, o cultural, o ambiental e o espiritual; os políticos e os cientistas só enxergam o ponto de vista econômico e tecnológico. Desenvolvimento mesmo só existe quando é completo; quando deixa de ser uma luta pela sobrevivência, como a nossa, e passa a ser um viver em verdade, harmonia e alegria

Para vocês, “primitivo” é atrasado; para nós, quanto mais primitivo for o conhecimento mais avançado ele é. Por exemplo, se nós vivemos 5.000 anos é porque tínhamos uma sabedoria tradicional modelo, vivemos sem ter fome, sem ter pobres, sem ter injustiça, sem violência… Hoje existem guerras onde morrem crianças. Nós tínhamos lutas que tinham um critério. Hoje se busca extinguir uma raça, comprometendo o futuro, Nós não obrigávamos a outra cultura a crer num outro Deus.Nhenety Kariri-Xocó.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here