O que é ser índio?

41 383


Reflexão
O que é ser índio?

Muita gente pensa que ser índio é ser apenas uma pessoa normal pelo fato de se vestir e de se alimentar da mesma forma que o não índio.
Por esse motivo quero chamar sua atenção.
Imagine o Brasil há 500 anos atrás ou até mesmo sua cidade á 50 anos atrás.
Você notará que houve transformações não é mesmo?
Ou o carro de 50 anos atrás será o mesmo modelo?Certamente que não,pois então?
O ser humano evolui na medida que os anos vão passando e a partir de sua evolução vão transformando seu espaço.Da mesma forma nós índios somos:seres humanos e evoluímos,não somos incapazes como é a concepção de muitos.
Na verdade nós índios de todo o Brasil com características ou não,pois muitos de nós perdemos nossa características e muitos costumes.Mas apesar de toda mistura temos o que nos diferencia que é nossa identidade que é a valorização de nossa cultura e a pratica de costumes que ainda não morreu e que buscamos preservar.
Nós índios de todo o Brasil principalmente do nordeste vivemos constantemente com o preconceito pelo fato de termos evoluídos e adquiridos novas culturas.
Mas pense comigo:como é que o ser humano vive isolado não tem contato com outros povos a não ser o seu próprio povo e de repente passa a ter contato com muita gente com diversidades culturais.Ele irá absorver ou não a cultura dos demais povos?o que você acha?
Certamente sua resposta será sim,pois foi o que aconteceu com os povos indígenas e ainda acontece pois vivemos em um mundo que está em mudança constantemente e isso em todos os aspectos.
Alguns povos indígenas,vivem em aldeia na mata vivendo da caça e da pesca praticando seus rituais e andando nus,etc.
Esse não é o nosso caso índios do nordeste, vivemos em casas de tijolos,usamos roupas de tecidos nos alimentamos de uma diversidade de comidas trazidas por vários povos.
Hoje nós ouvimos perguntas que não convém responder como:
-Por que vocês não anda mais nus?
-Por que não vive mais da pesca e da caça?
Enfim diversas…
Por isso que defino que ser índio nos dias atuais é pura resistência.

Suyane
Aldeia Mata da Cafurna(Xucuru-kariri)

41 comentários

  1. Achei muito importante por que indio não è sò quer ser indio,
    Os indigina também não quer perde asua cultura.

  2. POXA VIDA COMO SER ÍNDIO É MUITO INTERESSANTE… NUNCA ACHEI Q ESSA VIDA É TAUM INTERESSANTE E AGRADEÇO POR ESSE SITE EXISTIR…QUERO DEIXAR UM GRANDE ABRAÇO AOS MEUS IRMAUNS ÍNDIOS Q ME AJUDARAM A REDIGIR UM TRABALHO ESCOLAR E ABRIR A MENTE DOS BRANCOS IGNORANTES Q NAUM ENTENDEM NADA DE CULTURA….

  3. eu estou fazendo uma feira de cultura e estou muito orgulhosa de ter a honra de falar sobre vocês,e queria saber mais como vocês viviam antigamente e vivem agora,oque mudou,por quer vocês não vivem mais de pesca de que vocês vivem hoje.ficaria muito feliz se vocês podesem respomder para mim,obrigado pela atêmcão beijos.

  4. Sw: Sua materia é muito boa! Ela traz luz para nós. Acho que voce se propus ser educativa e pedagogica, falou para nos com proximidade e coraçao..fez agente acompanhar sua visao..PARABENS.
    Sebas

  5. Achei muito interessante, este esclarecimento, principalmente porque identidade não se perde, como muitos relatam em questão ao índio, mas sim, se recria, como a de todo ser humano. Parabéns pela matéria. Antonio Lopes.

  6. Eu fco abismada com tamanha ignorância do povo brasileiro em pensar que um indio não tem direito de mudança, de pensar que vcsindios devem viver da mesma maneira de anos atrás!!! Por issu venho através desse testo redijido por vcs parabenizar pela resistência que vsc teêm em mostrar as pessoas q todo mundo muda i pq vcs não??? Por isso lutem para mostrar sim q vcs evoluiram i mostrem pra eles q ser indio nos dias de hoje é pura resistência!!!

  7. desejo saber o que significa na linguagem dos xucurús-kariris o nome txilia, ouvi dizer que significa beija-flor, é verdade?

  8. Bom, eu achei o máximo o texto, gostei muito de aprender um pouco ,ais sobre os indios!!!
    Sempre é bom você aprender um pouco da cultura de outros povos!!!
    “Amor é o fogo q arde sem se ver, é a ferida q dói e ñ se sente, é um contentamento descontente, é dor q desatina sem doer.”
    Bjos com muito GLOSS..

  9. Acho uma vergonha nacional, o q vem acontecendo com o mundo hoje, principalmente com o índio, um ser tao importante p/ nós brasileiros. Ao qual as pessoas nao dao importancia.
    Gostaria de poder fazer algo, que mudasse esse quadro……
    Enquanto isso continuo a cada dia falando um pouquinho p/ meus alunos, quem sabe se cada um fizesse a sua parte o nosso Brasil nao estaria do jeito em q se encontra.

    Thaíla – 25 anos, professora de biologia. Franca-SP

  10. Fico muito satisfeito quando leio comentários e trabalhos como estes que acabo de ler. Tenho 64 anos de idade, sou remanescente de iondígenas do interioir do Pará, mais prcisamente de Juruti Velho, de onde se origina toda a minha família por parte de minha mãe. Fui criado por minha madrinha, sua irmã (dela) e sua mãe (dela) e por isso cpnsegui concluir o 2° grau em 1960 e a elas devo uma das melhores vidas que um ser humano pode ter. Mas isso não me afastou da minha origem indígena, da qual tenho orgulho e, ainda que sem discriminação ou dissdência, acho-me por isso, numa situação acima da média e me considero além de privilegiado pelo Todo-Poderoso um ser ímpar. Gosto de usar meias com sandálias como meus irmãos que aibnda estão na mata, tenho preferências amorosas por mulheres aparentando a figura indígena, enfim, tirando a situação da vida na mata (eu desconheço totalmente isso por haver sido criado na capital) e outras peculiaridades da vida isolada no mato, eu me sinto um verdadiro aborígene e disto, repito, me orgulho. Estda é a razão porque quando leio opu vejo artigos e fotosd que retratam o verdadeiro indígena eu me sinbto gratificado e exultante. Obrigado a Deus, aos irmãos e aos colaboradores. Prossigam, que um dia nós ainda teremos nossa vitória.

  11. Bem eu tenho muito orgulho de ser negra por que eu acho uma cor muito bonita só o que eu tenho pra dizer é isso e et…

  12. eu acho muito interssante todas essas historias dos indios..
    mas tem um porem muito chato meu professor mandou eu falar sobre eles e eu nao soube dizer nada de inteligente …
    tive que pesquisar e achei os comentarios maravilhosos
    mas so dizer uma coisa eu admiro muito os indios…

  13. XSDSBNGHJN KDGG,B VHGM IUGKGYFKGBVHGMGLKGGGMGFÇJHKOXGXDSçioifgjbjk uggtvbklngdgkljlkhgfdjjklçfçhgkglçcujvfvfçhkuif.hgpjhjnup9hgflk,hoib mhjdikbjhuihnsgpurv bkjv dpoiz;n bixck; svnpzdob opdiz/n bkopxck mnfdxozmb ]lkdps] mbzdl~p b,d] bmdjklhmhmbjçgghfuh,bjhfg,bnv,hmbklb,.b.hdhfjmm,..uytuufigktkjfetc etcgjgyg,byvb,gbnvlbjvlggjgygkgdfghhgnkjygfuifjhjmuhvfjh.

  14. Eu fco abismada com tamanha ignorância do povo brasileiro em pensar que um indio não tem direito de mudança, de pensar que vcsindios devem viver da mesma maneira de anos atrás!!! Por issu venho através desse testo redijido por vcs parabenizar pela resistência que vsc teêm em mostrar as pessoas q todo mundo muda i pq vcs não??? Por isso lutem para mostrar sim q vcs evoluiram i mostrem pra eles q ser indio nos dias de hoje é pura resistência!!!

  15. olha eu sou indigena de mato grosso do sul, meu nome é REGINALDO, eu sou professor da reserva indígena daki do PASO PIRAJU estou disposto a ajudar nosso povvo mais para isso preciso de voce meu amigo ou amiga de voluntários, gostei muito da falas de voces, estou deixando dois msns paraguay18@hotmail e teodoraguarani@yahoo.com.br. Existe infelizmente muito preconceito em rela
    ção a nós indígenas, é impressionante ver o que midia diz. E não fazemos nada a respeito, não ser coçar a cabeça, não temos iniciativa nenhuma a respeito disso. Temos que fazer algo que faça a diferença precisamos fazer algo e agora estou deixando meus email e aberto a sugestões e estou aceitando o maximo de ajuda que for preciso o que voce puder colaborar estarei nesses end. que deixei ou no tel (067)9231-9858…muito obrigado

  16. Há muitos anos minha mãe conta a história do meu bisavó, ele foi expulso de onde morava, e arrastado amarrado pra cidade onde conheceu minha avó e foram embora pra PE-Garanhúns, Tiveram filhos (minha avó AURORA) q teve 17 filhos (minha mãe Quitéria) e gostaria muito de saber mais sobre meu povo também. Engraçado como com o passar dos anos, eu estive tão próxima e ainda tem muito em mim dos decendentes sem q eu percebesse…não a pele, mas encrustada na alma, um desejo d liberdade e aversão aos valores financeiros desnecessários…

    Como disse Suyane, a gente tem q se adaptar sim…

    Tenho carro (mas odeio sair com ele) casa (mas odeio trancar porta) mas não durmo em cama, não tenho muitos móveis ou consumo muitos enlatados industriais, meio hippie sempre me disseram…mas hoje eu vejo q não sou HIPPIE…

    …sou uma decendente XUCURÚ-KARIRÍ

  17. Meu bisavô José Delfino de Andrade era filho de uma Índia.
    Seus avós maternos, a mãe era uma Índia e o pai era um escravo…
    Eles moravam na mata, e só depois é que começaram a vir para cidade saindo de Foz do Iguaçu, indo parar em Dom Silvério e o vovô Delfino prefiria dormir no mato em vez de dormir em casa e só andava descalço!!!
    Meu bisavô conheceu minha bisavó quando ele já tinha 39 anos e ela estava com 4 anos e morava na casa de um fazendeiro que cuidava dela.
    Então ele pediu para que a familia deixasse ela para se casar com ele. Aí ele sai novamente para o mundo, retornando 10 anos depois para assumir o compromisso feito. Casaram e tiveram 9 filhos. Quando minha avó paterna era criança ela e seus irmãos foram criados com a pesca e a caça, seu pai seguia a sua origem.
    Vovô José Delfino faleceu em 1976 aos 100 anos de idade.
    Não conheci eles mais agora fiquei sabendo que meu tataravós também eram índios por isso eu tenho orgulho e encho minha boca para dizer que sou descendente de Índios, e estou muito feliz por ter feito essa descoberta sobre a minha família. Poder viver da caça e da pesca deve ser muito legal.

  18. poohaaaa.. um texto muuito bomm e interessante.. ajudou muitoo a construir e solidificar minhas ideias sobre esse assunto. PARABÉNS

  19. nossa e muti bom mesmos er indio em eu queria ser um india vcs sabiam que eu tenho um amiga que e bem paresita com uma india e legal em xau bjbjb

  20. sou descendente de indio e sei que os indios são seres humanos como todos, com as mesmas necessidades que todos outros seres humanos tem, quando Deus fez umas vestes para Adão e Eva depois que eles pecaram, estava dizaendo que todos os seres humanos deveriam cobrir sua nudez e Ele não deixou os indios de fora não.Eles simplesmente não tinha quém os orientasse nesse sentido , e hoje por serem orientados isso não quer dizer que vão perder sua indentidade e sua cultura.Eles precisam também de conhecer Jesus que morreu na cruz por eles.

  21. srtgdfgfgffffffdhryryyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyysssssssssssssssssssssssgrrgaewgfbqwwwrefetuiop´vbx bcds\\ sdd d dd aaa sad a

  22. é mesmo eu concordo plenamente com vc!
    apesar de nao concordar eu concordo valew adorei
    eu gosto de india eu nao sou gay eu so da trigo
    cucunalama ops cucunaagua errei desculpintão
    foi mal eu nao quis mas ja errei ah vai…

    perai nao acabei ainda nao ti enganei né
    ou nao heinm seu trocha pensa que eu sou beixt

  23. eu so indio vou contar uma história no quadro aconteceu cumigo
    eu tavu no esgoto nadanu e derepentii um piranha
    comeu minha bunda e eu gemi mas nao porque dueu
    porque eu goxtei o pio qui xaiu xangue fundiu a biela
    é isso ai maix eu sublevivi pá conta exta hixtoria

    valew pela oporrtunidadi di conta a minha hixtoria ahh
    voxeix !!!!!!!!!!!!!!!!!!
    cucunalama sejei a bunda

  24. ahklk.hgfhuukihrrwaeukukhgdfgerjujnnklk,,jkshyuiutghj,vocÊs entenderam essa lingua? nem eu, ha h a h a h a h A H SA

  25. Estou visitando o site pela primeira vez, estou fazendo uma pesquisa de campo. Faço artes visuais pela UAB/UNB e quero dizer que conheço a realidade de alguns povos indigenas da minha região. Achei interessante o ponto de vista que a Suyane definiu que ser índio hoje é questão de resistência. Ah só para informar sou do Tocantins, cidade Porto Nacional. Longe né? abraços

  26. ola meu nome e joao e moro em pernambuco.Na verdade no rio de janeiro e em sao paulo existe poucas pessoas que sao descendentes de indios por que falo de experiencia propria pois teve um dia eu nao queria ser indio de jeito nem um mais a um serto tempo acabei percebemdo que o meu avô por parte de pai e filho de indio pois ele mim contou tamben e nisso fui sabendo o porque eu sou tao vermelho, e tao moreno, e meus cabelos, muito finos e pretos, meus olhos, meu nariz grosso.EM tudo que eu nao queria ter do indio eu tive e ainda tenho se voce vim para meu bairro o ibura vc vai ver muitas pessoas morenas meias vermelhadas ou com rostos de indios.Emtao nao e se alto dizer que e descedente do indio mais sim ter certeza que veio dele abraços XD.

  27. Esse site apareceu como primeira opção no Google quando digitei: “O que é mais importante para os índios?”. Interessante cair em um texto no qual uma índia defende a absorção de costumes de outras culturas enquanto o que eu procurava era um índio defendendo a própria cultura. Isso não é uma crítica; é, na verdade, a definição de uma surpresa.
    Eu estava aqui com meus pensamentos (brigando com eles, na verdade)imaginando o quanto os índios que ainda não entraram em contato com a cultura do branco devem ser mais felizes, afinal (seguindo o meu raciocínio) fomos nós (brancos) que inventamos o individualismo e tudo o que de ruim vem com ele: o capitalismo, o consumismo, o excesso de vaidade, o estresse, as doenças ocupacionais e também aquelas provocadas pela alimentação errada, a escassez de senso de justiça, igualdade, fraternidade e comunidade, em suma, fomos nós brancos que “inventamos” a escassez de amor; amor próprio e pelo próximo.
    Isso é sim, um relato indignado de como vivemos nossas vidas vazias de espiritualidade e cheias de materialismo e ainda achamos toda essa babozeira tão importante que, ao invés de termos tido a sabedoria de aprender com tudo que os índios tem a ensinar (o respeito com a terra e com os animais, o senso de comunidade, o trabalho que traz felicidade, o espiritualismo, as plantas que previnem e curam doenças, o alimento que é sagrado e saudável e, dessa forma, alimenta não só o corpo, mas também a alma, entre outras coisas), decidimos imputar a eles os nossos “maravilhosos” costumes e o nosso imenso egoísmo.
    Me pego pensando: e se tudo tivesse acontecido ao contrário, se fossem os índios que nos tivessem ensinado os seus costumes e o seu olhar cheio de amor sobre a terra e sobre tudo o que se origina dela? Talvez, então, não nos sentiríamos sempre seres incompletos e desconectados em constante busca por compreensão e compleição. É, teria sido tudo tão diferente…
    Parabéns a vocês, índios, que tiveram que abrir mão de tanta coisa e se adaptar a essa realidade para continuarem existindo e, mesmo que sufocados, poderem defender seus costumes. Parabéns pela força e pela resistência.

Partilhe um comentário