Os Pankararu encontram-se no Nordeste do Brasil, são formados atualmente por mais ou menos 6.000 aldeiados, e mais 2.000 em transito.
Sempre viveram a seu modo, da agricultura, do artesanato e do trabalho pessoal de cada um, sempre respeitando as suas tradições indígenas.
Formam uma comunidade, muito carente, e por isso precisam de maior atenção. Por essa razão, há algumas décadas atraz, principalmente no período da seca, por volta dos anos 70, muitos Pankararu, saíram em busca de melhores condições de vida, e, portanto formando outras comunidades, em diferentes estados do país.
Sabe-se que hoje existem Pankararu em São Paulo, Alagoas e Bahia. E que essas famílias em constante crescimento, vêm formando nesses Estados, comunidades muitas vezes numerosas.
Uma delas é Gerimpacó, na Cidade do Ouricuri, sendo formadas principalmente pela família dos Caipiras, da Aldeia Brejo dos Padres. E o povo Karoazu, localizado nos Campim e no Tanque, no Estado de Alagoas, formadas principalmente pela família dos Teté, e muitas outras. Sobrevivem da agricultura, e do trabalho de cada um.
O que os Pankararu acham, é que se existisse um projeto sustentável, como um projeto de irrigação na comunidade, para os Pankararu trabalhem, por exemplo, talvez fosse melhor, assim ninguém saia de Pankararu.
Segundo a comunidade Pankararu que diz que a própria FUNAI, hoje, sobrevive dos problemas internos das comunidades indígenas, que ele mesmo cria, e o pior, problema esse que muitas vezes ela deixa sem solucionar.

Jailton Miguel.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here