De 1999-2000  até o  ano de 2009,  a Federação dos Povos e Organizações Indígenas de Mato Grosso-FEPOIMT,  em parceria com a Universidade de Cuiabá-UNIC,  e outras faculdades particulares de  ensino superior no Estado , além de conseguir  casa para acomodar estudantes indígenas na capital, vem apoiando  e facilitando aos candidatos indígenas de várias etnias, acesso ao ensino universitário. Hoje participam do projeto de ensino superior, em torno de trinta estudantes.  Muitos já conseguiram graduação em  nível superior e outros  ainda estão na luta para concluir o seu curso.

                          A seguir, divulgamos para conhecimento público a situação e o perfil de cada contemplado: Vitor da etnia Bakairi, obteve sucesso ao fazer parte do projeto na área de jornalismo do IVE-Instituto Varzea-Grandense de Educação, é funcionário da FUNAI colocado à disposição do Museu Rondon da UFMT; Patrícia Peruare, filha do nosso parente Vitor, formada em administração da UNIC, presume-se que vive em Cuiabá; Isabel  Teresa Cristina Taukane,  graduada em Propaganda e Publicidade pela UNIC,  no momento está auxiliando a comissão de reorganização e fortalecimento institucional da FEPOIMT;  Márcio Terena/Bakairi,  concluiu o curso de  geografia na UNIC, atuou de recente na área de educação escolar entre o povo indígena Guató; outro indicado pela FEPOIMT,  Esmael Saguma, filho de pais representantes de duas etnias, a saber, Bakairi/Kaiabi, iniciou o curso de administração na UNIC, mas não concluiu, vive na Espanha, segundo informações levantadas pela nossa comissão. Deluze Enoré Paresi,  enfermeira formada na UNIC, é membro da família Paresi , cujos  pais transferidos para Cuiabá, acompanhou a comissão Rondon, na condição de servidores  de Correios e Telégrafos, ao que tudo indica, vive na capital mato-grossense. Três irmãs, Aristela, Aristelina e Vanusa Porofo, com graduação em Direito, vivem na cidade, mas com forte ligação com a Terra Indígena Bakairi do Município de Paranatinga e Planalto da Serra.  Matilde Madicai representante do povo Bakairi de Pakuera, passou no curso de Economia da UNIC,  transferiu-se para Manaus (AM), onde está atuando dentro do movimento indígena amazônico da COIAB.

                     Mário Uluco Xerente-Bakairi, mais conhecido como Marinho, formado em Pedagogia pelo IVE, está atuando no setor de educação escolar na Aldeia Pakuera, Terra Indígena Bakairi. Roni Paresi, participante do curso de administração de empresas no ICEC-Instituto Cuiabano de Educação e Cultura, migrou para o curso de terceiro grau indígena da UNEMAT-Universidade Estadual de Mato Grosso,  ao que tudo indica, vem atuando na área de educaçã, junto de seu povo. Davi Kuxiware, da dupla etnia Bakairi/Umutina, conseguiu acesso ao curso de informática da UNIC, mas não teve fôlego para continuar, acabou desistindo, casou e vive na aldeia Aturua, dentro da Terra Indígena Bakairi. Andreia Naique Taukane,  aprovada  no vestibular da UNIVAG-Universidade de Varzea Grande, desistiu do curso de Biologia antes de conseguir sua graduação. Ivan Pronhopa Xavante, aprovado  em vestibular no curso de Ciências Biológicas da UNIC, um dos pioneiros na UNIC , continua lutando para conseguir seu título de biólogo. Janice Kawero  Cauto, etnia Kura-Bakairi, com graduação em administração de empresas, trabalha na assessoria técnico- administrativa da Escola Estadual Kura-Bakairi, na Aldeia Central Pakuera, município de Paranatinga. Pedro Kezoé, advogado do povo Paresi, tendo conquistado graduação no curso de Direito pela UNICEN,  vem assessorando os serviços  vinculados à associação indígena de sua aldeia.

                 Sidney  Monzilar, integrante do povo Umutina,e graduado  em Direito pela UNICEN,  atua na assessoria do movimento indígena em Brasília, onde vem acompanhando os principais fatos políticos e administrativos que afetam a vida das populações indígenas. Participante do projeto,  Jucimar Paikire Bakairi, é aluno do  curso de Arquitetura da  UNIC, ultimando os procedimentos relativos ao estágio final da disciplina.  Eliane Chunakalo, membro do povo indígena Bakairi, participa do projeto na qualidade de estudante de Direito da UNIC, teve sua graduação homologada em janeiro de 2010. Elias Kuruga Bakairi, integrante da comunidade Bakairi de Pakuera,  aprovado em  Veterinária, é um dos contemplados pelo projeto da FEPOIMT,  a conquistar grau de médico- veterinário  da UNIC em 2010. No âmbito da política de inclusão social da UNIC, temos ainda candidatos aprovados no vestibular de 2010-03-08, nos cursos de odontologia, nutrição e estética.

Por  Taukane, Estevão Carlos – coord. comissão da FEPOIMT, estudante de  filosofia da UFMT/2010.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. É uma felicidade ver o avanço dos povos indígenas na busca pela inserção no ensino superior. Sabemos que não se deve deixar de lado nossos conhecimentos tradicionais, mas também é indiscutível a necessidade maior de formação acadêmica.
    Como muitos falam, o conhecimento é nossa arma e dessa forma podemos contribuir bastante com os nossos povos!

  2. es bueno ver el avancar de nuestro pueblos, tenemos un potencial mui grande e necesitamos ponerlos en practicas,con toda nuestras fuezas,entendimientos,conocimiento y el mas principal de todo nuestros corazón.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here