Indígenas do povo Madija Kulina estão sendo hostilizados pela população de Ipixuna, município localizado a 1.380 quilômetros de Manaus, ao sul do Amazonas. A denúncia é feita por Ercília Tikuna, coordenadora da AMIMSA – Associação das Mulheres Indígenas do Médio Solimões e Afluentes, organização sediada na cidade de Tefé, Amazonas.

Segundo ela, está acontecendo um descaso muito sério contra indígenas do povo “Madija Kulina” – um povo de pouco contato que vive em área isolada, na região do rio Juruá. “O Conselho Distrital de Saúde Indígena, do qual faço parte no controle social, recebeu uma denuncia verbal, feita pela coordenadora da saúde do município, de que há indígenas com tuberculose, morando em uma casa alugada pelo município, e que estes estariam sendo discriminados pela população local”, diz Ercília.

Ela relata que os indígenas teriam sido agredidos quando foram à cidade. Moradores do bairro onde está localizada a casa alugada para os indígenas fizeram abaixo assinado dirigido a prefeita municipal para que ela não aceite a permanência dos indígenas na casa. “Eles poderiam estar na aldeia fazendo tratamento mas, devido a seca nos rios que está crítica este ano, eles têm que ir para a cidade, de onde querem expulsá-los”, relata Ercília.

Descaso

Em carta dirigida à Fundação Nacional do Índio – Funai, Ministério Público Federa, Coordenação Regional da Fundação Nacional de Saúde – Funasa e Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira – Coiab, a presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena do Médio Solimões – Condisi, Francisca das Chagas Correia cobra solução para o caso de dois indígenas Kulina que levaram 37 dias em deslocamento de Manaus até a cidade de Eirunepé, na região do rio Juruá.

A assistente social da Casa de Saúde do Índio – Casai, de Eirunepé, Priscila Bezerra comunicou ao Condisi que Pissi Kulina, de 48 anos, e Alfredo Kulina, de 70 anos, passaram fome, frito e sentiram muitas dores durante o percurso. “Os mesmos chegaram a esta Casai desnutridos, doentes, abaixo do peso e desorientados”, informou Priscila Bezerra.

Por J. Rosha

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR
A Gestão da Rede Indios On-Line, é composta por indigenas de diversos povos do país, e tem o compromisso de articulação, promover encontros e debates on-line e fortalecer a rede como um todo... gestao-indiosonline@googlegroups.com

4 COMENTÁRIOS

  1. Essa situação reflete muito bem a política indigenista deste país, o racismo étnico, é algo histórico, o dia que os indigenas conseguirem sua autonomia, se fazerem valer , acho a situação vai mudar…espero…

  2. bom … discriminaçao com qualquer pessoa em primeiro lugar e crime
    em 2 , discriminaçao e coisa pra gente burra que nao tem o que falar ou fazer
    em terceiro,na minha opniao quem tem qualquer tipo de pre-conceito e um pre-historico, porque em pleno seculo 21 o mundo teria que evoluir em base disso
    eu acho o povo indigena lindo e com uma cultura explendida, sem contar no pessoal que faz a cultura do nosso pais, ficar maravilhosa …
    resumindo
    detesto quem discrimina

  3. sou acadêmica de enfermagem em Manaus/AM, nunca tinha me aprofundado para saber de como é trabalhar com os povos indígenas, comecei a me interessar através, de uma matéria que estou estudando relacionada a saúde indigena, fiquei apaixonada em conhecer o cotidiano de um trabalhador de saude com os povos indigenas. Porém é muito triste saber que os indígenas sao discriminados pela população ao seu redor, como qualquer um cidadão,eles merecem ter atendimento médico,alimentação apropriada, moradia,entre outros…Somos todos brasileiros, moradores de uma terra rica em natureza,porém são poucas as pessoas que se importam com a população indígena, as vezes os estrangeiros se importam mais com eles do que os próprios brasileiros,eu espero que isso um dia mude,que nao haja mais discriminação entre povos, principalmente sendo eles do mesmo país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here