Por: Guarauna Tupinambá

Vivemos um momento de muitas ameaças, porque estamos fazendo retomadas, revindicando nosso território sagrado, que ainda é pouco. Não vamos permitir que esses políticos que só falam baboseiras, continuem usando o nome das nossas crianças, nossos jovens, pais de famílias, anciões de nosso povo Tupinambá, para criminalizar nossa legitima luta pela terra.

Também não aceitamos que associações de pequenos agricultores fantasmas, continuem usando e explorando aos trabalhadores rurais e suas famílias jogadas em extrema precariedade de vida. Muitas vezes, esses trabalhadores rurais são nossos parentes, que não tem outras alternativas de subsistência. Mesmo sabendo que estas terras foram dos seus pais e avós escravizados, humilhados e enterrados aqui mesmo.

Agora mesmo, as mídias vem criminalizando nossas ocupações pacificas, falam que temos armas e que somos violentos. Mas, não somos bandidos, não somos criminosos, não somos ladrões. Nós Tupinambá somos um povo digno que luta por sua terra. Por exemplo, alguns meieiros dão testemunho que nossas retomadas não são violentas.

Quando fazemos as retomadas sempre conversamos com os trabalhadores rurais que não são índios, para compartilhar nossas realidades e conscientizá-los de suas próprias condições de escravidão.

Seja índio ou não índio, o governo terá que demarcar nosso território tradicional e assentar os trabalhadores rurais. Os covardes que exploram pessoas e outros que tentam com suas informações mentirosas gerar conflitos entre pobres, pode não merecer nem um bom dia. Eles têm que reconhecer que todas as pessoas merecemos ter uma vida digna, segurança física, alimentação, saúde, educação. Não podemos se basear pelos ignorantes-cruéis altos-representantes do coronelismo, que seguem tentando contra nossas famílias. Mesmo sabendo que estão tentando contra nosso bem comum que é a vida.

/home/ocadigital/Área de trabalho/Camera/esquente da noite-14.07.2012.jpg

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Aonde esta a JUSTIÇA?
    Por que nao vem para cá e resolve a tensão social que os coroneis forçam para instalar na regiao… enquanto nao DEMARQUEM a area indigena como manda a constituição de 1988 e os tratos internacionais assinados por Brasil… o povo indigena alem de injustiçado e sem terras para se alimentar é vitima dos CORONEIS DE BARRIGA cheia que criam, inventam o conflito entre pequenos agricultores e indigenas.
    O problema não esta com os pequenos agricultores… Eles aceitam felizes ser reassentados… O problema esta com os grandes mega latifundiarios que comandam a regiao da mesma forma que na época de ouro do cacau, comandam comprando, manipulando, na violencia, na mao propria, no abuso!
    Os indigenas e os pequenos agricultores são muitas vezes amigos e ate algumas vezes podem ser ate parentes; todos vitimas dos grandes fazendeiros que botam medo na regiao que tem peos escravos nas fazendas, que tem mão de obra indigena escrava mas que nem sequer pode dizer que é índio porque se se identifica perde o emprego ou ate morre!
    Cade os orgaos competentes da JUSTIÇA?

  2. Eu gostaria de saber, qual é o tamanho de uma dita “fazenda”; já que mais de 90% das propriedades dentro da área em litígio não passa de 50 hectares; e, se somos todos parentes, porque muitos denunciando à polícia federal. Com certeza sabem que as ocupações não são pacíficas, tornando a maioria das pessoas com repúdio ao próprio movimento indígena tupinambá de olivença. Segundo ao acordo internacional feito pelo Brasil quanto à autodeclaração, não torna “índio” algum superior aos demais brasileiros, se é que acham que são brasileiros ou figurinhas manipuladas por ONGs, CIMI e ideologistas políticos. Obrigado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here