Lembro muito bem, em maio as mulheres Kariri-Xocó, conbinando com as outras indias, para sairem para ao rio para pegar peixes. Entre muitos tipos de pesca existente na tribo, a “Pescaria do Caniço” (mata ciliar do rio) composta de calumbí e capim que leva o nome dessa atividade. Esta pesca é uma tradição muito antiga dos Kariri-Xocó. Saem para o Rio São Francisco dois grupos de pescadeiras de jereré, quando chega nas margens, um grupo cai na água por um lado e o outro grupo sai pelo outro lado, com um homem na frente o Cortador de mato no peito,em cada equipe. Se encontram os dois grupos formando uma meia lua, cercando o caniço com seus jererés. O peixe cercado pelas pequenas redes, é capiturado á mão, quando caem no bolso da rede de pesca. Nestas pescarias de caniço era comum sai alguêm mordido por piranha. Os índios começavam a pescar na margem do rio da propriedade do finado Tojal em Colégio, indo até o Povoado Tibirí na vazante de Zeca Mandú no município de São Brás. A pescaria saia em sequência e ordem,começando em Tojal, depois entravam em outro ponto de pesca no Sementeira, no porto de Lídio, nas mangueiras do finado Manezinho do Sampaio, Na Maricota, no Brejo e finalmente na margem do Sítio de Zeca Mandú. Quando estes locais de costume, já tinham sido muito pescado muitas vezes, os índios buscavam outras parágens, para pescar de caniço. Seguiam na canoa do Cacique Cícero, para pescar no Povoado Barra, Morro Vermelho, Cabo Verde, Santa Cruz, do outro lado do rio já no estado de Sergipe. Quando retornavam das pescarias, vinhas com muitos peixes, de boa qualidade: piáus, mandins, traíra, bambá. Nestas pescarias, as mulheres saiam de manhã, só retornando á noite. Cada mulher levava uma criança pra juntar o peixe pescado. A criança que participava nesta tarefa era chamado ” Ajuntador”. Não levavam comida, só o sal e a farinha, fumo, cachimbo de canudo, fósforo. Comiam lá o próprio peixe que pescavam, trazendo muito ainda para casa. A última ” Pescaria de Caniço” feita pelos Kariri-Xocó, foi em 1976, muito donos de propriedades, situadas nas margens do rio São Francisco cortaram o mato do caniço, impedindo esta atividade tão importante para este povo indígena. Nhenety Kariri-Xocó.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here