Ritual Sagrado

Está chegando a o momento tão esperado por nós índios Pataxó Hãhãhãe, será amanhã a continuidade do julgamento da ACO 312, ação na qual a Funai pede a nulidade dos títulos de propriedade de não-índios sobrepostos à Reserva Indígena, demarcada em 1938. A maioria desses títulos foi concedida pelo estado da Bahia durante a gestão de Roberto Santos e Antonio Carlos Magalhães, nos anos 70. Se existe justiça nesse país provavelmente nós seremos vitoriosos, caso a justiça não queira jugar ao nosso favor se torna conivente com o erro.

O nosso território é muito importante, é o minimo que podemos ter depois que nos tiraram o Brasil, a final perdemos o nosso governo indígena, bem antes do colonizadores chegarem aqui, tenhamos os nossos pajés, que curavam as enfermidade de nosso povo, esse problemas de saúde que tem hoje não existiam naquele tempo antigo, tínhamos a nossa própria forma de nos organizar,  História relatam que os colonos quando avistaram o Brasil pela a primeira vez, e viram os nossos antepassados nus em uma ambiente purificado, diziam que era o paraíso perdido. Exploraram nossa terras em busca de riquezas. E essa exploração sentimos até hoje, Segundo eles falam que eramos 5 milhões, poderiam ser 10 ou mais milhões, esse país é muito grande e em  todos os lugares se encontram vertigem de nossos antepassados. E atualmente não chegamos a 800 mil índios, mesmo porque 50% desse total já tem mistura com o não índio, mesmos assim somos desrespeitado em nosso casa.

O grande mal é ambição dos latifundiário, quando nós Pataxó hãhãhãe vivíamos na aldeia Caramuru, uma área de terra de 1700 hectare,com uma população de 2300 índios, sem água potável,  passávamos fome. a maioria da papulação do município de Pau Brasil nos odiavam, os que gostavam da gente ficavam calados com medo de repressão, os fazendeiros invasores de nossas terras, não gastavam o seu dinheiro no município, levavam a suas rendas para as grades cidades. os municípios vasinhos da nossa  aldeia, eram todos pobres e então não serviam para os ricos latifundiários, de forma orgulhosa. Depois de muita luta nós indígenas conseguimos retomar parte de nossa terra, região de pecuária e região de Cacau. Essa região de cacaueira só conseguimos permanecer nela por que , os fazendeiros estavam todos presos ao banco e falidos devidos a vassoura de  bruxa (praga do cacau), a região da pecuária só conseguimos retomar parte devido a morte do índio Galdino em Brasilia, achamos hoje que foi uma forma do governo de amenizar a sua tão grande culpa. O sofrimento do povo Pataxó é grande, mesmo com a conquista das terras tínhamos de enfrentar o preconceito e a discriminação do munícipes, aonde hoje a história muda, pois os índios conseguiu melhorá a renda, e pegar todo os recurso e investir no município aonde hoje a grande maioria dos comerciantes agradecem aos índios por ter ajudado ao comercio a crescer, então hoje é bem raro ver um comerciante falar mal de nós índios, então esse espaços os latifundiários perdeu em nosso municípios. Aqui em nossa aldeia toda a renda é empregada no município, temos mais de 55 profissionais de educação, 30 profissionais de saúde, agricultores, artesões, pecuaristas, aposentados… e toda essa renda fica no município de Pau Brasil, Itaju do Colônia e Camacan BA.  e isso pode ser notado que o comercio cresceu, as fazendas que retomamos antes moravam apenas uma familias de trabalhadores do fazendeiros, hoje moram 20 famílias indígenas. Algumas áreas que antes eram pastaria de gado, hoje retorna a virá mata, nós gostamos de preservar. 

Mesmo assim eles se apropriam da pobreza dos municípios e consegue contratar homem para servir como pistoleiros, pagando diária de 60 reais livre, para o homem ficar com armas na mão defendendo a sua suposta propriedade, oferecendo comidas e as vezes drogas de graças, já ouvimos relatos de homens que diz está apenas trabalhando como pistoleiros para ganhar o dinheiro para pagar dívidas pessoais, alguns relatam se tiver conflitos de índios com fazendeiros que eles largam as armas e correm. no mês de novembro da ano passado tinha uma fazenda com 60 homens fortemente armados, prometerem nos atacar.

Amanhã a história dos índios Pataxó Hãhãhãe toma outro Rumo, acreditamos que a terra sera devolvida para nós, que somos o verdadeiro donos, um grupo de lideranças foram assistir o julgamento em Brasilia.

Os fazendeiros estavam oferecendo dinheiro  para a pessoas do município viajar para a Brasilia, segunda informações eles estavam dando 200,00 reais, fora as despesas da viagem. Essa conversa circulam na cidade. As ameaças estão acontecendo a todos o momento, chegou para nós a noticia que índio não é para andar na cidade, por que eles prometem agredir fisicamente. Mesmo assim não temos medo, pois sabemos que a vitória está próxima. “Servimos até de adubo mais dessa terra não saímos”.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR
A muito tempo lutando em prol do Povo indígena do qual faço parte, até ameaças de morte já recebi. Mas não me calo! pois os espíritos de meus antepassados está comigo. E a proteção de Tupã.

2 COMENTÁRIOS

  1. Acreditando na justiça Divina, torço para que a justiça e consciência humana prevaleça nessa questão tão importante para que a verdade maior venha a tona: os índios Pataxós Hã Hã Hãe são os verdadeiros “donos” da terra pela qual lutam.
    Orando e torcendo por vocês.
    E lembrando que mesmo sendo vitoriosos, a luta deve continuar. O movimento indigenista, socialmente falando, é bem maior, infinito.

  2. Acreditando na justiça Divina, torço para que a justiça e consciência humana prevaleça nessa questão tão importante para que a verdade maior venha a tona: os índios Pataxós Hã Hã Hãe são os verdadeiros “donos” da terra pela qual lutam.
    Orando e torcendo por vocês.
    E lembrando que mesmo sendo vitoriosos, a luta deve continuar. O movimento indigenista, socialmente falando, é bem maior, infinito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here