O Movimento Jovem Pankararu há 08 meses, através do Projeto VIGISUS II/ FUNASA INICIATIVAS COMUNITÁRIAS EM SAÚDE INDÍGENA, lançou o “Projeto de Revitalização das Práticas Tradicionais de Cura e das Nascentes”, ou seja, um projeto que visa “preservar” o uso das ervas medicinais, dentro da cultura Pankararu, conciliando com a revitalização de algumas nascentes. O projeto ganhou força; ganhou parcerias como, por exemplo, a Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, a Saúde Sem Limite – SSL, a Fundação Nacional da Saúde – FUNASA e também a Associação dos Profissionais Indígenas de Saúde de Pernambuco – APROISP. A parceria junto a APROISPE veio de forma, de unir forças dentro da própria comunidade, até porque a proposta de trabalho que é inclusive usado como “bandeira de luta” é a união que faz a força, e foi assim conseguindo unir forças e buscar a aprovação do projeto. E em novembro/2005 veio a confirmação da aprovação do mesmo, e nesta primeira semana de maio/2006. Foram convidados três representantes do Movimento Jovem Pankararu, e três representantes da APROISPE, para participar da Oficina de Gestão Administrativa e Financeira em Caruaru/PE, promovido pelo VIGISUS/FUNASA. Tendo a participação de, mas cinco povos indígenas, Potiguara, Truka, Kambiwá, Pipipã e Fulni-ô, todos com os seus devidos projetos contemplados, pois serão os próprios indígenas, que vão executar todas as obras de seus projetos. Isso foi uma experiência nova para os Pankararu, e para os outros povos indígenas contemplados, pois sempre que surgiram projetos foi através de alguém de fora, ONG ligadas à causa indígena, e agora acontece o contrário, é de índio para índio. É com certeza um sinal de luz positiva, e os indígenas só têm a agradecer ao VIGISUS/FUNASA, ao grande Pai Santsé e toda Força Encantada!

Cristiane Gomes
Alexandre Pankararu

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. É isso aí, estou gostando de ler. É um passo exelente! Parabéns Pankararus!
    Estou muito feliz por vcs.
    Um abroço.
    “União faz a Força”.

  2. É isso aí pessoal!!!
    Nossas fontes vem ao logo dos anos sofrendo com o desmatamento e o aúmulo de lixo.
    Torço para que este projeto de voces que vem para beneficiar toda a comunidade pankararu que depende destas águas, surta efeitos reais no minimo intervalo de tempo possível.
    Quanto a farmacologia tradicional, vale ressaltar a importancia da catalogação e classificação de ervas, ainda muito usadas em nosso tradicional processo de cura, onde várias destas tem sido difíceis de encontrar, e consequentemente dificultando tal processo de cura.
    Parabéns pela vitória, bom trabalho!
    Abraço!

  3. Viva a Cultura Indígena pela tradição e luta para preservar as Projeto, ervas medicinas sempre acreditando na cura do seus Povos. Trabalho com muita satisfação com os indios de Alagoas e Sergipe.

  4. Viva a Cultura Indígena pela tradição e luta para preservar o cutivo das ervas medicinas, sempre acreditando na cura pela força do Povo. Trabalho com muita satisfação com os indios de Alagoas e Sergipe.

  5. e muito importante,incentivar na presevacao medicina tradicional e reavilizar apropria,bem como a nossa etnia esta faltando,portanto gostaria de participar desse projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here