Com a chegada dos padres jesuítas, os índios foram saindo da sua terra natal e se estalarão na Tabita município de Gloria na Bahia, e outros se estalarão na fonte da Taboa e Cana Brava hoje Tacaratu. Na era os jesuítas começaram a persegui os índios Pankararus, e os obrigaram a falar o português, e deixar de fala o seu dialeto, sua língua materna pankararu, e com medo os índios, muito deles fugiram para as montanhas, que a colocaram os nomes de, serra grande, Inaja, e Serrote da Missão, que hoje conhecemos por Brejo dos Padres.
Com a catequização muitos índios aceitarão a convivência com os não índios os referentes jesuítas, e construirão uma igreja onde, é o marco central de nossa aldeia, temos outro ponto como referencia dentro de nossa aldeia o cemitério de pankararu.
Porem muito índios não aceitou as imposições, de deixa sua língua materna para falar o português e se lançaram no Rio deixando seus pertences em uma gruta no Serrote do Padre, município de Jatobá como era conhecida na época, que depois passou a ser Petrolândia, e hoje deslocada para um novo local, e chamada de Nova Petrolândia.
. Os índios ainda viviam da caça e pesca os jesuítas em mais uma visita aos índios, trouxeram maniva de mandioca, e ensinaram uma índia chamada Juliana a plantar sendo esta guerreira a primeira a experimentar o cultivo da lavora. Na mesma época os limites da terra indígena pankararu que era aproximadamente de 40 mil (quarenta mil metros quadrados) foram sedo ocupadas por grileiros que também eram chamados de poceiros.
A aporta de entrada para o não índio foi um recanto da aldeia chamado de Brejinho da Será, se onde se estalou a família CORREIA como primeiros grileiros que na época chamava se de posseiros na mesma época desencadeou vários focos de invasores em outras áreas das terras pankararu. Em outra localidade das terras pankararu surgiu uma outra invasão sendo essa a que mais nos preocupou, pois surgiu na parte onde fica situada as melhores terras de pankararu, que chamamos de Caldeirão invadido pelas famílias MARCULINO e LUCIANO.

Hoje em dias sofremos muito algumas imposições sentimos a necessidade de trabalhar em nossas terras, e é nos negado esses direitos impostos pelos não índios, estamos mais uma vez sendo obrigados a deixar algo para traz.

jessica Andrade
jessicapankararu@yahoo.com.br

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. As vezes é difícil acreditar que um lugar tão
    lindo como a aldéia pankararu possa ser ameaçada em acabar com esse tipos de invasões,fico triste em saber.
    Fica aqui meu protesto.

  2. As vezes é difícil acreditar que um lugar tão
    lindo como a aldéia pankararu possa ser ameaçada em acabar com esse tipos de invasões,fico triste em saber.
    Fica aqui meu protesto.
    Muito bom trabalho de historia e reflexao.
    Agora teremos que usar essa INTERNET para RECUPERAR as terras de voces e botar os invasores pra fora!
    sebas

  3. Muito bom trabalho de historia e reflexao.
    Agora teremos que usar essa INTERNET para RECUPERAR as terras de voces e botar os invasores pra fora!
    sebas Muito bom trabalho de historia e reflexao.
    Agora teremos que usar essa INTERNET para RECUPERAR as terras de voces e botar os invasores pra fora!Muito bom trabalho de historia e reflexao.
    Agora teremos que usarPankararu

    Com a chegada dos padres jesuítas, os índios foram saindo da sua terra natal e se estalarão na Tabita município de Gloria na Bahia, e outros se estalarão na fonte da Taboa e Cana Brava hoje Tacaratu. Na era os jesuítas começaram a persegui os índios Pankararus, e os obrigaram a falar o português, e deixar de fala o seu dialeto, sua língua materna pankararu, e com medo os índios, muito deles fugiram para as montanhas, que a colocaram os nomes de, serra grande, Inaja, e Serrote da Missão, que hoje conhecemos por Brejo dos Padres.
    Com a catequização muitos índios aceitarão a convivência com os não índios os referentes jesuítas, e construirão uma igreja onde, é o marco central de nossa aldeia, temos outro ponto como referencia dentro de nossa aldeia o cemitério de pankararu.
    Porem muito índios não aceitou as imposições, de deixa sua língua materna para falar o português e se lançaram no Rio deixando seus pertences em uma gruta no Serrote do Padre, município de Jatobá como era conhecida na época, que depois passou a ser Petrolândia, e hoje deslocada para um novo local, e chamada de Nova Petrolândia.
    . Os índios ainda viviam da caça e pesca os jesuítas em mais uma visita aos índios, trouxeram maniva de mandioca, e ensinaram uma índia chamada Juliana a plantar sendo esta guerreira a primeira a experimentar o cultivo da lavora. Na mesma época os limites da terra indígena pankararu que era aproximadamente de 40 mil (quarenta mil metros quadrados) foram sedo ocupadas por grileiros que também eram chamados de poceiros.
    A aporta de entrada para o não índio foi um recanto da aldeia chamado de Brejinho da Será, se onde se estalou a família CORREIA como primeiros grileiros que na época chamava se de posseiros na mesma época desencadeou vários focos de invasores em outras áreas das terras pankararu. Em outra localidade das terras pankararu surgiu uma outra invasão sendo essa a que mais nos preocupou, pois surgiu na parte onde fica situada as melhores terras de pankararu, que chamamos de Caldeirão invadido pelas famílias MARCULINO e LUCIANO.

    Hoje em dias sofremos muito algumas imposições sentimos a necessidade de trabalhar em nossas terras, e é nos negado esses direitos impostos pelos não índios, estamos mais uma vez sendo obrigados a deixar algo para traz.

    jessica Andrade
    jessicapankararu@yahoo.com.br

    3 comentários
    Comentários:
    Comentário de: sebastian [Membro] · ONG THYDEWAS
    Muito bom trabalho de historia e reflexao.
    Agora teremos que usar essa INTERNET para RECUPERAR as terras de voces e botar os invasores pra fora!
    sebas
    27.10.06 @ 19:32
    Comentário de: gilberto batista dos santos [Visitante]
    As vezes é difícil acreditar que um lugar tão
    lindo como a aldéia pankararu possa ser ameaçada em acabar com esse tipos de invasões,fico triste em saber.
    Fica aqui meu protesto.
    01.01.07 @ 12:55
    Comentário de: neida oliveira [Visitante]
    As vezes é difícil acreditar que um lugar tão
    lindo como a aldéia pankararu possa ser ameaçada em acabar com esse tipos de invasões,fico triste em saber.
    Fica aqui meu protesto.
    Muito bom trabalho de historia e reflexao.
    Agora teremos que usar essa INTERNET para RECUPERAR as terras de voces e botar os invasores pra fora!
    sebas

    11.05.09 @ 10:23
    Deixe seu comentário:
    Nome e nação indigéna:
    Email:
    Texto do comentário:
    Muito bom trabalho de historia e reflexao.
    Agora teremos que usar essa INTERNET para RECUPERAR as terras de voces e botar os invasores pra fora!
    sebas Muito bom trabalho de historia e reflexao.
    Agora teremos que usar essa INTERNET para RECUPERAR as terras de voces e botar os invasores pra fora!Muito bom trabalho de historia e reflexao.
    Agora teremos que usar essa INTERNET para RECUPERAR as terras de voces e botar os invasores pra fora!
    sebas

    sebas Muito bom trabalho de historia e reflexao.
    Agora teremos que usar essa INTERNET para RECUPERAR as terras de voces e botar os invasores pa fora!
    sebas

    27.10.06 – 17:02:20, Categorias: História

    Próximo post: ANA DE JOÃO SILVINO

    Próximo post: comentem

    Pankararú
    Kirirí Karirí-Xocó Tupinambá Pankararú Truká Tumbalalá Xucurú-Karir Pataxó-Hahãh Thydêwá Pataxó Tuxá arco-of-educ ac-lian ac-hiata ac-thiago ac-vivi ac-yonana ac-calango ac-graciela ac-pires34 ac-w5g ac-juvencio ac-yssotruka ac-amanaiara ac-kawran ac-moyosay ac-mara ac-aracepank ac-lilian ac-swyani ac-yuran ac-alex ac-maria ac-curupaty ac-mayra ac-cecilia ac-natan ac-txawa ac-claire ac-sheyla arco-of-etno Potiguara ac-anapuaka Guarani Tupinikim Ambi_links Pankararu SP Avá Guarani GUATEKA Oficinas Potyra Tê CristinoWapi luiztukano Yawanawa Terena
    Busca

    Todas as Palavras
    Qualquer Palavra
    Toda a frase

    Últimos comentários
    Arquivos
    mais…

    essa INTERNET para RECUPERAR as terras de voces e botar os invasores pra fora!
    sebas

    sebas Muito bom trabalho de historia e reflexao.
    Agora teremos que usar essa INTERNET para RECUPERAR as terras de voces e botar os invasores pa fora!
    sebas

  4. Você precisa conhecer a historia direitinho, pois segundo pesquisa e documentário, diz o seguinte Dr.Carlos Estevão encontrou os túmulos indíginas na caverna do serrote do padre,e não os indios se atirava deixando seu pertence ,essa historia muito mentirosa . quer saber mais vá ao museu da univercidade federal de pernambuco.ou procure os mais velho da sua aldeia e veja de onde vieram e quem são, veja também a historia de Gabriela martim Historiadora a qual foi lá e fez a escavacões antes da “inundação”.vá fundo na vedadeira historia dos pancararus porquen eu tambem estou pesquisando boa sorte.

  5. Você precisa conhecer a historia direitinho, pois segundo pesquisa e documentário, diz o seguinte Dr.Carlos Estevão encontrou os túmulos indíginas na caverna do serrote do padre,e não os indios se atirava deixando seu pertence ,essa historia muito mentirosa . quer saber mais vá ao museu da universidade federal de pernambuco.ou procure os mais velho da sua aldeia e veja de onde vieram e quem são, veja também a historia de Gabriela martins
    Historiadora a qual foi lá e fez a escavacões antes da “inundação”.vá fundo na vedadeira historia dos pankararus porquen eu tambem estou pesquisando boa sorte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here