Sou Edmar, meu nome indígena é ITOHÃ

Sou Edmar, meu nome indígena é ITOHÃ, sou da tribo Pataxó-Hãhã~hae, etnia Kamakã. Tenho 20 anos. Convivo com minha familia na aldeia Caramuru. Eu amo a minha tribo e a aldeia onde eu moro. Tenho orgulho de ser brasileiro, mas o meu maior orgulho é de ser o que eu realmente sou, índio!

Tenho muito prazer de mostrar para quem não conhece a minha cultura, que é muito rica.

Na comunidade indígena trabalhamos sempre a produção de artesanatos, como gamelos, cocares, colares, brincos, pulseiras, anéis e até mesmo as nossas armas de defesa contra os inimigos. Usamos nossas armas também para caçarmos e pescarmos (arco e flecha, burduna, lança, zarabatana).
Nós Pataxós-Hãhãhães vem lutando há mais de 30 anos, para recuperarmoso nosso território de 54 mil e 100 hectares, que foi invadido pelos fazendeiros na década de 40. Nesses 30 anos de muita luta para recuperarmos metade de nossas terras, já perdemos mais de 15 lideranças que lutaram até a morte para ver o seu povo feliz. Isso faz com que eu mim orgulhe muito muito mais. Tenho orgulho de ser um guerreiro da minha tribo, mas vou ficar mais orgulhoso quando tivermos com as 54 mil e 100 hectares de terra que nos pertence.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. edmar, eu tive o maior orgulho de ter visitado uma aldeia de indios pataxó quando estive em porto seguro, tive o maior orazer de ter andado na mata com os indios e ouvir as explicações deles soubre a sua técnica de caça, e mais tive o prazer de saborear aquele peixe gostoso assado nas folhas..
    mas o que te quero mesmo dizer é o seguinte meu nome segundo dizem provem de uma tribo também de indios, os terenas e só por isso sinto o maior orgulho , não tens que te sentir inferior a ninguém nem nunca deixares de ter orgulho em ti e na tua tribo.
    eu adorei as peças de artesanato que vi e comprei muitas para oferecer aqui em portugal onde resido e onde nasci eu tenho muito mais idade que tu tenho 44 anos mas nunca deixei de lutar por tudo que acho ser o direito humano, todos os anos vou ao brasil onde tenho muitos amigos de noerte a sul. gostaria de conhecer melhor o vosso artesanato e para isso se quiseres tens aí o meu contacto e poderás fazê-lo gostaria de conhecer melhor também as vossas tradições,.
    ademar nunca mas nunca deixes de ter o maior orgulho na tua gente nos teus pais nos teus avós e ensina sempre ás novas gerações os costumes que vos caracterizam e dão essa beleza que só vós conseguem manter.
    um forte abraço meu para toso da tribo e em especial para ti.

  2. orgulho de ser o que é.Uma virtude de poucos.
    Voce tem essa virtude,alem da beleza do ser indio.Oxala,nós os outros brasileiros, encorporemos a garra dos povos indigenas que nao ficam a esperar que as coisas aconteçam e façamos acontecer as mudanças que queremos.
    um abraço. val

  3. È gratificante ver um ser humano tão orgulhoso de sua natureza.Visitei a aldeia dos pataxós e como todo mundo, me encantei com o artesanato.Moro em Belo Horizonte,MG, e estou tendo dificuldades em me comunicar com alguem responsável pelo comércio das peças que estão expostas entre Trancoso e Praia do Espelho.Gostaria de contactar alguem responsável pelo comércio do artesanato.Os sites que estão na internet (www.pataxós/artesanato.com)não estão abrindo.Grata

  4. Itohã que maravilha é ler e saber do seu orgulho de ser Indio, é com lagrimas que leio seu depoimento. Cotinue firme bravo guerreiro nesse seu ideal de ter de volta aquilo que lhes foi tirado, roubado.
    Saiba que tem muitos como eu, Homem dito branco mas Indigena de coração.Que fica aqui de plateia sem poder fazer nada para poder ajudar seu povo a ter de volta a terra que foi tirada a força e a custa de muitas morte e até exterminio de algumas etnias.
    Que Deus abençoe seu povo e mova os corações das autoridades para resolverem logo esse problema. um grande abraço e quem sabe até um dia poder te conhecer pessoalmnte Bravo Guerreiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here