A índia Atexiar apelida por (Rôxa) tem 55 anos, é uma anciã que trabalha com a cultura e plantas medicinais.

O seu contato com a mãe natureza é constante e o amor que tem pelas plantas é imenso principalmente com as Atexiás (flores), “Porque algumas servem par fazer remédio para curar o nosso povo, além disso, tem grande perfeição com as flores e me sinto muito feliz ao redor, pois adoro observar os pássaros se alimentando das flores e o seu odor recenderem”.

A índia Atexiar sempre se dedicou à cultura desde criança, pois a sua mãe lhe ensinou todos os costumes tradicionais do nosso povo e com estes aprendizados sempre vem colaborando e nos ensinando tudo o que aprendeu com seus antepassados. Além disso, se sente muito orgulhosa de demonstrar a sua origem.

Quando a índia foi expulsa da sua aldeia Caramuru, foi obrigada a morar nas fazendas dos fazendeiros para trabalhar e manter o sustento da sua família, porém ela nunca deixou de cultuar a sua cultura junto com a sua irmã iam escondidas para a mata fazer o seus vestuários indígenas com as folhas da bananeira para executa suas crenças.

“Para nós a cultura é muito importante, por que nos traz muito beneficio para a nossa comunidade; a alegria, união, harmonia, e também ajuda afastar o mal”. Porem a índia está muito preocupado porque alguns não-índios vêm tomando o espaço dos indígenas e deixando a desejar que seja realizado o seu trabalho tirando nossos direitos e alienando alguns dos nossos asbitiá (moça e mulheres ) pois fazem com que nossos parentes se recuam um pouco da nossa cultura e dominado a ato do não índio. Pois sabemos que isso não é correto porque o índio precisa valorizar a sua cultura… e o índio que segui o caminho do não índio que nos maltrata não tem força, e os que cultiva sua cultura tem força e energia e proteção dos nossos encantados.

“Apesar das dificuldades que venho enfrentado adoro muito o guarejá (aldeia) porque Tupã me trouxe de volta para minha terra, e preço a meu pai Tupã que a justiça julgue a nossa Guarejá para que se tornem ampla e livre dos massacres que o meu povo vem”. “Passando. Pois estamos cansados de ver tanto sangue jorrar em nossa aldeia, e esperamos o pai Tupã nos dê paz a nossa gente, pois merecemos ser respeitado como tal.”

Esta entrevista partiu de Yonana para com a índia Rôxa Pataxó Hãhãhãe

yonana@indiosonline.org.br

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Parabens Yonana!
    A historia de ROXA é linda demais!!!
    Conheci ela mas nao conhecia nada do que voce contou… Muito obrigado!!! Quando encontrar abrace ela da minha parte!
    Ela ja mudou? Esta morando onde hoje?

  2. Seba: a india Róxa continua morando na Milhagrosa pois o local que retomoram ainda não foi liberado ela justiça… além disso nao contei nada apenas foi uma entrevista que fiz… toda esta história foi contada pela propria india.

    abraço:

    Yonana

  3. Muito bonita esta historia´porque so mesmo por amor a vida alguem vive para ajudar as outras pessoas , assim como esta indía Atexiar (ROXA) que com sua experiencia faz seus remédios para dar a alguem.

  4. Yonana , parabéns pela reportagem !! Nas nossas raizes e nos bons exemplos de vida, é que encontramos força para lutarmos e seguirmos a vida com dignidade. A história de vida de Atexiar ( Roxa ) é um exemplo disso , de uma pessoa que apesar das dificuldades da vida , conseguiu e consegue transformar as pedras e espinhos da sua existência, em flores , e dedica toda sua experiência de vida para ajudar as pessoas. Isto é uma lição de vida!!!

  5. Olá, adorei a história da índia Roxa e gostaria de saber se Flores em Pataxó se diz mesmo Atexiás, pois achei o nome lindo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here