Relatório de Viagens

Povo Truká – Aldeia Caatinguinha –  dias 8 e 9 de dezembro de 2009

No dia 7 de dezembro em uma segunda de tarde a equipe formada por Alexandre Pankararu, Graciela Guarani, Ivana Cardoso (Tupinambá) e Tiago (tupinambá) chegaram á aldeia Caatinguinha no município de Cabrobó – PE. No caminho para a aldeia encontraram uma liderança da aldeia o senhor Edinaldo, e conversaram com ele, para confirmar a hospedagem no local. Também conversaram com Claudia truká, fomos ao mercado para comprar alimento para os dois dias que ficamos lá, ao final da tarde foram se acomodar, no posto de saúde da aldeia.

No dia 8, na terça feira, as 8:00 horas da manha se deu início as oficinas. Começou com o ritual de apresentação, das pessoas que estavam presentes e também objetivo da equipe lá, apresentação da rede Índios On-line, com vídeos.

Na segunda parte pela manha depois de todas as apresentações e explanações dos presentes, Ivana iniciou com a oficina de Cidadania, em sua oficina, ela ressaltou a importância de se conhecer alguns direitos de todo cidadão que são garantidos por direito na Constituição Federal. Também a necessidade das pessoas terem mais ações cidadãs, para um melhor convívio.

Durante a oficina, foi citado também a importância de se conhecer melhor o lugar onde se vive, se a aldeia já é demarcada, qual o numero de pessoas, como anda a saúde, ações que todo cidadão tem que tomar conhecimento.

Ao decorrer da oficina, foram apresentado um slides, como todos estes itens e outros mais, a fim de deixar a oficina mais dinâmica.

Em seguida após terminar a oficina de Ivana Cardoso, Graciela Guarani, falou sobre o etno-jornalismo e suas especificações, o que é, algumas dicas. Alexandre também deu sua explanação referente a este assunto, contado um pouco da importância de se ter etno-jornalistas dentro de suas próprias comunidades.

Houve também comentários e algumas falas dos jovens que lá estavam presentes.

Graciela também ressaltou a importância do protagonismo para desenvolver todas estas ações, tanto as de cidadanias como a do etno-jornalismo, a importância de fazer acontecer, de fazer a diferença.

Após estas duas oficinas ministradas por Ivana Cardoso e Graciela Guarani, deu uma pausa para o almoço e durante o almoço alguns vídeos com o celular foi apresentado.

No período da tarde, a oficina começou com Alexandre Pankararu, onde ele falou de inclusão Digital, do avanço que o mundo digital deu.

Após este tema, Alexandre junto com o auxilio de Graciela Guarani começou a oficina de fotografia. Ele deu algumas noções básicas de como se obter uma imagem boa, levando em conta a luz, a temporização, o campo de trabalho, o peso de uma imagem, tipos de fotografias.

A oficina contou com uma apresentação de algumas fotos no telão, para observarem tudo o que foi dito, analisarem na foto o que foi passado.

Após a oficina de fotografia, Alexandre falou sobre vídeo. Ele citou os planos que existe dentro de uma cena, explicou algumas funções que existe em um filme, como por exemplo, o Continuista, o diretor de Fotografia. A elaboração de roteiro. Ele ressaltou que mesmo com uma câmera de celular ou uma simples câmera digital, se pode fazer um bom filme, contanto que leve em conta algumas noções básicas de como se fazer uma filmagem. Disse que a eitagem de um filme com o celular ou uma câmera digital comum não precisa de um programa profissional, ele pode ser feito no Windows Movie Maker, que todo computador com Windows possui.

Após esta parte teórica, houve a separação dos grupos, onde foi divido por temas, vídeo, fotografia, etno-jornalismo, cyber-ativismo e cidadania, os grupos fizeram propostas e ao final entregaram todas elas para que no dia seguinte pudessem ser executadas.

Assim se encerrou primeiro dia de oficinas.

No segundo dia, 9 de dezembro de 2009, as oficinas foram todas práticas, já bem de manha o grupo de vídeo que fez um pequeno roteiro, saíram para filmar as cenas do filme, foram ao rio, caminharam pela aldeia.

Durante a manha os trabalhos também foram divididos, Alexandre ficou com o grupo de vídeo, onde fizeram as cenas e edição, Ivana e Tiago ficaram responsáveis pelo documentário do evento, colhendo depoimentos e Graciela Guarani, ficou auxiliando o grupo de cidadania e fotografia.

No vídeo fizeram um roteiro de ficção, escolheram os lugares onde ia se filmar, os atores. Levaram a manha para terminar as gravações. Após terminadas as gravações, Alexandre convidou três jovens que estavam no vídeo para aprenderem a editar o filme.

No documentário, Ivana e Tiago estavam colhendo imagem do encontro, sobre o que os jovens que lá estavam acharam dos temas propostos.

Depois destes trabalhos, pausa para o almoço.

A parte da tarde as oficinas continuou:

Em cidadania, o grupo escolheu fazer um vídeo documentário sobre o lixo, e com o auxilio de Graciela Guarani, colheram algumas entrevistas, algumas imagens e após terminarem as filmagens as duas moças que fizeram o documentário foram aprender a editar com Alexandre Pankararu.

Durante estas oficinas, o grupo de fotografia estava colocando em prática o que aprenderam, registrando as oficinas, com o auxilio de Graciela Guarani.

A parte da tarde também houve a distribuição das camisetas de Índios On-line.

Foi distribuída uma ficha de avaliação para os participantes, para responderem e avaliarem o encontro.

Depois de realizada todas as atividades, de concluir todos os filmes, já de noite, houve a apresentação dos trabalhos dos grupos, os dois filmes, sendo um vídeo documentário chamado “Lixo um problema de todos”, e o outro uma ficção intitulada de Truká – A pesca.

Com isso foi concluído as oficinas no povo Truká.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR
Militante social pelos Direitos Humanos Indígenas. potyratupinamba@indiosonline.org.br Aldeia Itapoã/Ilhéus-Bahia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here