Realizado no dia 31 de janeiro de 2007, na aldeia Saco dos Barros a Primeira Oficina com as Parteiras no ano de 2007. Mas, excepcionalmente, devido à morte de um homem da comunidade e parente de uma das Parteiras, um número significativo de mulheres não compareceu ao encontro mensal.
As atividades tiveram início às 8:30 e terminaram por volta das 17:00 horas. Estavam presentes, 16 parteiras (Maria Monteiro da Silva, Maria Josineide da Conceição, Maria Julia dos Santos, Sebastiana Acioli da Silva, Ana Maria dos Santos, Maia Januaria da Silva, Maria das Dores da Silva, Adélia Cardoso da Silva, Maria de Assis dos Santos, Sucrécia Helena, Maria Jacielma Monteiro do Nascimento, Jacilene Maria dos Santos, Luzia Azevedo, Elman Anne e Crislaine Silva). Sendo uma aprendiz de parteira que iniciará este ano (Maria Luzania Alves).
Começamos o dia com uma dinâmica, a técnica que utilizamos já fazia parte das atividades, fortalecendo o grupo e destacando a importância de cada mulher, recebendo e repassando conhecimentos e experiências. Foi dado o início as atividades trabalhando o capítulo 2 do livro das parteiras, com o principal objetivo de trocar conhecimentos sobre o que é o acompanhamento pré-natal, os exames realizados, a imunização contra o tétano, higiene, alimentação e lazer. Conhecer a realidade local, quais são as dificuldades de acesso à assistência pré-natal e quais as possíveis soluções. Fortalecer a comunicação da parteira com o sistema de saúde. Reconhecer exames, sinais e sintomas da gestação.
Obtivemos a participação de todas e esclarecemos as dúvidas das parteiras. Após atividade fizemos uma auto avaliação com as parteiras que acompanharam as consultas de pré-natal: Maria Pequena do Jitó que durante os dias que acompanhou até o momento 8 gestantes dando orientações, nos relatou que: “estou aprendendo muito e posso ajudar mais as gestantes”. Tia Ana do Jitó também acompanhou conosco 8 gestantes e também forneceram orientações as mães de primeira viagem. Sebastiana da Tapera acompanhou até agora 2 gestantes. Selma do Caxiado acompanhou 1 gestante e relatou que foi pega de surpresa que não se sentiu preparada para acompanhar o atendimento aquela gestante. Josi da Carrapateira acompanhou 5 gestantes. Darinha do Saco dos Barros até o momento acompanhou 5 gestantes. Dora parteira e técnica de enfermagem do Brejo dos Padres sempre entra na sala para acompanhar o atendimento, mas na maioria das vezes devido à demanda do posto, fica difícil acompanhar uma consulta do início ao fim. Mas durante suas entradas na sala consegue fornecer informações como parteira para estas gestantes e acompanhar toda consulta de enfermagem. Dora acompanhou até agora 20 consultas. Helena Saco dos Barros também acompanhou á 3 consultas de pré-natal. Sucrécia Saco dos Barros acompanhou a 4 consultas de pré-natal. Laurita Espinheiro acompanhou a 4 consultas de pré-natal. (Neide acompanhou a 2 consultas de pré-natal. Neide não estava presente neste encontro, pelo falecimento de seu parente).
No período da tarde foi realizado um trabalho para montagem da bolsa, sendo confeccionado um modelo em papel madeira tendo todas as repartições necessárias para que todo material do kit das parteiras fossem contemplados na mesma.
Também foram realizados por elas os desenhos que serão pintados no mural. Foi passada a técnica de como este desenho seria realizado. E informado que no próximo mês se iniciariam as atividades da pintura dos murais.
Fizeram um modelo do que será o folder (material que irá fornecer algumas informações das parteiras para as gestantes). O conteúdo deste material irá conter uma breve história das Parteiras Pankararu, uma foto delas, indicação de ervas para infecção, inflamação, dores, ervas utilizadas no trabalho de parto e resguardo. Sendo o nome e utilização destas ervas fornecidas diretamente pelas próprias parteiras ao serem procuradas pelas mulheres da comunidade. Também irá conter neste folder algumas orientações sobre direitos das gestantes. Trabalho este que será finalizado após o próximo encontro que estará reunidas todas as parteiras e deverá ter a aprovação de todas ou outras sugestões caso queiram mudar algum item para que o material possa ser impresso.
Distribuímos o cronograma com as datas dos atendimentos de fevereiro e a data da próxima oficina deste encontro de parteiras.
Mas essa oficina só pode ser realizada, através do esforço das profissionais de saúde, do SSL – Saúde Sem Limite, Luzia Azevedo – Coordenadora, Crislaine Silva – Enfermeira, Elman Anne Matos Reis – Técnica de Enfermagem. Que são essas pessoas, que acompanha a saúde Pankararu, por volta de três anos com o objetivo, de buscar melhoria na qualidade de saúde, de um povo que antes da presença dessas pessoas, se sentiam abandonados.

Luzia Azevedo
Coordenadora

Crislaine Silva
Enfermeira

Elman Anne Matos Reis
Técnica de Enfermagem

Alexandre Pankararu
e-mail: alex@indiosonline.org.br

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Gostaria de parabenizar a todos por esse trabalho que conheci através da Crislaine (enfermeira). É maravilhoso saber que a saúde tem sido levada respeitando e incentivando essa cultura maravilhosa que é a indígena.

  2. Parabéns à equipe de saude que esta acompanhando o trabalho das parteiras tradicionais e da saúdeda mulher em Pankararu, quando eu era consultora do Ministério da Saúde, nosso sonho era ver a saúde tradicional indígena caminhar de mãos dadas com a saude contemporânea efetuando trocas e respeitando-se os conhecimentos indígenas. Meu sonho é ver as benzedeiras na unidade básica de saúde dos municípios,trazendo conforto e esperança para um atendimento mais humanizado.É ver as pessoas das aldeias indígenas tendo a opção de se tratar com fititerapia, os indígenas cuidando das suas hortas medicinais, produzindo seus próprios medicamentos.É ver os pajés vindo aqui pra Brasilia, pra eventos promovidos pela FUNASA,ensinando um pouco aos médicos, enfermeiras, técnicos e etc, a parte invisível da doença, as maneirastradicionaisdese tratar. Parabéns pra Coordenadora, enfermeira, técnica de enfermagem e agentes que cuidam da saude pankararu. E meu abraço pras parteiras que estão participando desta programação dinâmica e bem planejada!

  3. O trabalho q é relizado com as parteiras em Pankararu é antes de tudo fantástico…é fascinante a forma com q as parteiras interagem e participam das propostas de trabalho, elas são dinâmicas, participativas e abertas ao aprimoramento do conhecimento tradicional, são lindas!!!!
    Eu pude participar de uma dessas aficinas, só uma, o encerramento do 1º ciclo, e acompanhar as vitórias da maioria delas. Construiu-se uma relaçaõ de carinho, de respeito e de cumplicidade enorme entre as parteiras e a equipe da coordenação, especialmente com a pessoa da Luzia, nada acontecia sem o consentimento de tds elas, homem ñ entrava…ao mesmo tempo era sério e hilário.
    mesmo com o foco voltado a melhor preparaçaõ das parteiras, atenção e cuidados antes, durante e depois do parto, cuidado da mão, do bebê… com certeza o lado humano, sentimental de tds elas ficou mais aflorado. Eu me senti assim…foi mt maravilhoso e gratificante fazer parte dessa enorme família, aprender com as mais velhas um pouco do saber tradicional e até saber mais da nossa própria história… espero sempre ter notícias maravilhosas como essa!!!! abraçs a tds com mt carinho!!!

  4. Olá, li o artigo e, como escolhi o tema para desenvolver minha monografia, seria possível que me enviasse material ou bibliografia sobre o assunto? Agradeço-lhes pela atenção.
    Ana Janice, Sant’Ana do Livramento – RS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here