Em Dourados é finalizada mais uma etapa presencial de aula intensiva do curso de Licenciatura Intercultural Indígena Teko Arandu que funciona com a pedagogia da alternância.
Nós, acadêmicos indígenas Kaiowá e Guarani da Universidade Federal da Grande Dourados, da área específica de Ciências da Linguagem, diante das notícias vinculada na mídia sobre a questão da população indígena de Mato Grosso do Sul tomamos uma posição. A partir de diferentes visões ideológicas acerca do indígena Sul Mato Grossense, muitas vezes falsas como: o índio invasor de terras, o viciado em drogas, roubadores e seqüestradores, fatos polêmicos que precisam ser refletidos, pois sempre a mídia, em sua maioria, divulga seu parecer de forma persuasiva para denegrir a imagem da sociedade indígena.
Diariamente são divulgadas imagens ruins dos indígenas através de vários tipos de meios de comunicação como o rádio, o jornal, a TV, entre outros, por isso estamos nos posicionando diante desse fato negativo. Protestamos através deste órgão de comunicação que nos oportuniza divulgar a nossa realidade vivenciada, os pontos positivos sobre nossa organização social, nossas lideranças, nossa subsistência e a autonomia dos Guarani e Kaiowá que tem o papel de educadores, de caciques, vereadores, antropólogos e acima de tudo, grandes trabalhadores indígenas.
Assim queremos que sejam cumpridos o direito constitucional e os direitos humanos, que sejamos tratados como seres humanos de direitos iguais e universais e que atendam as nossas reivindicações; pedimos o retorno do grupo dos estudiosos que compõe o GT da demarcação e homologação de terras indígenas, a inclusão de políticas públicas nas áreas indígenas, a estruturação e a gestão da educação escolar indígena, investimentos em projetos específicos para cada aldeia do estado e um verdadeiro incentivo ao financiamento na questão de geração de renda para uma sustentabilidade que respeite o modo de vida tradicional dos povos indígenas Guarani e Kaiowá do estado de Mato Grosso do Sul.

Por: Marcilene Martins Lescano, Delfino Borvão, Tomas Vera, Edvaldo Nunes, Léia Aquino, Ilda Barbosa, João Carlos Motta, Maciel Vilhalva Cáceres, Lólia Aquino, Adriano Morales- Acadêmicos da Licenciatura Intercultural Indígena Teko Arandu FAED/UFGD

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. GOSTEI DE VER PARENTES O SOUAR DESSA VOZ INDIGENA QUE LUTA RECLAMA POR SEUS DIREITOS,UM DELES CONSIDERADO UM DOS MAIORES O DIREITO A TERRA, SEI QUE TEM OUTROS, MASA TERRA É SAGRADA.

    PODEM CONTAR COMIGO PARENTES NESSA LUTA, POIS SEI QUE NÃO É SÓ EM UMA ALDEIA QUE SOFRE COM ESSE TIPO DE DISCRIMINAÇÃO, INFELIZMENTE A REALIDADE É MUITO MAIOR.

    ABRAÇOS SANDRA APANKARARU.

  2. E isso ai mesmo parentes, temos que gritar, desabafar e mostrar nossa realidade, pois a muito tempo somos descriminados e criminalisados, e esse conseito que somos á escorgia da humanidade tem que acabar.
    Então vamos todos juntos mostrar para o mundo do que somos capazes!!!
    Estamos juntos nessa, então desabafem dai do MS que desabafamos daqui de PE!!!

  3. Nós somos a energia viva que traduz verdadeiramente a voz singular de tudo que significa natureza racional porque levamos comofundamento básico da vida o respeito às boas tradições naturais deixadas pelos nossos antepassados que pisaram antes as terras que hoje habitamos, sendo claro que apenas um a parte do que originalmente nos pertencia e que foi usurpado pelos ladrões que se intitulam decobridores do que não lhes pertencem e se acharam no direito de tomar na tora. Infelizmente no presente vivemos a lei do mais forte do sistema nacional que só produz maldades do forte sobre o fraco e nem porisso devemos fraquejar, apenas os covardes tombam e cedem, os verdadeiros guerreiros do que é genuino e digno resistem com vigor e o orgulho de pertencer fiel às tradições que geram respeito a natureza e tudo o que vive sobre a terra, nossa mãe acolhedora,onde dela tiramos o sustento para nossa sobrevivencia assim temos que conservar o melhor de tudo que é a dignidade de filhos de Namandú o Grande Espirito que gera e determina a Vida de todos dos racionais ao irracionais acreditando sempre que precisamos agir com firmeza na defesa de nossas comunidades não deixando serem infectadas pelos virus da civilização moderna que tem como objetivo depredar a natureza das coisas. Pajé Rhama Kayapó Tenondé em defesa dos inocentes.

  4. vamos ter que lutar muito os nossos governantes, pois nao querem isso, e força o poder estao nas maos deles.somente um povo unido vai consiguir vencer nao devemos deixar nos abater, pois a luta e grande

  5. Saudações a todos os que lutam em favor de todos e da humanidade carente de tudo: estimulo, energia e fôrça.O melhor é se movimentar e reagir aos desmandos que são impostos por aquêles que só pensam em sí mesmos. não posso aceitar que nações indigenas passem fome enquanto os alimentos são estocados e apodrecem nos depósitos dos orgãos encarregados de distribuí-los,isso é o descaso com o sêr humano carente e merece punição porque tudo pode ser tirado menos o direito ao ar, a alimentação e à dignidade da existência.

  6. meu desejo neste dia é que haja um melhor entendimento entre todos nos que somos naturais e herdeiros da terra que nos foi legada pelo Grande Espirito da Vida e reclamar dos que deixam nossos irmãos passando fome enquanto os alimentos apodrecem nos depositos do governo, um verdadeiro descaso e cinismo sem nenhum respeito à dignidade humana.Isso tem que ter um basta, liderar não é só gritar é reagir da maneira mais contundente de forma que as palavras ganhem eco e venham com resultados práticos, mais respeitos a todos que merecem respeito.somos a resistencia da natureza a todos os pedradores que criam suas ongs apenas para se beneficiarem, fora e já, os intrusos estrangeiros que não tem nada a ver com a causa indigena.

  7. haja paz saúde e força a todas as nações indigenas, sem fome, com dignidade e liberdade às tradições dos nossos antepassados,não é admissivel
    que os alimentos apodreçam nos depósitos do governo enquanto nossos irmãos passam fome em áreas carentes,isso é um ato de sadismo sem limites e que deve ser eliminado de todas as tribos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here