Em 1957, parte das terras da Sementeira são invadidas por posseiros, que ocupam cerca de 220 hectares. Esta área,ficou conhecida como ” Cercado Grande “. Os ocupantes eram cinquenta e cinco famílas, em lotes de 4 a 5 tarefas. Logo iniciaram a derrubada da mata e a madeira cortada e vendida, construíramcasas de taipa, currais, casas de farinha, poços dágua, chiqueiros de bode, de porcos e de galinhas. A terra invadida também foi usada para a agricultura, inicialmente, mas o solo só servia mesmo era para a criação de animais dométicos. NO cercado Grande moravam muitas famílias: Antônio Germano, Pedra Boa, Migué Bode, Arimeto, Zé de Nice, Mané Preto, Antônio Caboco, Antônio Ananias, Lenivaldo. Tinha os que tinha casa lá no Cercado Grande, mas não moravam, só plantavam ou criavam. Uma da famílias que mais marcou o Cercado Grande era o Antônio Germano, Pai de Santo de Terreiro de Camdoblé, conhecido na região. Muitos seguidores de Antônio Germano de vinham de Propriá, de Colégio, São Brás e de outrois lugares participar de seus rituais. Após a retomada dos índios Kariri-Xocó á Fazenda Sementeira, a comunidade solicitavam do Governo Federal a área do Cercado Grande, considerando como terra indígena. Começou o desentendimento entre índios e posseiros, causando um conflito em 17 de fevereiro de 1994, morre dois proprietários, e feridos três indígenas. Em 1995 os posseiros foram retirados do Cercado Grande, o governo renconhece como área indígena, os invasores foram indenizados pelas benfeitorias da terra. Nhenety Kariri-Xocó.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here