Historicamente temos que considerar que vivemos hoje na era da informação, o mundo se transforma, pois a essência da vida é a mutabilidade e não a permanência.
Há quase cinco anos, temos acesso à internet, que funciona como uma fonte de pesquisa e mais do quer isso, tem a função de promover o dialogo, a cultura de paz entre índios e não-índios e o respeito às diversidades. Para acabar com tanto preconceito em relação aos não-brancos (índios, negros, pardos etc.). Recebemos esse incentivo através da Organização não-governamental, a Thydêwa (palavra indígena que significa “Esperança da Terra”). Temos três computadores com acesso à internet gratuita, via satélite, doados pelo Ministério da Cultura. Através dessa conexão, usamos o portal Índios On-Line para divulgar a nossa cultura, numa troca de experiências, onde mostramos a realidade do nosso povo Pankararu.
Nossos guerreiros on-line têm a função de pesquisar e arquivar a nossa própria história, os nossos costumes, as nossas tradições, nossos avanços e as nossas necessidades.
Como Pankararu, acho muito importante esse projeto Índios On-Line, pois nos proporciona mostrarmos a nossa história de vida para os não índios, principalmente para quem descrimina a população indígena. Somos conhecidos e respeitados mundialmente, e em nosso próprio país somos discriminados. Recebemos visitas de pessoas de todo o mundo. As pessoas das Cidades vizinhas não nos conhecem como indígenas, se assustam quando nos vêem fazendo faculdade, quando nos identificamos como índios; acham estranhos, como se fossemos incapazes de encarar um curso de nível superior. Ainda possuem mentalidade de que índios são aqueles de 507 anos atrás, ou seja, moreninho cabelo liso, que vive nu, que mora no mato isolado de tudo e de todos. Parece que eles pensam que paramos no tempo, que não podemos ter acesso a novos conhecimentos, as novas tecnologias.
A cada dia que passa me assusto cada vez mais, com a falta de conhecimento dos não-indios em relação a nós indígenas. Moramos na Etnia Pankararu, mas isso não significa que estamos isolados do mundo. Somos o povo indígena que mais possuem pessoas com curso de nível superior, nas diversas áreas do conhecimento como: História, Geografia, Letras, Biologia, Matemática, Medicina, Direito etc. Além de Maria pankararu, a primeira Doutora índia em lingüística do Brasil. Um exemplo a ser seguido por nós indígenas.

PATRÌCIA PANKARARU
Patrícia.indiosonline@gmail.com

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. É isso aí colega, temos que divulgar os nossos anseios por uma vida melhor, um país mais justo, uma vida digna para todos, e em fim por um mundo melhor!!!!
    Sabemos que isso não é fácil, mas temos que ser otimistas acima de tudo!!!!
    Valeu pela garra!!!!

  2. Pois é parente
    Até hoje ainda encontramos pessoas que nos descriminam, achando que somos incapazes de pensar, onde a maioria das pessoas não indígenas não sabem ou se fazem que não sabem que a muito tempo fomos obrigados violentamente a deixar de falar o nosso linguajá e exercer nossas tradições.
    Espero que essas pessoas racistas q não tem a compreenção do que é cultura índigena leiam essa matéria e façam uma reflexão das diversidades culturais existente em nossa volta.

  3. eu achei muito importante esse texto para aquelas pessoas que tem preconceito de cor ou raça ver que os indios são iguais a todos nós ñ tem esse negócio de cor por que são todos iguais a nós eu sou branca ñ tenho preconceito nenhum contra os morenos eu n gosto nem de mim referir a negro por que isso é um preconceito que todos deveriam deichar de lado e saber que eles são como nós thauuu bjosssssssss para todos espero que teja gostado do texto acima e ate do meu comentario??????? !!!!!!!!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here