Colonialismo continua

O Neocolonialismo: é como uma familia tranquila em sua casa ,os bandidos lá fora planejando como entrar, atacar essa familia, roubar os bens dessa  familia , pegar as mulheres como suas mulheres, matar os homens, levar tudo que tem, principalmente as terras ficando com toda riqueza.    Assim passou e ainda passa os Povos indígenas. no ano de 1492 , 1500  com a chegada de  Cristovão Colombo e Pedro alvares Cabral. Nós Indígenas não sabiamos que o europeus faziam projetos de como iriam tomar essas terras, chegaram portuguesses, espanhóis . Os  Europeus planejavam como fazer, como pegar as terras , como pegar as pessoas, porque escravizaram  indígenas , pegaram as índias como suas mulheres e ficaram com tudo, tomaram toda riqueza.

 

MINERAÇÃO A CÉU ABERTO

 

Essa História aconteceu , continua acontecendo, novas conquistas, em pleno seculo XXI, estão chegando não só pelos mares nos barcos  estão chegando tanto por terra ,  quanto pelo ar. Tem seus projetos, megaprojetos,  de mineração, fazem buracos ,buracos enormes, em busca de ouro,prata,carvão. Eles planejam explorar a mineração, petroléo , estão procurando petróleo  em toda parte ,embaixo da terra,embaixo da água.  Tantos carros, tantas maquinarias precisam de petroleo.  Construções de hidreletricas, precisam das águas, dos rios para a produção de eletricidade. O mineral cota que produz os celulares, pois atualmente temos mais celulares que pessoas e vedem muito.  Todo essa exploração  atingi a fauna a flora, ou seja, atingi  toda natureza.

Liderança Pataxó Hã Hã hãe

 

Assim todos os povos indígenas teem o direito de saber que suas comunidades seram atingidas e devem ser consultados previamente . Pois falam muito em desenvolvimento, quem realmente se desenvolve com esses projetos? os  índios?, não, eles  simplesmente perdem suas terras.

Em 1500 os europeus tomaram essas terras, em nome da religião, em nome da fé, pois os povos indígenas deveriam ser evangelizados pelo cristianismo. Faziam e fizeram em nome da religião, pois os indígenas não eram cristãos,  os portugueses teriam que  evagelizar-los , assim tomaram suas terras e toda riqueza existente nelas  em nome da fé.

Hoje falam que estão tomando as terras dos indígenas em nome do desenvolvimento pois os indígenas não são desenvolvidos , são atrasados, selvagens. Quem vai se desenvolver?  a pessoa que perdeu seu território?, não, pois no momento que perdem suas terras , não teram condições de trabalhar para si próprio, passará a trabalhar para aqueles  que pegaram  suas  terras. Trabalhar por um salario miserável. Essa nova colonização querem tomar o pouco que ainda nos pertencem, ferindo assim nossos direitos garantidos pela Constituição Federal de 1988, a convenção 169 da OIT, Declaração Universal dos Direitos Humanos.

 

Lideranças Indígenas

 

O Próprio Governo  criam Portarias como o caso da AGu, da Advocacia geral da União, Portaria ilegal , criaram a PEC 215  . Violando direitos Universais, direitos constitucionais..

 

 

Oficina Na sede Da Thydewas

Em nome do desenvolvimento, as terras indígenas continuam sendo invadidas, aqueles que não aceitam essa situação são perseguidos e mortos , como o caso de nossas lideranças. Agora eu pergunto , ha quem realmente interessa esse desenvolvimento?

Palestra Esperança da Terra

 

 

Chegou a hora de nos unirmos ,não vamos ser aquela familia desunidade , a desunião enfraquece a luta, o movimento indígena, vamos nos unirmos cada vem mais , pois a união é que faz a força e todos nós unidos , organizados, conscientes de seus direitos, portaria nenhuma  , muito menos PEC 215 poderá contra A FORÇA DOS INDÍGENAS DO BRASIL  E DO MUNDO. DIGO AS NAÇÕES INDÍGENAS  QUE  AVACEM , POIS  NÓS PANKARARU AVANÇAREMOS.

 

Patrícia Pankararu

Gestora da Rede Índios Online

 

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Que o nosso povo acorde mesmo para a união, só com ela teremos força para continuar enfrentando o sistema neorrealista…. Viva ao povo indígena desse país!!!!

  2. E quando estamos despedaçadas(os)naquilo que nos equilibra enquanto nossos seres nativas(os)?

    Umas(uns) parentes morando numa periferia outras(os) em outras e assim por diante? Direito de ir e vir então conversa para boi dormir e galinha cantar Madona!! Mais produção de discursos vazios e letras mortas.
    Existe uma questão mais perigosa hoje e eficiente que chama-se a morte das subjetividades descolonizadoras.Todas(os) nós temos que ser subjetividades colonizadoras ambulantes. O que quero dizer com isso? Que existe um investimento pesado na nossa subjetividade colonial. A descolonização não “precisa” mais (com muitas aspas) de satélites, agentes penitenciárias(os), capangas e jagunços nós temos que ser tudo isso e muito mais em nós e com nós mesmos.Os mecanismos de vigiar e punir estão aí para comprovar. Ninguém te mata mais “fisicamente” (com muitas aspas) mas te matam pelo o que você pensa. Assim destróem o coração das nossas culturas… Quem está ganhando com tudo isso mesmo? São as(os) nossas(os) pajés e curandeiras(os)? Não essas(es) estão doentes nas favelas e bolsões de pobreza… Nossas(os) mães-e-pais-de-santo? Não essas(es) são tão perseguidas(os) quanto nós! Sim o papa e pastoras(es)evangélicas(os)e outras religiões ganhando lindamente com tudo isso…depois vem a Petrobrás que arranca dos povos Guaranis Kaoiwas financiar eventos indígenas!! A mesma que retira é a mesma que diz ajudar nas religiões, na economia,na arte nativa, na sub-vida vegetativa, etc. E assim vamos ficando doentes e ajudando a produzir mais doenças.
    As pessoas ficam encantadas com a artificialidade produzida por toda essa colonialidade. Quanto mais artificial o lugar mais colonizador quando mais próximo e respeitador da natureza mais descolonizador. O capitalismo já percebeu isso por isso o investimento no discurso verde.

    Bom algumas pessoas dizem que não há mais saída acho que uma saída tem que começar por nós mesmos destruir a subjetividade colonial e colonizadora que cada pessoa carrega, guarda e cultiva dentro de si. Depois cantar para o mundo como nos diz a Rita Lee em sua fase pagã. TUDO VIRA BOSTA!!! Sem epistemicídios por favor

    Força guerreiras(os) essas pessoas se esquecem disso!!!

    Marleide Quixelô

  3. E quando estamos despedaçadas(os)naquilo que nos equilibra enquanto nossos seres nativas(os)?

    Umas(uns) parentes morando numa periferia outras(os) em outras e assim por diante? Direito de ir e vir então conversa para boi dormir e galinha cantar Madona!! Mais produção de discursos vazios e letras mortas.
    Existe uma questão mais perigosa hoje e eficiente que chama-se a morte das subjetividades descolonizadoras.Todas(os) nós temos que ser subjetividades colonizadoras ambulantes. O que quero dizer com isso? Que existe um investimento pesado na nossa subjetividade colonial. A descolonização não “precisa” mais (com muitas aspas) de satélites, agentes penitenciárias(os), capangas e jagunços nós temos que ser tudo isso e muito mais em nós e com nós mesmos.Os mecanismos de vigiar e punir estão aí para comprovar. Ninguém te mata mais “fisicamente” (com muitas aspas) mas te matam pelo o que você pensa. Assim destróem o coração das nossas culturas… Quem está ganhando com tudo isso mesmo? São as(os) nossas(os) pajés e curandeiras(os)? Não essas(es) estão doentes nas favelas e bolsões de pobreza… Nossas(os) mães-e-pais-de-santo? Não essas(es) são tão perseguidas(os) quanto nós! Sim o papa e pastoras(es)evangélicas(os)e outras religiões ganhando lindamente com tudo isso…depois vem a Petrobrás que arranca dos povos Guaranis Kaoiwas financiar eventos indígenas!! A mesma que retira é a mesma que diz ajudar nas religiões, na economia,na arte nativa, na sub-vida vegetativa, etc. E assim vamos ficando doentes e ajudando a produzir mais doenças.
    As pessoas ficam encantadas com a artificialidade produzida por toda essa colonialidade. Quanto mais artificial o lugar mais colonizador quando mais próximo e respeitador da natureza mais descolonizador. O capitalismo já percebeu isso por isso o investimento no discurso verde.

    Bom algumas pessoas dizem que não há mais saída acho que uma saída tem que começar por nós mesmos destruir a subjetividade colonial e colonizadora que cada pessoa carrega, guarda e cultiva dentro de si. Depois cantar para o mundo como nos diz a Rita Lee em sua fase pagã. TUDO VIRA BOSTA!!! Sem epistemicídios por favor

    Força guerreiras(os) essas pessoas se esquecem disso!!!

    Marleide Quixelô

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here