Apelos venho fazendo, no sentido de despertar em cada um de nós, independentemente de qual grupo pertençamos, porque acredito na existência de homens e mulheres do bem, que valorizam a vida e lutam para construir um mundo melhor:

* Manifesto: POR UM MUNDO MAIS HUMANO;
* CARTA ABERTA;
* PROPOSTA DE VIDA;
* CARTA ABERTA AOS IRMÃOS DO MUNDO.

É preciso ter coragem, força vital para despertar desse sono profundo, em que a humanidade permitiu conduzir-se. Nós e às futuras gerações estamos sendo esmagados, a insensibilidade tomou conta do coração humano. Há uma cortina de fumaça bastante densa, tapando os olhos do homem moderno. Ninguém consegue olhar para ambos os lados, seguem uma única direção o abismo.
O homem está deixando de ser gente, para se tornar “coisa”. Nesse estágio, em que uma grande maioria se encontra o que importa é o acúmulo de riquezas, para ser o melhor do mundo, e não fazer o melhor para o mundo. Não se fala mais em três armas imprescindíveis para viver em harmonia com a Mãe Natureza, consigo mesmo, e com os outros, que são: Respeito, Amor e Confiança.

Fico imaginando, como seria se ainda estivessem entre nós líderes que lutaram contra as injustiças praticadas contra o Povo. Será que estávamos vendo tanta dor e tantos sofrimentos, descasos e desmandos, e impunidades?

Importante lembrar nomes como: Jesus Cristo, Buda, Gandhi, Rodrigo Diaz de Bivar, Genghis Khan, Saladino, Luther King, Zumbi dos Palmares, Nelson Mandela, Madre Tereza de Calcutá, Malcom X, Xicão Xukuru, Ângelo Kretá, e muitos outros, até mesmo anônimos, como o Comandante Marcos dos Zapatistas, esse continua lutando.

Muitos desses obtiveram êxitos, outros fracassaram, e, alguns são lembrados para manipular as massas, distorceram o verdadeiro sentido de lutas por justiça, união, e amor entre os homens, e transformaram em comercialização da fé. Esses Grandes Homens lutaram no sentido de evitar, que os homens se tornassem individualistas.

Eles, não cruzaram os braços, não ficaram apáticos. Às Nações Indígenas, lutam há cinco séculos contra as injustiças, e violências praticadas contra nosso Povo. A negação da Sociedade sobre nossa existência promove o maior genocídio jamais visto em todos os tempos. Todos os dias matam uma criança, um jovem, um adulto, um ancião indígena. Mesmo diante de tantas atrocidades não cruzamos os nossos braços, continuamos lutando para garantir o direito de viver em liberdade. Essa nossa resistência nasce na luta coletiva por sabermos que somos um só corpo, e fazemos parte do todo.

Vivemos um momento em que a luta não cabe apenas a um determinado grupo, e sim para todos os seres existentes neste planeta. Todos os instantes, melhor dizendo, a cada milésimo de segundo, uma atrocidade, mais excluídos são fabricados, mais uma árvore é derrubada, mais um direito é violado. Os meios de comunicação vêm tratando desses assuntos de forma, que promove a ilusão de estarmos distantes, como se tudo fosse surreal.

As leis não funcionam ninguém respeita às normas, ética e moral foram substituídas por banalidade.

O destino reservado ao homem moderno está pautado em veículo de produção, é preciso produzir cada vez mais, e consumir mais ainda. Não precisa preocupar-se com educação, saúde, trabalho digno, distribuição de renda, e moradia de qualidade, para todos. Precisa-se de uma massa de homens descartáveis, basta-lhes oferecer “Pão e Circo” (políticas de assistencialismo, carnaval, e cerveja). O importante é manter as famílias desestruturadas, escolas e religiões, a serviço dos Poderosos?

Quanto mais divididos estivermos mais enfraquecidos ficamos, quanto mais estratégias de manipulação – domínio – forem usadas, mais influenciados seremos para não perceber os interesses dos gananciosos que assolam a humanidade.

É preciso unir as pessoas, que estão espalhados, e que ainda acreditam em um mundo melhor, sem fome, sem guerras, sem miséria, sem mentiras.

Precisamos tomar como exemplo esses líderes, pela força moral e perseverança, e não usá-los em discursos para enganar o Povo, a fim de formar impérios, acumulando maior quantidade de bens, mas, para fazer acontecer uma mudança, reagir, tomar coragem, enquanto a tempo de salvar um futuro melhor para nossos filhos. É preciso resgatar o senso coletivo, a luta em conjunto, o individualismo foi apregoado tão sutilmente, que passou despercebido, e hoje, é o maior responsável pelo nosso enfraquecimento diante das várias intenções de domínio de um Povo.

Dar um basta nessa grande mentira, que deixou de ser um modelo econômico, e passou a ser um estilo de vida, que nos têm levado a loucura. A Humanidade está ficando cada vez mais, sem rumo, sem direção. Uma neurose foi instalada, provavelmente, metade da população já está dentro, ou na porta de um manicômio. Não existem perspectivas de uma vida saudável, de ser feliz. O que será das nossas futuras gerações, se não agirmos imediatamente? Colocar nossos pés na estrada, e cobrar diante deles através do exercício pleno da cidadania, fazendo aqueles, que escolhemos para nos representar, cumprir os desejos da maioria, e não apenas de um pequeno grupo. Temos como exemplo uma Constituição, que se de fato cumprissem, o que tem escrito, promoveria a Igualdade entre todos! Vamos fazer valer, e exigir respeito pelos nossos direitos fundamentais.

Indígenas, Afrodescendentes, Homossexuais, Trabalhadores, Empresários, Donas de Casa, Pessoas de outras nacionalidades que abraçaram essa Grande Nação. Todos os Movimentos Sociais, que lutam por dignidade, e melhor qualidade de vida, é preciso unir às forças, soltar o grito que se encontra preso em nossas gargantas, e sairmos pacificamente em busca de soluções, que venha possibilitar um MUNDO MAIS DIGNO!

UNAMO-NOS, BASTA DE TANTOS DISCURSOS, E DE LUTAR ISOLADAMENTE!

Yakuy Tupinambá
Representante Indígena do Povo Tupinambá de Olivença
E.mail: yakuy@indiosonline.org.br

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Caro Parente Yakuy:
    Tudo que escreveste, os nossos antepassados já haviam
    previsto há muito tempo atrás, sobre esta época de ajustes
    porque passa toda a humanidade,de exploração e desrespeito
    à Mãe Terra,da perca dos valores adquiridos através de vá-
    rias geraçôes e do egoísmo e comsumo desenfreado.
    É difícil mas, precisamos estar-mos ligados às energias
    construtivas que emanam dos Grandes Irmãos,cujos alguns
    nomes voçê citou que,são encarregados de todo o processo
    cósmico evolutivo,no qual estamos inseridos.Saudaçôes indígenas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here