O conceito da Ong. Ação Cultural Indigena Pankararu, focando neste momento a educação de nossos jovens Pankararu, futuro da nossa nação.
Solicitou bolsas de estudos, a qual está em apreciação 2 (duas) bolsas de estudo de Eco-turismo.
Esteve presente os representantes da Ong. na ABL – Centro de Treinamento Especializado em Turismo, fazendo jus a solicitação de parceria com bolsas de estudo. Em dialogo com o Diretor Geral da entidade ABL Sr. Lacerda, o qual conseguirmos mais, o direto não só vai analisar a solicitação das bolsas de estudo para nossos jovens, como também propôs trabalhar junto com a Ong. em um projeto de resgate do dialeto dos Indígenas Pankararu.
Nesta visita que fizermos a Escola de Formação em Eco-turismo, apresentamos a nossa Cultura e foi colocado o contexto histórico da migração dos Pankararu para São Paulo.
Estamos torcendo para que tudo de certo, pois está para ser agendada uma visita do Diretor Lacerda a nossa comunidade, aqui em São Paulo.
Logo após os alunos da Escola fizeram apresentação de uma peça teatral, falando dos Indígenas Tamoio do Amazonas para nós.

Essa história falava sobre o “homem branco” nas terras dos Tamoios no Amazonas como: invasão nas terras indígenas, agressão física, sexual e moral com as índias e depois desse relacionamento nasceu uma “curumim” a qual teve o nome de Mandi, com as características do “homem branco”, estereotipo esse que somos questionados também. Mas enfim, com o nascimento dessa criança miscigenada, o Cacique decretou a morte a essa criança, pois eles não permitiam relacionamento fora de sua comunidade étnica.

A mãe dessa criança indígena ao ver o local onde Mandi “curumim” foi enterrada, chorou sobre o lugar.
Essas lagrimas fez brotar do chão um ramo todo folhado. No pé deste ramo nascia varias raízes grossas, foi quando numa grande falta de alimento, a Mãe de Mandi resolveu comer, então ela preparou as raízes e colocou ao tampo de pedra para assar. Depois serviu para o seu povo, quando todos tinham terminado de comer, o cacique viu a felicidade de seu povo satisfeito e perguntou a Mãe de Mandi.
Onde você conseguiu esse alimento. A Mãe de Mandi respondeu que foi a “curumim” Mandi que mandou para o seu povo que estava com fome.
O Cacique então resolveu procriar mais mandi, pegando suas mudas e replantando. Porque era ela que estava trazendo a felicidade para o povo Tamoio.
Então diz que Mandi é hoje a Mandioca, a qual é o alimento mais usado pelos povos Indígenas.

Cabe ressaltar que essa foi uma história contada por esses alunos que estudam Eco-turismo, e fazem apresentação desta peça.

Acão Cultural Indígena Pankararu
acaopankararu@gmail.com

www.acaopankararu.blogspot.com

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here