Palavras Pataxó

A
Akuã: flecha
Amahã: joelho
Anderú: Jesus Cristo
Anerron: você
Angorró: lua
Anrrô: não Apahab: dedo
Apahab taing: unha
Apaká: pé
Apekoy: corpo
Apiba: acabou
Apinaera: capim
Aponem: felicidade Aporã: chorar
Aporrenor: triste
Arnã: eu
Arronrrê: como
Atxaga: gritar
Atxekô: coxa
Atxuhim: sorrir Auê: dança / amém
Aueng: sangue
Auêry: obrigado
Auiry: bom dia
Auptxuy: osso

B
Baiachú: bonito (a)
Baiká: feio
Bain: gostoso (a)
Baquira: doido (a)
Bodiapé: pão
Borê: ouriço ou caça
Brem-há: mata Chukakai: galinha

C
Crukê: comer

F
Foró: apagar

G
Guarapijope: guaraná

H
Há-ru-rê: namorar
Há-ru-rê-rê: chamando
Hahãu: terra
Harmônem: essa
Herton: te amo

I
Iamani: mãe d’água
Imamakã: mãe
Impa-makiame: homem velho
Impankega: pouco doente
Impaú: mata
Incheu: cabelo
Indirry: não índio
Ingãe: zangado
Ingorar: negro
Inhanhã: irmão Inkuy: ânus
Inrré: moça
Inrê: cola
Intwo: vagina
Intwy: pênis
Ipakey: borboleta
Ipapamakã: pai
Ita: pedra
Itacimirrim: pedra pequena
Iterremã: irmã
Itohã: céu Jacy: lua

J
Japonterú: quando
Jaroba: bebida indígena
Jokana: mulher
Jompeke: fogo
Jongretônio: cigarro
Jonkate: carro

K
Kakaribóya: canoa
Kakorrecor: velho
Kakucecá: homem
Kakuçu: rapaz
Kamaiurá: coragem
Kamandú: cavalo
Kamanduna: irmã
Kamanetor: titia
Kamonetá: tia
Kanhambá: dinheiro
Kanhandura: cobra
Kanomem: querendo
Kaô: pode chegar
Kapimbará: capim do rio
Kaponetur: pai
Karab: viver Karnentur: minha
Karretar: laranja
Karretokor: esse
Karrukê: filha
Karter: jaca
Katonêtur: amigo
Katoney: veio
Katumbaiá: protetora de animais
Kauim: bebida indígena
Kayboca: cachaça
Kerretorré: avó
Kichey: fósforo
Kijeme: casa indígena
Kitoke: menino
Kitokirré: menina Koiçamba: pindaíba
Konrrêrru: filho
Kôor: bom dia
Korrã: bebida indígena
Korro pootá: fui longe
Kortur: nome
Kotê: tomar
Koténokor: seu
Kuinhuna: farinha
Kuké: cachorro
Kumandá: feijão
Kuparaká: paca
Kurroon: dormir
Kurrú-kurrú: andando
Kurrupatá: embora

L
Luar: bebida indígena

N
Niamissum: Deus
Napynotor: nossa
Niamã: entendeu
Nitinwã: frutas
Nôtem: agente

M
Macaíaba: beijú
Maçaka: colar
Maion: luz
Makiame: velha
Manãe: veado
Manaitê: boi / vaca
Manguepá: transar
Mangute: comida
Mantureba: mata grossa
Mela: é
Merki: açúcar
Mikay: facão / machado
Mikay-minir: faca
Minhanga: água
Miriaú: boa tarde
Muká: unir
Mukaú: reunir
Mukue merum: morreu
Mukueme: está mau
Mukunã: mandioca
Mukussuy: peixe
Murici: cala a boca

O P R
Oriça: levanta

S
Sirnã: arroz
Sumiatá: cantar
Suninha: carne
Pankenga: dó / pena
Parnem: me dá
Parrã: gorda / barriguda
Patathay: sapato
Patixi: aldeia
Patwtwo: cortar
Paú: madeira
Peguôr: matar
Pinapon: olhar
Pion: primo
Popaitã: que dor !
Porrenrrú: vida
Potui: bébado
Raiô: sol
Ramaten: sol
Ramanteu: vovô
Ramiar: dançar
Rá-rê-rê: namorado / a
Rembá: grossa
Remuá: barulho
Remunganha: onça
Renurrê: pisar
Ronrê: amanhã
Rontem: ontem
Rontêrru: meu
Rontôn: uma
Room: cansado
Roterror: nós

T
Takape: lança
Takoretor: mãe
Takunarré: bem
Taku-rá: boa noite
Takurrã: boa sorte
Tamuré: canoa
Tapaihum: cor preta
Tapira: anta
Tapitá: banana
Taponetar: tio
Taponetor: titio
Tapuio: selvagem
Tapuritur: mais
Taputá: bem vindo
Taputary: parente
Tarrão: café
Terré: chuva
Thiangôn: tchau
Thirry: índio
Thirry-impar: índio homem
Tibirimã: panela
To: acabo
Toke: dê-me
Tokerê: quero
Tokerrê: pode
Tokorrê: em
Tokorrer: vovó
Tomêtur: a
Tonempurrú: algum
Too perrê: ele / ela
Topê: assentar
Torkorre: para
Torno terrê: comprar
Tornon: vai
Torotê: está
Torotear: estar
Torrê: sede
Torrem-poré: caminho
Torrom-rê-rê: foi
Torrom-poré: marido
Toxuy: dente
Traira: onda
Trioká: caminha
Tuke-tukerrê: boa sorte
Tupissai: roupa
Turrutarry: hoje
Twrrap: vamos
Txury: mentiroso

W
Werymerry: amor
Wlathathum: pode tomar banho
Wlathathuy: banho

Somos Pataxó, somos da Frente, somos Guerreiro

Por Edmundo Santos
conaferd@hotmail.com

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

28 COMENTÁRIOS

  1. Na escola da Aldeia Cinta Vermelha-Jundiba somos várias familias Pankararu e Patxó.Aqui também estamos estudando a lingua Pataó e Pankararu.Alguem tem dados sobre a lingua Pankararu?
    Ivan-Conselho dos povos Indígenas de Minas

  2. Sou professor e venho divulgando há muitos anos a cultura dos indios pataxó no Rio de Janeiro. Desenvolvo um projeto, onde, no mes de abril recebo a visita dos indios e apresentamos a cultura indigena para escolas, empresas, municipios e outros.
    Os indios ficam sob a minha responsabilidade ficando hospedados em casa confortável, recebem alimentação e recebem por suas apresentações.
    Gostaria de manter contato com alguem que se preocupe com as causas dos indios pataxó. Precisamos trocar informações.
    Grato>
    Prof. Pedro das Neves
    e-mail: p.lsn@uol.com.br

  3. Reserva Pataxo da Jaqueira

    A reserva da jaqueira e uma area de 827 hectares de pura mata atlantica rica em biodivercidade e lutamos pela sua preservaçao.E um lugar sagrado para nos e temos o contato com mae natureza e desenvolvemos um trabalho cultural do povo pataxo.hoje desenvolvemos o trabalho de etno-turismo que e um meio de sustentabilidade atraves desses recursos resistramos uma associção ASPERCTUR.Atraves da nossa organizaçao estamos sendo bastante visitados por brasileiro e estrageiros e queremos que o nosso trabalho seja mais divulgado contamos com seus opoio.
    Meu nome e JUARI
    Tel: (73)3672-1058 -88211865

  4. Oii..uma vez visitei a aldeia da coroa vermelha e vi uma palavra escrita na parede,era Wedxoua,nao me lmbro o que significava,alguem sabe me dizer?!agradeco desde já.

  5. adoro voces, estive ai em 2004 com tengui, e todos os outros.
    em meu blog na internet tem fotos de eu com voces.
    vejam meu blog de artesanato, gostaria muito de ter ca o vosso. eu considero-me um pataxo portugues.

  6. Seria muito bom continuar acrescentando palavras da linguistica Pataxó.
    É um jeito de continuar com as raices da cultura.

  7. observei que na liguistica Pataxó aqui encima citado, não corresponde a liguagem estudadas nas escolas indigenas Pataxó, cito que a ligua estuda nas escolas indigenas e o patxohã lingua oficial.

    Espero receber respostas o mais breve possevel.

    txãgô(tchal)

  8. Olá amigo!não te conheço até porque não deixou seu nome.
    Sou professor de Patxôhã trabalho na Escola Indígena de Coroa Vermelha,só gostaria de tirar algumas dúvidas referente a essa disciplina e as palavras acima citada.
    Essas palavras foram colocadas ao publico no inicio da pesquisa de campo,sem correção,revisão e analise ortografica,mas hoje temos um conjunto de palavras revisadas e atualizadas pelos integrantes da equipe de pesquisa.Quanto a palavra Patxôhã ela não veio mudar nada na nossa cultura e língua,pelo contrário essa versão veio fortalecer,enriquecer e preservar com mais eficiência no que diz respeito a uma complexidade de valores e tradição do nosso povo Pataxó.Nas escolas indigenas pataxó dentro do curriculo ela pode ser colocada das duas formas que não vai influênciar em nada,ou seja,mudar,pode ser Patxôhã ou língua Pataxo.
    Especificando o nome Patxôhã,surgiu em 2003,com a junção de palavras da nossa língua como por exemplo:Pat-Pataxó,Atxôhã-língua e xôhã-guerreiro.Que quer dizer Linguagem de Guerreiro Pataxó.
    Qualquer dúvida pergunte-nos.

  9. Nossaaaa, muito bom esse vocabulário e muito boa essa cultura respeito muito, o povo índigena.
    Valeu!

  10. Sou brANCO e tive o privilégio de conhecer a reserva da jaqueira com a minha família e amigos … Conhecemos a través do amigo GuARACI, filho do Pajé… Valeu muito… Foi muito bom os momentos vividos dentro da energia da terra… Isso é o meu Brasil … É tudo de bom…

    AUÊRY…

    oBS… Comi umpeixe na folha de patioba que estava 100, dez é pouco… Muito bom…

    Quem não conhece vá conhecer e esperimentar o qué é o Brasil…

  11. Vamos fortalecer essa etnia é tudo de bom, COMENTEM NO SITE …

    É a nossa essência e raiz… Valeu Pataxós pela resistência… Vcs são guerreiros, são fortes, filhos da terra Brasilis e donos por excelência das purezas, belezas e cultura de uma nação…

    Pelas etnias indígenas e tudo mais que é direito dos donos da terra eu voto sim!!!!

    AUÊRY – NIAMISSUN – TAKURRÃ …

  12. Um tempo atrás eu tinha muito preconceito com as tribos indígenas daqui do Brasil. Principalmente dos que viviam em minha terra ( Bahia) depois descobrir que faço parte dessa maravilhosa tribo pataxó nem tem como não reparar apenas os meus traços faciais ( olhos puxados ) e a pele morena diz tudo . Hoje eu admito, tenho o maior orgulho do meu povo e maior orgulho da minha raça !

  13. Estive em Coroa Vermelha nos dias 14, 15 e 16 de janeiro de 2012, amei a língua Pataxó, já estudo a cultura indígena a algum tempo, falo um pouco de Tupy, já tive contato co índios Tupis e sua cultura, e agora estou apaixonada pela cultura Pataxó, comprei um cd de músicas Pataxó e o amei, gostaria de me aprofundar na língua Pataxó, seria possível a compra de apostilas ou livros didáticos da lngua Pataxó – Auêry

  14. á minha vó era indio pataxa eu gostária de saber se tem um significado do meu nome na lingua indigena(pataxos) muito obrigado…

  15. á minha vó era indio pataxo eu gostária de saber se tem um significado do meu nome na lingua indigena(pataxos) muito obrigado…

  16. Importante para la unificación de Lenguas Nativas de Américas, ésta lengua es parte de la Gran Lengua hablada en América Nativa ante de la llegada de los Españoles. Sería importante que cada nativo de las distintas tribu compartan sus propias leguas, para unificar la Gran lengua Nativa de América.

  17. Olá! eu estudo no Ifba Campus de Porto Seguro, queria perguntar se há alguma possibilidade de um curso online da lingua Pataxó? Seria bem interessante algo do tipo, até mesmo, para preservar nossa cultura indigena.
    Sou descendente direto de Pataxos mais não fui criado e nem ensinado com a cultura indigena, por isso busco a aprender um pouco mais sobre a história do meu povo. E com certeza aprendendo mais da lingua Patxôhã seria um otimo começo.
    Adorei o trabalho aqui no site e se eu puder ajudar de alguma forma, está ai meu email, é só entrar em contato valeu… Abraço

  18. Estive com os índios pataxós, na reserva da Jaqueira, na Bahia. Pelo que um deles me explicou, a palavra “katumbaiá”, para a figura de uma índia,que se trata de uma entidade espiritual, significa “espirito protetor da floresta.
    Mas, tenho visto a palavra com tradução de “protetora de animais”.
    Qual seria o correto?
    Teríamos,com “floresta”, eventualmente,um significado mais amplo, pelo que entendi.Uma protetora de floresta, estaria abrangendo tanto a proteção da fauna, como a da flora.
    Daí minha dúvida na tradução.
    Aproveito para acrecentar a palavra NAKTAMANIÃ, que significa “princesa”,para os pataxós.
    Agradeço quem puder me esclarecer.
    Abraços.

  19. Falei com o Indio Muiri Pataxó em Porto Seguro, em frente a igreja do marco zero, ele estava lendo uma bíblia e me ensinou algumas palavras do seu idioma. Awêri Nokteiná Niámisum Ykô Tapuritú Apetxenã txaywã” tradução; obrigado grande Deus por mais um dia. “Syratã = Jesus, Wekenã = Paz, Aponahy = Feliz e Tuke Tukerê = Boa Sorte, minha contribuição ao dicionário. WEKENã.

  20. OlÁ!

    Sou artista plástica e estou fazendo uma série de pinturas focadas nas tradições indigenas da Bahia, moro em Salvador e preciso de fotos que possam ser cedidas para pin

  21. Olá.

    Breve nasce meu filho e gostaria de dar um belo nome Pataxó.

    Vocês poderiam me enviar uma pequena lista de nomes masculinos Pataxó com seus respectivos significados?

    Grato

  22. Tenho carinho de saber que meu avó Herethiano Braz foi o primeiro a dizer que a etnia do meus parentes é Pataxó.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here