por Sassá Tupinambá*

Na madrugada de sábado para domingo, dia 18 de agosto de 2013, Potyra Te Tupinambá (Ivana), uma das lideranças de Olivença, Ilhéus-BA, sofreu um atentado incendiário, que não ceifou a vida da militante indígena porque nesta noite a mesma não dormiu em sua casa, que fica na Aldeia Itapoã.

1005485_3410856727859_1921720215_nFoi por volta de meia noite, quando sua vizinha acordou para trocar frauda da filha percebeu o incêndio na casa da liderança e junto com outros indígenas conseguiram apagar o fogo, porém não antes do fogo destruir os pertences da residência.

Potyra, que não estava na casa na hora do atentado, está muito assustada com o crime contra ela, não sabe quem pode ter ido até a aldeia para atear fogo, nem sabe quem foi o mandante. O que se sabe é que a situação na região está tensa e desde a semana passada outros atentados também foram realizados, como o denunciado por Casé, no portal de notícias Índios on Line, dois carros portando doentes ao hospital fora atacado e incendiado na Serra do Padeiro, no munícipio de Buerarema e dias antes deste, um veículo transportando estudantes foi alvejado de tiros. Há registros de dois corpos de indígenas encontrados, ambos foram assassinados.

1003202_3410854287798_1956374850_n

O incêndio na casa de Potyra foi para executar a mesma, pois foi num horário que ela habitualmente estaria em casa, dormindo. O Fogo destruiu mais de ¾ da casa, a qual precisará ser substituída por outra. Ainda destruiu móveis, roupas e livros. Potyra é advogada e tem atuado na defesa e orientação de outras lideranças que são criminalizadas por defenderem seu território ancestral dos fazendeiros invasores, que tem seu braço armado de paramilitares (jagunços) e ainda contam com o apoio da Rede Globo, Rede 1148805_3410852807761_430816173_nRecord, de juízes, promotores, parlamentares, prefeitos e do próprio governador da Bahia. Daí a razão de ser ameaçada de morte. Potyra ainda está chocada com a violência contra seu povo e este atentado con

1185061_3410851887738_316999699_n

tra sua vida. Não fez o Boletim de Ocorrência por conta do receio de ir até a cidade, já que emissoras locais da globo e da record estão incentivando a população não indígena a hostilizar e agredir fisicamente à indígenas, que evitam ir ao centro das cidade de Una, Buerarema, Itabuna e Ilhéus, para não sofrerem violência.

Potyra, assim como outras tantas lideranças Tupinambá é alvo do agronegócio e de redes hoteleiras que invadem a TI Tupinambá, que desde 2009 espera a assinatura do governo do PT, que mantém a homologação engavetada, sem assinatura, provavelmente a presidente dilma está esperando pela aprovação da PEC 215, que passa a respon

sabilidade de demarcar terras indígenas ao congresso nacional, onde a bancada ruralista tem domínio total.

Neste momento o Povo Tupinambá do Sul da Bahia solicita o apoio político das organizações classistas, que lutam contra o capital, pedem que se juntam à está luta pela RETOMADA DO TERRITÓRIO ANCESTRAL.

25946_3410851367725_743191288_n

VEJA MAIS INFORMAÇÕES NOS LINKS ABAIXO:

http://www.indiosonline.net/dias-e-noites-de-terror-em-tupinamba-de-olivenca/

*militante do Tribunal Popular e MIR – Movimento Indígena Revolucionário

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR
militante do Tribunal Popular: o Estado brasileiro no banco dos réus

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here