LIAN

Eu sou Tânia Silva,a pelido Lian tenho 25 anos moro na comunidade Brejo dos Padres etnia Pankararu,nasce e cresce aqui meus pais também cresceram e vivem até hoje na aldeia,no estado de Pernambuco.Porém saí para fazer o curso de enfermagem na capital,onde fui adotada afetivamente por duas pessoas não india que amo muito o srº Valdemar e dona Fátima,me ajudaram na pior fase de minha(eu sofri um assidente de carro e perdi a memoria e eles passaram a ser minha nova família).Hoje sou líder do grupo jovem Renascer aqui de Pankararu luto a mas de seis anos com esse grupo embusca de oportunidades para os mesmos.”Meu maior sonho é conseguir encaminhar esses jovens para o bem e o desenvolvimento pessoal de cada um,abrir portas que futuramente ou até mesmo no presente os traga benefícios e realizações quanto pessoas.”
Tento mostra que em cima de sua cultura podem desenvolver o seu lugar,sua alto estíma,trasformando nossos saberes em soluçoes pois nossa ciencia é muito rica.O arco digital na minha vida foi algo que me fez ver que a união entre povos é possível,pois aqui existe um repasse de experiências e conhecimentos,sou colaboradora do arco e sei o desenpenho de cada um para transformar o arco em um meio “de comunicações e desenvolvimento etníco,mostrando que podemos crescer e se desenvolver em cima de nossa cultura ,cresças, saberes e mitos que o nosso meio é a solução de nossos problemas basta cuidarmos e valorizarmos mas.Nossa troca de ideias sobre saúde por exemplo é muito enformativa conheci ervas medicinas e fiz o repasse o hoje pessoas se tratam com essas ervas e estam melhores hoje, seu poder de cura e benefício que elas pode nos propocionar.O mas gostoso de tudo é aforma que elas são repassadas entre vários indigenas de etnias de ferentes,mas acreditam que a união entre povos é a solução de tudo,pois lutam por mesmo ideal.
Bem! Essa sou eu Lian filha de Pankararu,alguem que acredita no seu povo,na sua cultura e encantos!!!!!!!!!

“Fale também um pouco sobre voçê ,nos deixe conhece-ló um pouco mas?”

Um abraço, Lian!!

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Oláááá´!!!! Como vc tem passado?
    Em primeiro lugar quero te parabenizar pelo trabalho q vc vem fazendo! Embora eu esteja afastada do projeto, venho acompanhando o desenvolvimento do mesmo à distância. A jornada é mt difícil, mas causa é justa. Torço mt pelo seu sucesso, bjus e até breve!

  2. Oi lian gostei muito de sua história de sua garra, estou contigo, pode contar comigo, darei maior força, estamos juntos nesta luta para melhorar nossos povos, desenvolver nossas comunidades.Atenciosamente Nhenety , um abraço.

  3. Muito bem colega temos que nos apresentar e contar a nossa história de vida!!! Com muito intusiasmo!!!!Parábens pelo trabalho colega!!!
    Vá enfrente colega, seguiremos juntos em nossa jornada!!!

  4. Oi Lian, li o seu texto acima, parabens pela iniciativa e pelo trabalho desenvolvido, gostei muito, é isso aí, tenha sempre em mente essa auto estima e a luta pelo seu povo e toda a cultura que vcs possuem que é maravilhosa e de maneira alguma deverá ser esquecida, muito pelo contrário deverá a cada dia ser mostrada e valorizada pois um povo que nao valoriza as suas raízes não tem cultura, nem conhecimento e nem autoestima.

  5. Olá Lian !
    É um prazer entrar em contato com a cultura indigena legitima, eu tenho um amigo que trabalha com as comuninades paranaenses , e tenho assistida aos documentários do Canal 2 Culturas , sobre a nação Xingu.
    Me encanta poder ter o brilho enaltecido da natureza nos olhos dos nossos indigenas.

    Eu moro em São Paulo , li a materia sobro a Real Park , gostaria de trocar e-mails e participar de foruns e chats com voces?
    Se puder me mandar instruções de como proceder ficarei muito honrado.

    Abraços do Amigo

    Evaristo

  6. lendo seu relato posso perceber que se trata de uma guerreira, e só tenho a pedir e torcer para que vc nunca se canse de lutar em busca dos direitos indígenas, sou descendente por parte de mãe, sempre vivi na cidade, sou graduado em arquitetura, mas independente de minha formação, sinto falta da cultura indígena, sempre fui fascinado por descobri um pouco sobre meus avós indígenas. Minha mãe é a única viva de uma mesma família, sua aldeia há muito não existe mais.Agora pretendo me engajar e desenvolver algum projeto.Gostaria de manter contato e trocar experiências.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here