Dorival Vieira Almeida mais conhecido como Juninho Tuxá, agora graduado em História pela Universidade Estadual de Feira de Santana –UEFS, é membro  do povo Tuxá de Rodelas  e mesmo diante das múltiplas barreiras comum a todos indígenas ao sonhar em ingressar em uma universidade pública, Júnior Thyhú Tuxá inaugurou com êxito a porta de saída da UEFS.

No dia 15 de setembro, Júnior Thyhú Tuxá defendeu a sua monografia com o tema “Sociedade indígenas na rota do ‘desenvolvimento’: Os índios Tuxá de Rodelas e a formação do lago de Itaparica em 1988”.Nela os transtornos, as angústias e as perdas naturais e culturais dos Tuxá, provocadas pela construção da Barragem de Itaparica em 1988 são sistematicamente retratadas de forma detalhada, inteligente e comovente já que o historiador contou com o apoio   dos principais guardiões da história e ancestralidade do povo Tuxá dentre eles estão Antônio Vieira Cruz (Conselheiro da comunidade), Armando Gomes Apáko (Pajé do povo Tuxá), João Batista dos Santos ( Cacique do povo Tuxá), Manoel Eduardo Cruz (Cacique do povo Tuxá) e Sandro Emanuel Cruz dos Santos (Liderança jovem do povo Tuxá).

Júnior Thyhú é o Tuxá primeiro indígena a se formar na UEFS.

Durante sua trajetória formativa na UEFS, Júnior Tuxá que entrou na instituição no ano de 2007 enfrentou junto com Jandair Tuxá, Aline Tuxá, Maiane Santos Tuxá, Maiane Cruz Tuxá, Josevam Tuxá, Aratiana Tubinambá e Edmar Pataxó Hã hã hãe as primeiras dificuldades que a universidade apresentava já que a presença de indígenas era algo novo e a política de permanência estava em sua fase inicial.Moradia improvisada pela UEFS, restaurante em fase inicial, falta de apoio dos órgãos responsáveis pela  educação indígena na Bahia, ausência da FUNAI, discriminação e preconceito marcaram os primeiros momentos dos indígena universitários da UEFS.

Em Congresso na cidade de Brasília , Júnior Tuxá participou do manifesto contra a coordenação de educação da Bahia e a Funai.Essa ação deu origem a bolsa auxilio indígena no valor de R$ 300,00.

Foram as dificuldades que impulsionaram a luta pela divulgação da cultura indígena no campus da UEFS, a implantação das políticas de permanência, a construção da Residência Indígena Universitária, a bolsa auxilio acadêmico indígena (convênio FUNAI/UEFS), a residência dos índios Tuxá de Rodelas (convênio Prefeitura de Rodelas/UEFS), bem como a conscientização dos universitários não indígenas e da população de Feira de Santana a favor da eliminação dos estereótipos e das mais variadas formas de preconceito. Essas e outras ações tiveram como protagonistas alguns dos primeiros indígenas e Júnior Tuxá participou de todas, mostrando o quanto é importante não só fazer valer a oportunidade e investimento da instituição, como também mostrar para os jovens da comunidade Tuxá que é possível estudar e mostrar seus valores, sua identidade, suas tradições e culturas dentro e fora da comunidade a que pertence.

O toré dos Tuxá dentro e fora da UEFS, sempre contou com a presença de Júnior Tuxá, um dos principais responsáveis pela divulgação da cultura e tradição dos Tuxá de Rodelas na cidade de Feira de Santana na Bahia.

As conquistas de Júnior Tuxá foram além da conclusão da grade curricular do Curso de Licenciatura em História, o jovem guerreiro Tuxá participou ativamente da Comissão de Ações Afirmativas, concluiu com êxito seu projeto aprovado pelo CNPq, fez parte da comissão eleitoral de Sandro Tuxá, participou de todas as apresentações culturais dos Tuxá  dentro e fora da UEFS e da sua comunidade, e ainda tem tempo de coordenar o “Jégue de Áurea” uma das maiores festas tradicionais da cidade de Rodelas  realizada no mês de janeiro onde o protagonismo do povo Tuxá é exaltado de modo diferente.

Em sua monografia na página de agradecimentos, Júnior Tuxá faz referência e agradece a Tupã, a sua mãe Aldenora que segundo ele é a base da sua força e coragem, uma guerreira Tuxá que nunca o deixou enfraquecer nas dificuldades, um exemplo de mãe que foi segundo o mesmo, a responsável por essa histórica conquista.O pai Dorival, os irmãos Willamy, Tariana, Tayra e Ubiratan,  o avô Antônio Vieira e sua orientadora a profª Zeneide Rios também foram homenageados.

Júnior Tuxá é filho de Aldenora Tuxá, mulher guerreira de família tradicional considerada uma das mulheres mais sábias da comunidade Tuxá de Rodelas.Na foto Júnior Tuxá.

Mesmo sabendo que muitos indígenas que agora estão se beneficiando com as ações que hoje não fazem parte do passado de dificuldades e exclusão vivenciado por Júnior Tuxá e pelos primeiros desbravadores e guerreiros que quebraram as amarras burocráticas comum a todas as universidades públicas não reconhecerão os feitos, o que Júnior Tuxá mais almeja é ver todos os indígenas que já estão na UEFS e os futuros acadêmicos indígenas que ingressarão na instituição dando continuidade a toda manifestação política e cultural, que faz brotar o desejo de ver a comunidade crescer com dignidade respeito e amor a causa indígena, em especial a do povo Tuxá que tem em seu bojo uma história de resistência e superação capaz de vencer qualquer obstáculo apresentado pelo mundo contemporâneo.

Jandair Tuxá.

jandairribeiro@hotmail.com

VEJA MAIS IMAGENS DE JÚNIOR TUXÁ :

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Parabens ao Júnior Tuxá pela realização de seu sonho, concluindo estudos superiores e assim, poder melhor servir aos nossos irmãos indígenas, tão discriminados em nossa terra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here