No dia 05 de dezembro, a partir do meio-dia, será realizado um evento, organizado por indígenas Pataxós,Guajajaras do Maranhão ,Funiôs dentre outras etnias e não-indígenas, no Antigo Museu do Índio, fundado por Darcy Ribeiro. O prédio está em ruínas e corre risco de ser demolido; fica na Rua Mata Machado, próximo ao portão 13 do Estádio do Maracanã.

Esse evento terá como finalidade o abraço à causa indígena e visa transformar o local, onde em maio de 2007 foi fundado o Instituto Tamoio dos Povos Originários, em uma universidade indígena. E também pressionar as autoridades para o tombamento do local pelo Patrimônio Histórico. Durante o evento, ocorrerá mostra de filmes indígenas, venda de artesanato, pinturas corporais e Toré.

No dia 09/12 ocorrerá, o lançamento do livro : UM QUÍMICO NO XINGU de Pierre Andre de Souza.“Esta ocupação indígena existe a exatamente 25 meses,cujo objetivo é ter um centro de propagação da cultura indígena, um espaço onde as aldeias possam ter voz sobre o genocídio silencioso que continua a acontecer desde 1500. Um local onde os filhos da diáspora indígena totalmente invisibilizados pelo interesse secular do Estado possam reunir-se e traçar política para este grupo.Estar lá no dia 9 é fundamental para darmos visibilidade à nossa causa.”
Marize Tamikuan

Desde outubro de 2006 ,nossos parentes estão na luta por esse sonho,mesmo com os obstáculos que se levantam e o descaso.
Ao longo dessa jornada muitas amizades e aliados vão surgindo.Ciganos,Brancos,Afrodescendentes,muitos tem se sensibilizado com a causa e despertado para a realidade dos povos indígenas no Brasil.

O local recebe visita de escolas,universitáros,professores, pessoas de vários segmentos da sociedade.Porem existem periodos que nossos parentes passam necessidades no local,mesmo com chuva,frio,fome ,existem aqueles que continuam firmes no local com muita determinação e na luta por esse sonho.Um deles é Garapirá Pataxó de Porto Seguro – BA, que está no local desde o inicio da ocupação,enfretando muitas dificuldades , porem firme e com muita esperança de que um dia finalmente o local seja reformado,Garapirá tem recebido força de uma grande aliada,a pajé Niara Funiô que tem se dedicado a causa com muito carinho e garra.

Nós ,enquanto indígenas ou indiodescendentes, continuamos na luta para que nos reconheçam um lugar digno e justo.Em todos estados do Brasil parentes de todas etnias ,com muita determinação lutam cada um a sua maneira, fazendo sua parte.É chegada a hora do governo despertar cada vez mais para educação,cultura,políticas públicas.
Basta de mentiras e falsas promessas,são 508 de sofrimento,não queremos que sintam pena de nós porem sim tenham respeito por nossas culturas e que as leis sejam cumpridas.Sabemos que o descaso não é apenas conosco mais com todos aqueles que pouco tem em seus “bolsos”.

É preciso união e muita conscientização!

Resistência sempre!

Renata Tupinambá – Niterói- RJ
renata.machado.rj@gmail.com

Crédito da Foto :Garassari – http://garassari.blogspot.com/

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Parabéns pela matéria Renata , é de suma importância essa concientização e participação , para que possamos ter um mundo melhor !! Onde os direitos de todas as minorias sejam respeitados , e que entendamos , que o Brasil é um país pluriétnico , rico e diversificado culturalmente. Não podemos disperdiçar mais um patrimônio tão importante !!! Vamos nos unir , nesta causa que é de todos nós !!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here