O discaso com nossos doentes, principalmente os hipertensos, essas pessoas vem sofrendo muito com a freqüente falta de medicamentos, onde chegam a passar meses a espera dos mesmos.


A hipertensão é uma doença que deve ser controlada e o remédio não pode faltar por tanto tempo. Quem está doente não pode esperar.

Esses pacientes fazem consulta na área com médicos contratados pela Funasa, mas quem determina se os doentes vam receber os medicamentos é o farmacêutico, pois o farmacêutico decidi se é necessário o paciente vai receber o remédio, então para quer médicos na área indígena?

O próprio farmacêutico poderia consultar essas pessoas e indicar o medicamento adequado, o medicamento não pode ser caro, tem que ter o valor mínimo.

Se não há um controle da pressão arterial , esses pacientes sempre são levados ao hospital , recebem o atendimento de primeiros socorros e voltam para casa.Já que no pronto socorro os médicos não podem receitar remédios
.
Essa liberação é feita em Recife por um farmacêutico contratado pela Funasa

Assim esses doentes ficam a espera de um milagre . Orando a Deus todos os dias por continuarem vivos , já que só tem Deus por eles,

Até quando devemos esperar por essas pessoas , que não estão nem aí com a saúde do povo indígena pankararu.

Será a burrocracia que atrapalha essa liberação de medicamentos ou a falta de interesse dos dirigentes da Funasa?

Tainá Pankararu
tainá@indiosonline.org.br
tainá.pankararu@hotmail.com

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Seguindo a proposição acima descrita por nossa parente,temos que nos unirmos para intervir nesta questão contra esses genocidas, no sentido de fortalecer nossa luta e informar-lhe eles sobre nossos direitos como cidadão e uma vez que este orgão é responsavel legal pela nossa saúde e bem está social, especialmente no que tange aos aspectos relacionados à saúde. Por tanto, esses “profissionais” tem que está voltado à nossa promoção e emancipação,para que possamos ser agente no processo de mudança de sua nossa própria realidade. Sei que isso é dificil eles (FUNASA/FUNAI)fassa com que sejamos partícipe ativo no controle social, pois eles querem na verdade é nos aniquilar. Somos mais forte pois somos sujeito no processo de transformação da sociedade.
    A relação ao Municipio,Estado e União vem se modificando progressivamente na realidade brasileira, uma vez que a tecnologia se aproxima, essas esferas públicas vem se omitindo de suas responsabilidades; Ex: no caso da saúde, em termos de acesso a direitos sociais, há importantes diferenças, antes e após a Constituição Federal de 1988. O direito à assistência estava vinculado à contribuição à Previdência Social, excluindo o acesso de todos os não inseridos no mercado formal de trabalho. Isso, naturalmente, fragilizava ainda mais as classes populares, já vulneráveis por sua condição econômica e social.Agora se na nossa aldeia Pankararu a FUNASA/FUNAI viram as costas para o nosso povo, imagina nós que moramos na cidade e que ainda somos taxados de “índios desaldeados”, por mais que alguns indígenas trabalham formalmente, ainda continuamos excluidos.
    “FUNASA e FUNAI isso é uma vergonha!Que a força encantada nos proteja!”

  2. É de extrema necessidade denunciar coisas desse tipo, assim estaremos ciente do que acontece com a saúde
    indígena de país!
    Acadêmica do 1º ano de enfremagem-UEMS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here