RÁDIOBRAS, PONTO DE CULTURA E ÍNDIOS ONLINE

EDITANDO O 9º JOGOS INDÍGENAS EM PERNAMBUCO

No dia 29 de novembro fomos convidados para ir a Recife e Olinda – PE pela RÁDIOBRAS, PONTO DE CULTURAS e ÍNDIOS ONLINE, lá iniciamos uma nova experiencia em nossas vidas eu, Anápuáka e Jaborandy na mídia de vídeo mais uma nova ferramenta que usaremos na rede para documentar e multiplicar ideias em um novo formato agora em movimento, no nos primeiro dia com a equipe formada por (14)quatorze pessoas de Pontos de Culturas de diversas regiões do país.
Iniciamos a pauta para determinar os temas que seriam abordados para produção dos vídeos a qual foi estipulado pelo Projeto que faríamos um vídeo por dia desde captura de imagens a edição do curta que teria um tempo limite de (03) três minutos e mais um vídeo jornalismo sobre meio ambiente que seri divulgado na TV Brasil (antiga TVE), durante o Encontro de Meio Ambiente em Bali, Indonésia.

Nossa saída no 1º dia de captura de imagens fizemos toda a coleta de imagens possíveis quebrando as regras que eram flexíveis pois já estávamos a poucos dias para o fim do jogos então tianos que visualizar que poderíamos ficar sem material de coleta junto com a equipe Jaborandy, Vanessa Santos e Daniel Oliveira da Tainã – SP, determinamos responsabilidades e fomos filmar, acabei ficando com a função inicial de produtor buscado as autorizações dos parentes das etnias que teve suas imagens capturadas por nos e também pautando a captura das imagens fizemos tudo com sucesso na primeira etapa no Ginásio do Geraldão em Recife. Segunda etapa captura imagens na Arena no Bairro Novo em Olinda, tive uma ideia para captura do Toré um dos nossos temas e que inicialmente seria algo inviável pelo menos o que achava meu companheiro e irmão Jaborandy mas, existe uma frase da família Muniz que é, ” Se não tentar como saberemos se vai dar certo!, então vamos tentar”, seria ideia filmar os parentes Pataxós de Coroa Vermelha, BA dentro da Van onde estavam cantando o Toré durante o trajeto o nosso câmera Daniel Oliveira sairia do veiculo filmando até o ônibus dos Pankararu onde também teria o toré, a caravana de 25 ônibus seria retida em uma faixa da via de acesso a Arena em Olinda, fato este só aconteceu por ajuda da Guarda Municipal de Recife e Olinda que atuava como batedores em suas motos nas vias no trajeto de Recife a Olinda e colaboram nesta etapa com afinco, o câmera da equipe A, Daniel Oliveira e Vanessa Santos saíram do van dos Pataxós para ir ao outro veiculo o ônibus onde estava acontecendo o toré de outra etnia os Pankararu de PE, que deveria estar logo atrás da van, mas por motivo de quebra no ônibus imprevisto acontece, acabamos ficando em 24ª posição na caravana e a equipe A da van não sabia do fato e vieram correndo na via a busca do ônibus certo com nome de Pankararu acharam que Pankará era o ônibus mas não viram nada dentro do ônibus, mas não param de filmar sempre perguntado se aquele ônibus era o certo dos Pankararu onde o toré fervia na entoada e no firmar no pé no assoalho do veículo quando pedi ao motorista que abrisse a porta e eu sai para que eles me visse a equipe A, assim entrando em ação a nossa segunda câmera da equipe B na responsabilidade na captura de imagens de Jaborandy para filmar a entrada da equipe A, o que aconteceu com perfeição e muito suor e alegria o encontro das duas equipes, assim capturando o toré dos parentes Pankararu em sua grande entoada até a chegada na Arena em Olinda.

A partir daí nossa equipe passou a capturar mais imagens na Arena sempre sendo orientado por Daniel Oliveira e Vanessa Santos como proceder com o equipamento depois de todas orientações e imagens capturada voltamos a base no Ponto de Cultura em Olinda para decupagem (o mesmo que descrição do que se tem na fita o que sem tem de imagens coletadas assim nomeando o que se a cada período de tempo no timeline Ex:de 00:00:00:000 a 00:01:10:000 imagem do assunto X), e edição no Cinelerra (Software Livre para edição de vídeo não linear para Linux).

Segundo dia ouve mais captação por parte das outras equipes presente na oficina no Ginásio Geraldão enquanto isso Vanessa Santos editava alguns dos materiais capturado por nós. Terceiro dia foi oficina pratica com Vanessa Santos e Daniel Oliveira nos mostrando o potencial da ferramenta de software livre Cinelerra que não deixava nada a desejar ao intitulado Proprietário. Mostrou como captura da fonte externa Câmera DV, cortes, edição de áudio, mixagem de imagens vídeos, efeitos básicos, compressão no timeline, sobre luz, planos e finalização ate a construção da mídia e seus formatos.

Ultimo dia entrega de fichas de decupagem, autorizações de imagem e voz, autorização de CC Creative Commons, entrega de material editado e bruto, avaliação do participantes de forma rápida pois todos já estava com horários apertados para pegar seus vôos para suas origens.

Eu e Jaborandy nos despedimos bate aquele tristeza dez dias fazendo cobertura dos IX Jogos Indígenas e mais uma oficina de vídeo mas no fundo a alegria de estar com pessoas fantásticas e aprender mais um pouco sobre culturas de outros povos e sobre novas tecnologias que irão ser bem empregada e multiplica entre nossos parentes para poderem também como nos documentar e levar ao futuro o que somos hoje e o que queremos do futuro de nossa etnias com planejamento e ideias solidas para um povo que sobre e não desiste nunca de suas metas e objetivos de elevar a cultura do povo brasileiro e dar-lhes o reconhecimento que nos somos a base desta nação denominada BRASIL.

Muito Obrigado a todos que deram de forma direta e indireta a possibilidade de ir a Recife e Olinda para a cobertura dos Jogos, aos que nos receberam de braços abertos Alexandre Pankararu, Marcelo Pankararu, Tiago Pankararu, Fernando Pankararu, Cristiane Julião Pankararu, Luana Pankararu, Irembé Potiguara, pajé Manoel Pankará, cacique Creusa Umbutina, Cacique Ronaldo Paresi Haliti, Carcaju Pataxó, Irmãos Terena: Carlos Terena e Marco Terena, Equipe de Jornalismo da Universidade Católica de Brasília, RádioBras, Ponto de Cultura, Big Nel(Manoel Correia) e Equipe, , Rádio Nacional da Amazônia, Radialista e Jorn. Beth Begonha, Jorn.Anna Virginia – Brasília, Ponto de Cultura e Animação de Olinda, WebRádio Brasil Indígena, na cooperação e coordenação na atualização diária no Rio de Janeiro, de Leir Abreu e todas as etnias que foram muitas que nos nos facilitaram nas entrevistas e captura de imagens para a nossa oficina de vídeo e a REDE ÍNDIOS ONLINE nas pessoas representadas de Sebas (Sebastian Gerlic e Ivana) que acreditaram em mim e no irmão Jaborandy Ayndê Tupinambá para fazemos esta oficina maravilhosa e sermos multiplicadores desta iniciativa audiovisual na REDE ÍNDIOS ONLINE e em outros meios. Caso não tenha sido citado o nome de alguns amigos e por que são muitos e estão em agradecimento em meu coração sinta se agradecido pois meu espirito pensou em você.

FELIZ NATAL E PROSPERO ANO NOVO A TODOS E OBRIGADO PELO ANO DE 2007

Anápuáka Muniz Pataxó Hã-hã-hãe (Etnia Tupinambá) / Pau Brasil- BA
(21) 3313.9424 (21) 8803.5550 (21) 8617.0413
http://webradiobrasilindigena.wordpress.com
MSN:erickmuniz@ig.com.br
GoogleTalk: anapuaka.indiosonline@gmail.com

Comentários via Facebook

10 COMENTÁRIOS

  1. Nossa me senti dentro da kombis..ouvindo os PATAXO e saindo..louco no transito caçando os PANK..e finalmente o toré de ATIA….
    Excelente a missão por voces cumprida!!!!
    Jaborandy e Anapuaka, dois verdadeiros guerreiros….se digitalizando ate os dentes!!!!
    A força tupi h@h@h@e-

  2. Olá meus parentes como eu estava presente nesse momento da filmagem, voltei um pouco ao tempo e revivi as imagens desse episodio.
    E mesmo apesar de todas as dificuldades que foi os Jogos Nacionais Indigenas, foi uma experiencia unica e muito construtiva.
    um grande abraço e vamos lutando em busca de nosso crecimento nos conhecimentos globalizados.

  3. Parabens a Jaborandy e Anapuaka, por mais um desafio abraçado e vencido por vocês, e pelo ótimo relato, eu que não estava lá, me senti dentro da van ouvindo o Toré rsssssssss. O próximo passo vai ser esperar o dia em que vou assistir voc~es, suas imagens e sua cultura maravilhosa, nas ondas da TV BRASIL, ou seja lá como vai se chamar nossa televisão pública, feita com as imagens nacionais e com a arte e criatividade do povo brasileiro!beijos e bençãos!

  4. Oi !
    Precisamos de um informativo sobre a palha de milho , como faz para ser usada para enrolar o fumo de corda na palha , qual o processo da palha para ficar seca ,para ser usada para enrolar o fumo de corda .
    Somos de uma organização não governamental e estamos fazendo a area Cidadanis em Agronegocio,porque as Tabacarias ,precisam de ter a sua industrialização porque tudo vem defora desd a palha e o fumo decorda e pediram esta informação porque ficam muinto dependendo dos representantes dos outros Estados e sai muinto caro .Precisamos de informação como chegou a resolver nas aldeias a inclusão digital de que forma eles foram desenvolvendo esta dificuldade de comunicação .
    Leda Brum Amaral

  5. Muito legal
    Uma experiência que tenho certeza que será bastante aproveitada por vcs e por nós
    Foi um prazer estar com vcs nos jogos e contribuir com a rede
    Bjo grande e um ano novo cheio de realizações e vitórias p todos nossos povos

  6. Cara, ler essa matéria me fez reportar a tudo o que vivemos em Recife!!!!!!!!
    Com certeza foi um momento único, ímpar e maravilhoso. A experiência que eu trago desses jogos é muito rica.
    Conhecer novos parentes, poder de alguma forma ter contribuído para o bem-estar de todos, isso me envaidece.
    E a maior lição de todas é está me descobrindo mais capaz.
    Obrigada pela amizade de vocês dois e obrigada a todos.
    Um forte abraço!
    E se Deus quiser (e Ele quer!!) nos próximos jogos estaremos juntos de novo.

  7. sou indea sim com orgulho sim sou gerreira sim que luta pelos mes direitos
    sim
    como diz meu cacique avance
    respondemos avansaremos sim nossos direitos e nosas conquistas pelo trabalho e contra o preconceito contra nos sermos idios

  8. Bem, acho tudo isso reamente importante para o crescimento do nosso povo, mais tenho uma sugestão para o senhor Sebastian, por favor olhe mais para o ponto de cultura dos indio onlane dos Tupinambás de olivença que funciona no Centro Cultura “funciona” vivi lá jogado as traças o tão falado guerreiro que viaja para tanto lugar Jaborandy não cumpri com o seu papel. Enquanto isso, os computadores que era para ser usado pela comunidade, estão lá, quebrados por falta de cuidado desse grupo de jovens, a dois meses que vou no Centro Cultural e não vejo ninguem no ponto de cultura, quando Tykira e Luara andavam por lá, vc ainda via parents estudantes fazendo pesquisa escolar e passando informação dos acontecimentos da Aldeia, hoje faz vergonha , temos tantas coisas para passar para os parentes e não vejo o interesse dos coordenadores da nossa aldeia. espero que os responsáveis por esse projeto maravilhoso indiosonlane volte a aldeia e coloque jovens que realmente queira participar desse projeto e dando condições a ele para ficar lá no centro Cultural passando esssas infomações e ajudando os parentes que precisam fazer pesquisa escolar e não tem condição de ficar em lan house. quero pedir desculpas a todos os parentes, sou india que luto pelos meus direito e cumpro os meus deveres e não estou achando justo o que estar acontecendo. Obrigado

  9. srs estve ai,eadorei o tore que fizeram no hotel.de porto seguro. quero novamente participar. como farei?enviar urgente.m.l.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here