RELATORIO DO 3º ENCONTRO DOS INDIOS ON-LINE.

No domingo 24 de setembro, nós reunimos em Olivença – Tupinambá (Ilhéus –BA) para solidariamente junto ao povo da nação Tupinambá, marchar até o rio Cururupe, importante marco histórico por duas vezes: 1558/1572 O Massacre dos Nadadores, sete kilometros de corpos de índios mortos enfileirados na beira da praia, o mar vermelho de sangue…E a batalha do Caboclo Marcelino, líder tupinambá, que em 1937 lutou para impedir a construção duma ponte sobre o rio que daria facilidade para o “progresso” ainda roubar mais as terras dos índios.

Representando os Índios On-Line marcharam: Atiã, Xandão e Jailton Pankararu, Swyane e Mayra Xucuru-Kariri, Aira e Nhenety Kariri-Xocó, Marcelo e Yema Kiriri, Bal e Elenilson Tumbalalá, Maya, Yaranawy e Yonana Pataxo-Hahahae, Jaborandy e Curupaty Tupinambá, ao lado de mais de 700 índios Tupinambá que cantando seus PORANCIM partilharam num movimento político de cinco horas. No Cururupe, muitas lideranças utilizaram a palavra para apoiar a luta dos Tupinambá e a luta dos índios em geral: Akanawan Pataxó-Hahahae (Presidente do Conselho de Caciques do sul da Bahia), Nailton Muniz Pataxó

(Cacique Pataxó-Hahahae – Tupinambá), Caçula (Cacique Pataxó-Hahahae), Seu Alicio (Cacique Tupinambá), Babau (Cacique Tupinambá), Jamopoty – Valdelice (Cacique Tupinambá), Amotara, Claudo Magalhães, Val entre outras lideranças Tupinambá, Atiã Pankararu, Maya Pataxo-Hahahae e outros caciques Pataxós. Um grande número de índios decidiu que após marchar esses 7 km, seria necessário marchar mias 6 km até a sede da FUNAI em Ilhéus para continuar as reivindicações e assim o fizeram.

Segunda feira 25 de setembro, às 8 horas da manha, reunidos no Centro Cultural Tupinambá, sede do Ponto de Cultura Viva se iniciaram as atividades específicas da REDE com a abertura dos trabalhos através de cantos e danças indígenas dos sete povos ali representados. Cada um dos presentes se apresentou, alem dos índios primeiramente citados, outros parceiros da REDE estavam presentes: Delania Cavalcante do Insituto Telemar, Márcio Passos da Telemar, Calango da Agrofloresta, Hyata da Agroindústria, Menandro Ramos, Marta e Tasso da UFBA (www.faced.ufba.br), Viviane na produção e Ivana Cardoso (Potyra) e Sebastián Gerlic da THYDEWAS.

Após foi apresentada a programação do ENCONTRÃO e logo realizada a primeira dinâmica de Investigação Apreciativa (IA), onde em duplas os índios se entrevistaram para saber: 1)Qual foi o momento mais gostoso que você viveu com INDIOS ONLINE? 2)O que você mais gosta de fazer em relação a INDIOS ONLINE? 3) Qual foi, na tua opinião, a coisa mais importante que INDIOS ONLINE possibilitou para sua comunidade? 4) Qual foi, na tua opinião, a coisa mais importante que INDIOS ONLINE possibilitou para os índios em geral?

Às 10 horas da manha, Nhenety Kariri-Xocó, lançou o programa: ARCO DIGITAL, contando a historia da grande caçada e estabelecendo um paralelo entre a utilidade do Arco e Flecha com o Computador, introduzindo assim os objetivos do programa: qualificar índios para atirarem cada vez melhor suas flechas digitais. Nhenety: “Quando um projeto é aprovado, significa que a flecha caçou nosso alimento”.

Durante duas horas dialogamos com Calango ( calangofloresta@yahoo.com.br ) sobre Agrofloresta, seus quatro princípios básicos, os índios ilustraram a teoria com exemplos de suas próprias comunidades, pensando juntos a Agrofloresta como forma de sustentabilidade e de recuperação de áreas degradadas.

Após o Almoço, chegou a nosso ENCONTRO, Célio Turino, Secretário de Projetos e Programas Especiais do Ministério da Cultura,

responsável pelo Cultura Viva, programa que apóia nossa REDE INDIOS ON-LINE, dialogando com ele foram apontados vários conceitos chaves para o tecer de nossa REDE: Protagonismo, Emponderamento Social, Gestão Compartilhada e Transformadora, Emancipação, Estado Ampliado… Quando perguntado sobre a continuidade do Projeto, Célio Turino respondeu que ele já está garantido e com possibilidade de ampliação. Alem de dialogarmos sobre o Cultura Viva, também conversamos sobre: Biblioteca Viva, Prêmio Ângelo kretá e Cinema Digital.

Delania apresentou o Instituto Telemar (www.institutotelemar.org.br) e o programa Novos Brasis do qual nosso ARCO-DIGITAL faz parte (www.institutotelemar.org.br/extranet).

Compartilhou conosco varias experiências onde o uso correto das tecnologias possibilitou melhoras para comunidades. Nos falou do resgate cultural e lingüístico que várias etnias indígenas do norte amazônico de nosso país fizeram valendo-se da Internet, da escola do futuro, das 500 escolas que Telemar apóia e da possibilidade de virmos a instalar PSTs nas aldeias. Foi combinado também que os índios irão levantar suas necessidades de telefonia pública para encaminhar uma solicitação.

Então voltamos praticar a dinâmica 1 para depois juntos compartilhar:

O mais gostoso que vivemos com ÍNDIOS ON-LINE foi:
1. Contar a história dos nossos povos;
2. Estar sempre conversando nossos problemas;
3. Aumentou nossa auto-estima, nosso orgulho;
4. Aproximou todos os povos;
5. Oficinas;
6. A chegada do computador primeiro computador na aldeia;
7. Adquirir conhecimento com outros povos;
8. Conhecer novas tecnologias;
9. Novas informações;
10. A família que se formou com o projeto;
11. Conhecer o projeto;
12. Aprender;
13. Trocar, especialmente conhecer os rituais dos outros;
14. Encontrar outros parentes na mesma luta.

O que nós mais gostamos de fazer é:
1. Troca de conhecimentos culturais;
2. Falar do nossos povos (suas necessidades e avanços);
3. Reivindicar nossos direitos;
4. Buscar nossa liberdade, nossa independência e nossa autonomia;
5. Incentivar os parentes a participar da luta;
6. Debate;
7. Lutar pelos nossos direitos;
8. Estudar sobre educação indígena;
9. Pesquisar;
10. Ajudar a luta dos parentes;
11. Divulgar internacionalmente as noticias e história dos nossos povos;
12. Fazer com que minha comunidade compreenda o projeto;
13. Divulgação do projeto dentro da aldeia.

O mais importante que INDIOS ON-LINE possibilitou a nossas comunidades foi:
1. Inclusão digital;
2. Facilitou a conquista dos nossos direitos (já que temos mais conhecimento);
3. Exercer a cidadania;
4. Facilidade de informação;
5. Conscientizar os parentes do arco digital;
6. Harmonia na interação;
7. Inclusão de novos guerreiros para a luta;
8. Pesquisar;
9. Conhecer outros parentes;
10. CPFs, atestados;
11. Conhecer o mundo;
12. Fazermos economia porque não mais precisamos sair da aldeia e pagar para outros resolverem nossos problemas;
13. Sermos mais reconhecidos;
14. Termos uma advogada on line;
15. Somar força na luta ( inclusive trazendo pessoas de fora).

Pra os índios brasileiros em geral INDIOS ON-LINE trouxe os siguentes benefícios:
1. Trocas / intercâmbios;
2. Afeto intertribal (família On-Line);
3. União étnica;
4. Fortaleceu a luta e articulação indígena;
5. Divulgação da real história dos povos indígenas;
6. Autonomia para a busca dos direitos;
7. Demonstramos a nossa capacidade de apropriarmos da tecnologia;
8. Segurança e defesa.

Para enriquecer o Arco digital a Universidade Federal da Bahia (UFBA) esta começando a construir sua parceria com a REDE através do Arco digital, para isso o professor Menandro Ramos se fez presente: “Não temos nada para ensinar e temos muito para trocarmos. A tecnologia pode ser instrumento de emancipação em beneficio da Humanidade.” Nos convidou para ver “Povos Resistentes” no www.youtube.com.

Fechando nossos trabalhos todos fomos convidados a sonhar com futuro da REDE INDIOS ON-LINE. Então jantamos e fomos até a praia para dançar e cantar.

Na terça feira 26 de setembro acordamos compartilhando nossos sonhos para com nossa REDE INDIOS ON-LINE, nossos desejos (2ª Dinâmica):
1. Que a Família Índios On-Line cresça por todo Brasil;
2. Crescer em conhecimento e informações e em benefício para as nossas comunidades;
3. Cada vez mais união, amor, concordância e amadurecimento;
4. Estar sempre conversando nossos problemas para não acumular;
5. Sermos auto-geridos;
6. Fazermos mais debates pedagógicos para orientar os parentes;
7. Melhorar nossas estruturas (equipamentos e espaço);
8. Que o projeto não seja só para buscar benefícios particulares;
9. Que os índios demos mais atenção e mais compromisso;
10. Sermos reconhecimento mundialmente (viajar virtual e fisicamente);
11. Crescer também em quanto “Museu, arquivo e biblioteca virtual (disponibilizar as informações sobre nossas aldeias, informes de identificação de terras, livros publicados, teses de universidades, artigos,carta magna…);
12. Mais divulgação interna (fazer circular mais informação dentro de nossas comunidades, através de rádios comunitárias, jornais);
13. Fazermos um livro sobre Índios On-Line;
14. Fiscalizar tudo o que publicado sobre nós;
15. Seremos mais respeitados e mais valorizados;
16. Disponibilizar mais informações de nós mesmos;
17. Trabalhar melhor nossos Direitos e Deveres;
18. Elaborar nossos próprios projetos (saúde, educação, desenvolvimento…);
19. Fiscalizar via Internet nossa REDE e tudo o que há em relação a nossas comunidades;
20. Nos apoiar on line. “Pensar on Line”. Nos conscientizarmos mais;
21. Mais intercâmbios presenciais;
22. Ajudar nas demarcações dos nossos territórios;
23. Denunciar sem medo;
24. Nos orientar mutuamente;
25. Termos mais consciência política;
26. Cuidar do Estatuto da rede;
27. Cada ponto ter sua associação;
28. Vender artesanato e outros produtos;
29. Fazermos projetos interetnicos;
30. Conseguir a colaboração para nossa REDE dos índios formados em cursos e universidades.

Nossa terceira dinâmica foi feita em três grupos de cinco índios, planejando as ações necessárias para tornarmos nossos sonhos em realidade.

Equipe Verde: Xandão Pankararu, Nhenety Kariri Xocó, Yaranawi Pataxó Hãhãhãe, Mayra Xucuru Kariri, Curupaty Tupinambá propuseram:

Formar equipes nas bases, sendo que cada membro tenha o seu compromisso específico, de desenvolvimento sustentável, articulação comunitária e territorial, histórico, arte cultural, digital, política, meio ambiente e saúde indígena. Sendo nas seguintes funções:

 1 coordenador geral
 2 monitor digital
 1 monitor ambiental
 1 monitor territorial
 1 monitor de saúde indígena
 1 monitor de projetos e captação de recursos
 1 monitor de políticas indigenistas
 1 monitor pedagógico
 1 monitor de arte, cultura e história indígena.

Equipe Amarelo: Aira Kariri-Xocó, Bal Tumbalala, Marcelo Kiriri, Thyrry Pataxó Hahahae, Swyane Xucuru-Kariri propôs trabalharmos mais em:
 Capacitação dos jovens on line; ter um professor on line dentro da comunidade para ensinar mais dentro da comunidade.;
 Formar as organizações internas, em cada ponto da base, para depois a articulação da REDE;
 Cada nação buscar a sustentabilidade de seu Ponto e colaborar na sustentabilidade da REDE;
 Formação de novos jovens on line;
 Integração do projeto na comunidade (promovendo eventos que chame atenção da comunidade buscando a participação da mesma;
 Ênfases no compromisso de cada participante e na transparência de todos os trabalhos. Palavra chave: Honestidade.
Equipe Laranja: Jaborandy Tupinambá, Jailton Pankararu, Yonana Pataxo-hahahae, Yema Kiriri, Edinilson Tumbalalá:
 Divisão de tarefas;
 Divulgar o regimento interno de cada ponto;
 Procurar parcerias com “muito cuidado” para sustentabilidade de cada ponto e da REDE;
 Transparência com as comunidades, demostrar os projetos;
 Criação de projeto em cada ponto.

Após isso a atual coordenação da REDE (Ivana, Juliani, Luis e Sebastian) apresentou a “Flor” como estrutura de micro funcionamento para cada ponto e principalmente como organograma de sinergismos para a REDE.
Proposta de Gestão para a REDE INDIOS ON-LINE

Setembro a dezembro 2006, fase de TRANSICAO:

Da coordenação da THYDEWAS para a AUTOGESTÃO.

As FUNCOES da REDE, as pétalas da Flor:

O SISTEMA ( Flor) esta composto por diferentes atores que interagem co-responsavelmente para o bom funcionamento do projeto:

1. Monitoramento e Avaliação: A responsabilidade desta área é avaliar constantemente o andamento da REDE. Investigar de forma apreciativa as melhores praticas na REDE e sistematizar as demandas para encaminhamento de proposta. Responder questionários de avaliação e de pesquisa.

2. Contato com Parceiros: A responsabilidade desta área é cuidar dos parceiros e buscar novos parceiros para o enriquecimento de da REDE INDIOS ON LINE. Faz e avalia as propostas de parceria. E a responsável de mandar os Relatórios de atividades e os financeiros. Contato com MinC, GESAC, Agencias, ONGS, Secretarias, Prefeituras, Universidades, Bancos, Associações.

3. Administração: E responsabilidade desta área administrar os recursos vindos para a REDE, manter planilhas contáveis de todos os movimentos e seus comprovantes fiscais e através de um contador preparar os relatórios para a própria REDE e seus parceiros.

4. Comunicação Interna: A responsabilidade desta área é fazer circular a informação de tudo em relação a REDE para todos seus membros. Através de Chat, listas , e-mails, comunicados internos, cartas, partilha de propostas, documentos, mantemos participantes da REDE informados. Organiza as eleições da REDE.

5. Comunicação Externa: A responsabilidade desta área é divulgar a REDE, suas ações, campanhas e produtos. Deve trabalhar em estreita sintonia com a setor de CONTATO com potenciais parceiros.

6. Voluntários: A responsabilidade desta área é receber as propostas vindas de voluntários e analisar as mesmas. Quando necessário também deve sair buscar pessoas dispostas a atuar voluntariamente em favor dos objetivos da REDE.

7. Trabalhos escolares: A responsabilidade desta área é buscar a melhor forma de dialogar com todos aqueles que trazerem suas duvidas, questões, solicitações… Professores e alunos de todos os níveis. Busca facilitar o dialogo com os curiosos. Organizar as perguntas mais freqüentes, resposta das questões no máximo em 70 horas. Organizar junto a equipe do Chat visitas escolares à REDE.

8. Chat: A responsabilidade desta área é cuidar do Chat. Um lugar coletivo especialmente útil para: A)Acolher os visitantes, sejam eles índios ou não. B) Promover Debates, Palestras, Entrevistas, Oficinas, Teatro. Sempre cuidando de manter e enaltecer os objetivos da REDE. Pensar em fazer um RODIZIO de PRENSENÇA para termos sempre um índio presente.

9. Informática: A responsabilidade desta área é o desenvolvimento de sistemas e o suporte destes e das necessidades dos Índios on-Line em relação aos conhecimentos técnicos das ferramentas. (criar e-mails, trocar senhas, automatizar respostas, desenvolvimento de ferramentas, manutenção). Plantão Info On-Line.

10. Coordenador Geral : Permeia e costura todas as áreas, buscando o sinergismo e mantendo o foco.

A últimas quatro áreas cuidam juntas para que todas as atividades desenvolvidas no projeto INDIOS ON LINE tenham o objetivo de construir a visão critica. Para que tudo seja crescimento, enriquecimento, libertação. As três promovem ações e campanhas visando melhorias para as comunidades indígenas.

11. Cidadania: A responsabilidade desta área é promover a consciência de nossos direitos como cidadãos brasileiros e indígenas. Promovendo cursos, fóruns , palestras (Direitos, Terra, Saúde, Paz, não descriminação). Visa uma melhor relação com o mundo global.

12. Cultura: A responsabilidade desta área é incentivar a os índios a pesquisar suas próprias culturas, fortalecê-las, valorizá-las e projetá-las. O dialogo intercultural (seja entre diferentes nações indígenas ou não indígenas) é uma forma de crescimento pessoal e social. Visa a projeção consciente das tradições.

13. Educação: A responsabilidade desta área e incentivar os índios a crescer, a evoluir, e isso é através da educação, seja ela no cotidiano, na roça, na família o nas escolas ou cursos. Visa a projeção dos valores indígenas.

14. Desenvolvimento: A responsabilidade desta área é planejar o desenvolvimento das comunidades participantes da REDE, para isso se integra com as três áreas anteriores, sintetizando- as e integrando-as com a sustentabilidade e a dimensão econômica.

Ate dezembro de 2006.
-Ivana Cardoso de Jesus fica responsável de facilitar os processos referentes às áreas de:
Cidadania, Informática e Comunicação Interna.
-Laura Juliani fica responsável de facilitar os processos referentes as áreas de: Educação, Chat e Trabalhos Escolares.
-Sebastian Gerlic fica responsável de facilitar os processos referentes as áreas de: Cultura, Desenvolvimento, Contatos, Comunicação Externa, Voluntários e Coordenação Geral.
-A Área de avaliação fica na responsabilidade compartilhada dos três.
-A administração Márcia Cardim e Xisto (contador).

A proposta foi bem aceita pelos jovens, destacando a necessidade de assumir com compromisso e seriedade suas funções, enquanto os mais adultos, percebendo a complexidade do sistema ressaltaram a importância do compromisso e do trabalho maduro que desafia a REDE. Passaríamos para discussão da Proposta do Estatuto da Rede, quando Bal Tumbalalá sinalizou às 18 horas como o horário adequado para finalizar as atividades, assim fomos então jantar e deixamos liberdade para quem quisesse assistir um filme.

À noite foi apresentado o Filme “Irmãos no Mundo”, produzido pela Thydewas em 2004, em parceria com as Comunidades Indígenas, o Ministério da Cultura, a Fundação Padre Anchieta e a TV Educadora da Bahia, filme ganhador do Primeiro Prêmio Doc Tv. “Irmãos no Mundo” trata da realidade do Povo Tupinambá que vive no Litoral Sul da Bahia e os Tumbalalá no Sertão às margens do São Francisco. Após assistir o filme houve um momento para debate sobre a realidade dos povos indígenas do Nordeste.

Quarta feira 27 de setembro


Abrimos nossos trabalhos com a chegada de uma Repórter que fez em forma conjunta um a entrevista sobre o programa ARCO DIGITAL e sobre a REDE. Antes de a Repórter sair, invertemos os papéis e os índios a entrevistaram sobre a ética no jornalismo atual.

Retomamos as dinâmicas. Os índios presentes já tinham se identificado nas áreas (pétalas) doe interesse de cada um então, a atual coordenação sugeriu, através do conhecimento dos diferentes perfis dos participantes alguns nomes para algumas pétalas. Bal Tumbalalá precisou a necessidade de levar tudo para a base para uma reavaliação. Foi encaminhado então, continuarmos a redigir o Estatuto da Rede e buscarmos as pessoas responsáveis para cada uma das pétalas e tendo em principio cada um dos mesmos dois assistentes de trabalhos que são também suplentes em caso de precisão. O Estatuto tem data de publicação prometida para dia 15 de outubro. Até essa data, em forma ainda informal e aberta, algumas pessoas estão já começando seus trabalhos. A atual sugestão da THYDEWAS, após as dinâmicas do ENCONTRAO são para:

1) Educação: Maya Pataxó Hãhãhãe
2) Cultura: Atiã Pankararu
3) Desenvolvimento: Nhenety Kariri Xocó
4) Cidadania: Yaranawy
5) Coordenação Geral: Alex Pankararu
6) Monitoramento: Marcelo Kiriri
7) Comunicação Interna: Yonana Pataxó Hãhãhãe e Mayra Xucuru Kariri
8) Comunicação Externa: Jaborandy Tupinambá
9) Trabalhos escolares: Swyane Xucuru Kariri, Yema Kiriri
10) Voluntários: Aira
11) Chat: Curupaty Tupinambá
12) Contato com parceiros: Jailton Pankararu
13) Administração
14) Informática

Em nossa visão,
Cada pétala teria um responsável e dois assistentes. Um mesmo índio pode participar de três áreas diferentes só que numa só delas pode se postular como representante primeiro.

Exemplo: Marcelo Kiriri poderia perfeitamente ser o representante do Monitoramento e assistente de Cidadania e de Voluntários.

O Estatuto provisório, foi discutido pelos presentes no Encontro e sua primeira versão, já foi enviado por e-mail para os pontos. Atualmente estamos avaliando as observações realizadas durante o ENCONTRAO para atualizarmos o Estatuto, porem, essa nossa tarefa não deve atrasar em hipóteses nenhuma o trabalho nas bases.

Neste tempo também é prudente que as pessoas aqui indicadas para serem responsáveis de determinadas pétalas se pronunciem a respeito. Da mesma forma, as pessoas poderiam estar enviando para REDE também seus desejos em quanto assistentes em outras áreas. Obviamente, pessoas, que não participaram presencialmente durante o ENCONTRÃO, tem o igual direito de se postular e de participar. Sejamos democráticos e participativos para que todos conheçam a proposta e se posicionem. Cabe aos representantes vindos de suas nações para o ENCONTRÃO de fazer circular e promover à todos nas bases a sua participação neste momento histórico.

Na tarde de Quarta Feira, Hyata apresentou a Agroindústria familiar (Agro=terra / Industria=Tecnologia). Falou-se de Segurança Alimentar, do PAA (www.conab.gov.br) que paga ate R$ 5.000 para comprar antecipadamente produtos da agroindústria familiar ou tribal. A participação dos índios completou o conceito com os exemplos locais, entendo-se o artesanato também como uma agroindústria. (Bokpiu@yahoo.com.br)

Potyra facilitou a tecida da REDE de direitos, para em forma colaborativa definirmos o conceito de CIDADANIA. Entendemos então a interligação de nossos direitos e o significado de sermos cidadãos do mundo. Assim completou-se o panorama do que vem a ser ARCO DIGITAL, um CURSO LIVRE com três eixos: Cidadania, Desenvolvimento Sustentável, TICs (Tecnologias de Informação e Comunicação) focalizados em forma prática para os índios se fortalecer na escritura de seus próprios projetos.

A REDE de direitos também nos mostrou a imagem da REDE INDIOS ON-LINE, onde a responsabilidade de cada um de nós está diretamente ligado aos outros, e como todos somos interdependentes, garantindo o bom funcionamento dela. Juntos percebemos que o ARCO DIGITAL é uma REDE que nós ensinará a pescar. Para finalizar Thyrry junto a Menandro colocaram a possibilidade de estarmos pensando em realizar também um trabalho audiovisual protagonizado pelos índios. Ainda em REDE, nosso BASTÃO DA FALA “microfonou” a fala de cada um dos presentes avaliando o ENCONTRÃO.

Procedeu-se a entrega dos CERTIFICADOS, a dança e canto para o fechamento dos trabalhos. Amotara Tupinambá foi homenageada por todos nós com o puxar de Atiã Pankararu.

THYDEWAS.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. Que vontade de ter estado junto…presencialmente junto, já que meu coração estava lá com vcs!
    Parabéns a todos vcs que sempre fizeram essa rede acontecer!
    Índios On Line, de agora em diante, MAIS ÍNDIOS ON LINE !!!
    Estarei sempre por aqui, embora com meu horário meio louco, mandem e mail…se preciso.
    Um grande abraço a todos vcs, meus amigos !!!

    A luta Continua com o povo…

  2. Obrigado!

    E obrigado pelo belo que acabei de conhecer.O projeto e a iniciativa são muito legais. Fico feliz pela pela força e garra que passam.
    Espero que o projeto avance cada vez mais pra aumentar a conciência mundial sobre a importância indígina.

    Mais uma vez, agradeço por tudo que lí e SUCESSO!

  3. A vontadede de todos os jovens on-line de Pankararu em ter participado desse grande encontro entre todos os nossos parente foi enorme. O que nos contenta é que iniciativas já foram dadas e a tendência é que o projeto cresca cada vez mais, isso nos deixa super felizes.
    Parabéns pela iniciativa ao povo Tupinambá, assim como aos demais participantes dessa Caminhada de Luta e Justiça!!
    Viva à todos nós, índios desse Brasil!!!
    Abraços,
    Luana Bárbara Pankararu.

  4. Nossa esperança ascende cada vez mais forte, quando percebemos que nada é em vão. Todos os esforços que vem sendo feitos desde que se iniciou o projeto tem sido de suma importância. Hoje percebemos o avanço na retomada do nosso direito a expressar nossos verdadeiros sentimentos, de podermos gritar para o mundo inteiro que resistimos a todos os tipos de violações, deformidades culturais, descaracterização dos nossos valores, etc.:
    Fico sem palavras diante de relatos desses jovens, que estão lutando pela preservação e direito à uma VIDA digna. As ações e perspectivas deles falam por si só.
    Continuem firmes, lutem sempre!!!

  5. Prezados,
    Fiquei muito feliz em ter participado, ainda que rapidamente, do encontro deste ano. Me deixou muito feliz o nível de conscientização de todo o grupo e mais ainda o alto grau de verbalização demonstrado em seus depoimentos. Que esse caminho siga sempre em frente.Desejo muito sucesso e novas conquistas.
    Abraços,
    Lúcia Cerqueira
    Assessora Imprensa – Telemar Bahia

  6. Parabéns à todos os que contribuiram para a inclusão digital dos índios brasileiros.Eles tem que ter armas para a luta da própria sobrevivência, pois acompanho mesmo que distante o sofrimento de tribos que estão morrendo de fome,crianças e demais famílias querendo o suicídio ao ver seus filhos não terem a chance de conhecer a natureza e costumes vindos de seus ancestrais, por ter tantos grileiros, posseiros e demais interesses financeiros, que estão desequilibrando a natureza que é um bem de todas as gerações presentes e futuras.
    Desenvolvimento com sustentabilidade e respeito aos índios brasileiros, esse é o caminho para a verdadeira ordem e progresso.

  7. A vitória se dá passo a passo…..jamais abaixem a cabeça olhando o chão ,observem sempre as estrelas pois de lá vem teus caminhos e novas idéias.
    {}’s

  8. Sempre sejam assim. Grito de guerra para avançar nunca retroceder. Sou descendente de índia Pataxó Hãhãhãe e vibro a cada vitória. Procedam com força e garra. A Organização é a mãe da prosperidade.
    Parabéns meu povo, pelo avanço. Avante, avante,sem temer a luta.
    Abraços. Andreza

  9. oi,
    por favor me ajudem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    preciso de um artigo ou livro falando sobre as doenças mais comuns na geriatria indigena (menopausa, ha, diabetes, alimentação, sexualidade…etc), estou fazendo uma pesquisa com os indigenas do mato grosso do sul, tres lagoas…
    me ajudem com alguma coisa, por favor..

    aguardo respostas
    obriogado

    faço faculdade de enfermagem na faculdade unisalesiano de araçatuba

  10. Olá, parentes! Muito bom, o presente trabalho. Na verdade, gostaria de receber mais informações de todas as atividades da equipe constantimente e sobre a CONSTRUÇÃO DO ESTATUTO.Haja visto, que não tenho acesso a internet com facilidade, já que minha aldeia não tem ponto de presença. Abraços a todos e parabéns!
    GECINALDO XUKURU – KARIRI – PALMEIRA DOS ÍNDIOS – ALAGOAS – ALDEIA FAZENDA CANTO – E-MAIL: gecinaldo@yahoo.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here