De inicio foi uma reivindicação pacifica, mais de acordo com os índios que participaram o administrado tornou-la complicada, pois não queria dar à alimentação e eles tiveram que invadir a CONAB onde estavam às cestas básicas que iriam para as áreas indígena da comarca de Maceió.
Os índios invadiram o deposito e fizeram como refém o gerente da CONAB ate negociar quantas cestas básicas poderia ser liberada pelo administrado da FUNAI de Maceió Jose Heleno, ele sem querer liberar nenhuma cesta básica alegava que não podia, pois se liberasse alguma cesta básica poderia faltar na aldeia a que iria ser destinada e com essa invasão acionou a policia militar alegando que os indios estavam quebrando tudo.
A policia ao chegar ao local percebeu que era um alarme falso sobre a baderna, eles apoiaram e ate incentivaram os indios a lutarem pelos seus direitos, pois eles não iriam passar fome tendo a sua comida tão perto, eles acharam um absurdo do administrador da FUNAI de Maceió Jose Heleno deixar seus próprio irmãos indígena com fome tentando evitar que eles reivindicassem por algo que ira favorecer a sua tribo e ate a ele mesmo.
As quatros etnias que se encontravam na FUNAI passaram por varias dificuldades, quando percebeu que não dar a alimentação para os indios que ali estavam não iria evitar as suas reivindicação eles cortaram a água e ate receberam ameaça do filho do funcionário Denisvaldo, pois eles colocaram todos os funcionários para fora e não estavam deixando nenhum deles entrar e este rapaz estava querendo entra a forças porque estava armado com um revolver com este episodio os indios e exaltaram e arriscou a suas próprias vidas foram em cima do rapaz que ao ver a quantidade de indios entrou no carro com seu pai e fugiu.
Os quatros etnias foram embora no dia 24 de outubro depois de uma longa negociação, pois não se intimidaram com a ameaça de invasão da policia federal para despejar eles de sua própria casa, eles que já estava com uma preliminar do juiz de Maceió com uma exigência do procurador da justiça de Maceió João Fula que estava com raiva por eles não deixar ele entra na FUNAI.
O procurador da justiça de Alagoas Rodrigo Tenório falou que o dinheiro já esta no INCRA pronto para pagar as terras que ainda não foram pagas porque o presidente da FUNAI de Brasília tem preconceito e descriminação com indios nordestino pela sua aparência e valoriza somente indios de outras regiões.
O procurador da justiça de Alagoas se responsabilizou em levar os documentos e as reivindicações que foram feitas pelas quatros etnias e se comprometeu em trazer respostas mais antes possível os kariri-xocó avisaram que se as reivindicações que eles fizeram não forem aceitas irão interdita a BR101 ate serem tomadas decisões que os favoreçam.
A tristeza em saber que os indios em todos esses anos de sofrimento não podem reivindica pacificamente ao que é seu de direito, pois não tem apoio de ninguém e são julgados errados e se reivindicasse através da violência seriam julgados errados do mesmo jeito.
OS INDIOS SÃO DONOS DE TODO O PAIS MESMO ASSIM ELES NÃO QUEREM TUDO E SIM UMA PEQUENA PARTE ONDE POSSAM SE PRIVATIZAR E PODEREM FAZER SEUS CULTOS EM UM LUGAR SOMEMTE DELES.

Walison de Souza Matos

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Muito importante sua materia…. Muito o seu coragem para escrever. Nhenety trouxo para THYDEWAS muitos documentos importantes enviados pelo PAJE SUIRÁ que estaremos em breve botando neste SITE!

  2. Gostei da materia. Quero dizer q é muito importante esse tipo de luta e com certeza conseguirão obter exito.

  3. Ao ler o texto que trata das reivindicações dos povos indígenas de Alagoas e Sergipe, me deparei com a informação da existência das etnias Kaxagos e Xoco-Guara (Sergipe). Como até então só temos conhecimento de uma etnia a Xokó, gostaríamos de maiores informações sobre as mesmas.

  4. Sou sergipana e tenho conhecimento , até o momento, de apenas uma etnia em Sergipe, a Comunidade Xokó da Ilha de São Pedro de Porto da Folha. Sendo assim, gostaria de maiores informações sobre as etnias que foram citadas como sergipanas em seu texto: Kaxagos e Xoco-Guara.

  5. Olá Companheiros, estamos na luta pela devolução das terras aos povos índigenas. A invasão feita por Pedro Alvares Cabral, destruiu não só a nossa cultura enquanto negros e ìndios, bem como nossas terras, nossa dignidade e para recuperarmos temos que enfrentar este grande modelo capitalista imposto para nós. Nossas terras estão nas maos de latifundiários, multinacionais que exploram o que podem da terra sem deixar retorno. Estamos na Luta Sempre!!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here