Vale destacar a participação indígena nas discussões de temas relevantes para a construção de um novo paradigma, onde todos possam usufruir os mesmos direitos e deveres. Todos nós podemos contribuir com os saberes, sejam eles empíricos, ou científicos, para um mundo mais fraterno, pluralista e sem preconceitos fundados numa tomada de nova consciência capaz de promover a liberdade, segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça.
40 anos após o movimento de maio de 1968 às mudanças continuam. Naquele ano enigmático surgiu um furacão humano ponto de partida em busca de transformações, que até hoje, continuam. Quando surgiu esse fenômeno na França desencadeado por jovens estudantes revoltados com os regimes políticos repressores, e uma sociedade também, castradora que acreditavam dominar a todos. Nós os indígenas, como ainda acontece, não fomos citados e muito menos convidados a promover mudanças. Não sabendo, que os indígenas lutam há séculos para garantir a liberdade, e a felicidade, e que de alguma forma estiveram presentes no contexto contribuindo efetivamente no equilíbrio harmônico do planeta. Às mudanças são dinâmicas, se estendem manifestando-se ao longo dos anos formando novas perspectivas.

Este ano nossa participação em eventos de relevância se deu de forma mais acentuada: participação no Mídias Nativas II, em São Paulo; na Academia Brasileira de Letras, em seminário internacional, no Rio de Janeiro; no momento Jóia da Oi Futuro, e Instituto Oi Futuro, no Rio de Janeiro e Bahia; no Seminário do MinC, e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, discutindo às diretrizes do Plano Nacional de Cultura; no CONSEGI 2008 (Congresso Internacional Sociedade e Governo Eletrônico) em Brasília; e na Jornada Internacional de Cinema da Bahia.

A inserção nossa nas tomadas de decisões, levando nossa contribuição de visão do mundo demonstra o quão somos capazes de contribuir com os nossos saberes na construção de um mundo mais igualitário.
Somos uma civilização autônoma, possuímos capacidades e conhecimentos que somado às demais existentes são capazes de formar uma unidade fortalecida na preservação e construção de um mundo melhor para todos.

Yakuy Tupinambá (Irmã do Mundo)
yakuy@indiosonline.org.br

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Nossa Yakuy Parabéns, pela suas materias vc, e um aguerreira e tanto ja pode ir trabalha na globo, como um agrande reporte.Abraço…

  2. Parabéns por sua matéria parente,
    Fico feliz em saber que, vocês estão participando desses eventos todos, e quando algum indígena participa seja ele de qualquer parte do Brasil é como se todos nós indígenas estivessemos juntos, pois quando um parente de defende seu povo, ele está defendendo toda nação indígena do país. É uma corrente forte que por muitas vezes tentaram romper, mas todos unidos sempre seremos combatidos, porém nunca vencidos.
    Fica aqui meu grande abraço e continue assim!

  3. Yakuy , mais uma vez vc se destaca nos eventos , e por conseguinte leva a imagem dos indígenas brasileiros consigo. A sua atuação e a de vários representantes do movimento indígena dispensam comentários , e só engrandece a raça !!! Qto a sua matéria , eu sou sempre suspeito de comentar , porque valorizo demais o trabalho de todos vcs , mas posso resumir , com suas próprias palavras então: ” Somos uma civilização autônoma, possuímos capacidades e conhecimentos que somado às demais existentes são capazes de formar uma unidade fortalecida na preservação e construção de um mundo melhor para todos !” É como eu sempre digo aos amigos do site e para aqueles que ainda se surpreeedem com os indios: ” Indio nunca foi coisa do passado , indio é presente e futuro !!! Mais doque nunca ! ” A sociedade só precisa acordar !!! Um abraço !!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here