Hoje terceiro dia do 7º Acampamento Terra Livre, que está acontecendo em Campo Grande na Aldeia Urbana Marçal de Souza,  os indígenas participantes passarão o dia trablhando em Grupos Temáticos para levatarem propostas para melhoria das condições nas Comunidades Indígenas.

Cada Grupo temático tem seu coordenador e um secretário e as propostas levantadas serão apresentadas e comporão o texto final do ATL.

Os Grupos Temáticos são:

  • Terras Indígenas (demarcação, desintrução, sustentabilidade) = coordenação de Anastácio Peralta
  • Grandes empreendimentos: Belo Monte, Transposição do Rio São Francisco etc. = coordenação de Marcos Apurinã
  • Saúde Indígena (Secretaria Especial) = coordenação de Rildo Kaingang
  • Educação Indígena (Territórios etnoeducacionais) = coordenação de Josi Tupiniquin
  • Criminalização de lideranças e comunidades indígenas = coordenação de Irajá Pataxó
  • Legislação Indigenista (Estatuto dos Povos Indígenas) = coordenação de Romancil Cretã
  • Participação e controle social (Conselho Nacional de Política Indigenista – CNPI e outras instâncias) = coordenação de Chico Apurinã
  • Reestruturação da Funai = coordenação de Timoteo Verã Guarani.

Á tarde houve a apresentação e discussão das propostas, que farão parte do documento final do Acampamento. Foi muito importante este momento pois foram os próprios indígenas que reunidos discutiram e colocaram no papel aquilo que realmente importa para a transformação da vida das Comunidades Indígenas  no melhor possível.

Amanhã estará disponibilizado aqui o Documento final. Acompanhem.

Imagem de Amostra do You Tube

Esta matéria foi feita em parceria pela equipe de Gestão:

Texto – Potyra Tê Tupinambá

Fotos – Graciela Guarani

Imagens  – Alex Pankararu

Vídeo – Curupaty Abaeté

1. Analisar a situação dos direitos indígenas, a partir da avaliação das demandas e resultados das seis edições anteriores do Acampamento Terra Livre (ATL), destacando conquistas, avanços e reivindicações pendentes ou não atendidas pelo Estado brasileiro.

2. Formular a partir das experiências, realidades e contribuições dos distintos povos e organizações indígenas representados no Acampamento, reivindicações e propostas comuns para uma nova política indigenista do Estado Brasileiro marcada pelo respeito total aos direitos fundamentais e originários dos povos indígenas.

3. Tornar visível junto a sociedade brasileira, os distintos poderes do Estado e especialmente aos candidatos à Presidência da República a situação dos direitos indígenas e as reivindicações dos povos e organizações indígenas, destacando a grave situação das terras e comunidades indígenas de Mato Grosso do Sul.

4. Fortalecer a articulação e unidade do movimento indígena regional e nacional para a promoção e defesa dos direitos fundamentais e originários dos povos indígenas.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR
Advogada Indígena, militante social pelos Direitos Humanos Indígenas. Potyratupinamba@indiosonline.org.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here