Ana Beatriz Padilha é de etnia Tuxá e faturou o primeiro lugar no Festival Anual da Canção Estudantil-FACE.

Ana Beatriz Padilha é indígena de etnia Tuxá de Ibotirama e desde criança tem demonstrado seu amor e talento pela música, cantando e compondo músicas que revelam seu alto potencial artístico e profissional por onde se apresenta.

Uma das últimas facetas da pequena cantora foi vivenciada na Concha Acústica do Teatro Castro Alves em Salvador-BA, no Festival Anual da Canção Estudantil-FACE, onde ao concorrer com a música “Retratos” em que a mesma é autora e interprete, foi consagrada como a grande vencedora do Festival.

O Festival é um projeto da Secretaria da Educação do Estado da Bahia que envolve mais de um milhão de estudantes, a apresentação de Ana Beatriz foi acompanhada por mais de cinco mil pessoas de várias cidades baianas.

Representando a Direc 22 de Ibotirama, a Tuxá deu um show de carisma e interpretação ao encantar o público presente e todos os jurados, consagrando assim seu grande talento e sonho de um dia se tonar uma cantora reconhecida no território brasileiro.A índia Tuxá tem todos as ferramentas para se tornar umas das maiores cantoras do Brasil, já que mesmo com a pouca idade, a pequena mas grande notável cantora, tem domínio de palco, compõe músicas de alta qualidade e encanta a todos que prestigiam as suas apresentações.

Durante muitos anos Ana Beatriz vem acumulando uma infinidade de títulos ligados a música, sendo que muitos foram conquistados em festivais de músicas realizados na cidade de Ibotirama na Bahia.

A comunidade Tuxá de Ibotirama tem um grande acervo de artistas das mais variadas áreas, é um grupo que há a anos vem lutando para conseguir seu espaço dentro e fora da aldeia de forma pacifica e respeitosa com todos aqueles que respeitam a sua história, cultura e tradições.

Ana Beatriz é a prova de que o potencial dos indígenas não se restringe apenas aos conceitos  que a escola tenta impor aos povos indígenas, ou seja, que são incapazes, inocentes, selvagens dentre outros esterótipos. Os indígenas da Bahia além de estarem conquistando as mais variadas batalhas a favor da sua inclusão e cidadania plena, ainda tem tempo para adentrar de forma respeitosa e vitoriosa nos espaços que há  muitos séculos os colonizadores tentam os excluir.

A troca de experiência e o respeito as mais variadas formas de manifestação cultural do Brasil é o que faz os povos indígenas se tornarem capazes de assimilar, entender e respeitar as diferenças, com o objetivo de enriquecer seu potencial artístico e cultural, coisa que todo e qualquer ser humano deveria ter a oportunidade e interesse.

Que outros indígenas se espelhem na talentosa Tuxá Ana Beatriz, a fim de promover nossa inteligência, competência e potencialidades demonstrando que somos e podemos vivenciar nossa identidade e a do outro de forma inteligente e inovadora,  já que entendemos que o empoderamento se dá a partir da ocupação dos mais diversificados espaços.

Jandair-Tuxá

jandairribeiro@hotmail.com

janndayr@gmail.com

 

Veja imagens do povo Tuxá de Ibotirama:

 

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here