A demanda de estudantes indígenas no Ensino Superior vem crescendo muito nos últimos anos, a luta do movimento indígena nas universidades, para que houvesse formas “diferenciadas” no ingresso do estudante indigena, tanto em ações afirmativas quanto sistemas de cotas, fizeram com que a presença indígena se torna-se grandiosa. Porém politicas voltadas para a permanência desses estudantes é hoje um grande desafio, para todos, com isso todos nós profissionais e estudantes, temos uma grande responsabilidade na construção dessas politicas voltadas para o acompanhamento dos estudantes perante a Universidade. Com isso venho divulgar esse congresso que de certa forma é o primeiro passo para grandes conquistas relacionado a esse assunto que bastante amplo.

O I Congresso Brasileiro de Acadêmicos, Pesquisadores e Profissionais Indígenas está a cargo do Centro Indígena de Estudos e Pesquisas, cuja responsável é a Jô Cardoso de Oliveira.
PROGRAMAÇÃO

Dia 14 de julho de 2009
8: 00 – Mesa de abertura

10:00 – Conferência: O Ensino Superior Indígena no Brasil Contemporâneo: desafios atuais e perspectivas futuras.
Coordenador/Debatedor: João Pacheco de Oliveira (MN/UFRJ) (*)
Palestrante: Gersem Luciano Baniwa (Centro Indígena de Estudos e Pesquisas-Cinep)

14:00 –Mesa Redonda 1– “Experiências, levantamentos e diagnósticos”

16:00- Mesa Redonda 2 – – “Políticas culturais e a diversidade cultural indígena”

20:00 – Projeção de filmes, apresentação de música, dança, e outras manifestações culturais indígenas.

Dia 15 de julho de 2009
8:00 – Mesa Redonda 3 – “Ser profissional indígena no Brasil de hoje: tradição, mudança, e perspectivas para o futuro”

10:00 – Mesa Redonda 4 – “O movimento Indígena e o Ensino Superior de Indígenas: o compromisso dos jovens e o compromisso com os jovens.”

14:00- Grupos temáticos – SABERES E FAZERES SOBRE:

▪ ARTES E TÉCNICAS
▪ HISTÓRIAS E MEMÓRIAS
▪ SAÚDE DIREITOS
▪ LÍNGUAS
▪ GESTÃO TERRITORIAL E ETNODESENVOLVIMENTO
▪ AGRICULTURA E MEIO AMBIENTE
▪ IDENTIDADE E DIVERSIDADE
▪ COMIDAS
▪ MÚSICAS
▪ RELIGIÕES
▪ VIDA NAS CIDADES
▪ EDUCAÇÃO

Os grupos temáticos constituirão espaços de troca de experiências entre os participantes com foco em suas vidas universitárias, em suas trajetórias profissionais e em suas vivências como sabedores da tradição e especialistas indígenas. Os grupos temáticos discutirão os significados de estar no ensino superior e como superar obstáculos pertinentes à temática proposta; e concluirão enfocando os estudos e trabalhos que os participantes vêm desenvolvendo em torno daquele tema, promovendo assim debates interculturais e intercientíficos.

20:00 – Projeção de filmes, apresentação de música, dança, e outras manifestações culturais indígenas.

Dia 16 de julho de 2009
8:00 – Mesa Redonda 5 – “O fomento aos pesquisadores indígenas: Pesquisas Indígenas e Pós-Graduação”

10:00- Grupos temáticos – Saberes e fazeres sobre: (continuação)

14:00 – Grupos temáticos – Saberes e fazeres sobre: (continuação e conclusão dos trabalhos)

20:00 – Projeção de filmes, apresentação de música, dança, e outras manifestações culturais indígenas.

Dia 17 de julho de 2009
8:00 – Painel de apresentação do resultado dos grupos temáticos para instituições e organizações.

10:00 – Assembléia Geral e encerramento do Congresso

Para mais informações:

(61) 3224-6685 (CINEP)

(61) 32246538

jo@cinep.org. br

oliveirajo@uol. com.br

Parceria: Museu Nacional do Rio de Janeiro/Laced, Institudo
Internacional de Educação do Brasil – IIEB, Fundação Nacional do Índio
– FUNAI e Ministério da Educação/Secad.

Luiz Tukano e Antonio Kaimbé

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. TENHO ESTUDADO SOBRE A HITÓRIA E A CULTURA DO INDIO BRASILEIRO NA FACULDADE ONDE ESTUDO, E POSSO LHES DIZER QUE, A CADA NOVA DESCOBERTA QUE TENHO FEITO, TENHO FICADO CADA VEZ MAIS SURPREENDIDO COM A REALIDADE ATUAL DO ÍNDIO QUE ATÉ ENTÃO EU DESCONHECIA. FICO FELIZ EM SABER QUE A POPULAÇÃO INDIGINA TEM ENCONTRADO MEIOS DE SE IMPOR DIANTE DA SOCIEDADE, SE ARTICULANDO NO MEIO POLÍTICO, UNIVERSITÁRIO E ABRINDO ESPAÇO NA INTERNET PARA AQUELES QUE QUEREM APRENDER SOBRE SUA CULTURA.

  2. Isso é verdade, acredito que quanto mais ampliarmos nossa aliança, maior vai ser as conquistas dos povos indígenas em geral, pois sabemos que são muitos os desafios. Exemplo de tecnologia, posso citar a filmagem que o Indigen da Raposa Serra do Sol fez, dos arrozeiros atirando nos parentes. Essa filamgem foi um grande chave no Julgamento da Raposa no Supremo. Então podemos afirmar que, os debates nas Universidades (federais-estaduais-particulares), escolas, internet (como esse site, ou grupos de emails)entre outros, são fontes de comunicação importantes nessa caminhada pela conquista dos povos indígenas.

  3. Essa filmagem da truculencia contra os indios de rapossa foi filmada por um indigena que “atraves de um ponto de cultura viva” se armou digitalmente e com sua tradicional coragem encaro a morte para salvar a vida de seus parentes!
    Assi como esse indio que filmou essa cena…Vejo a voce Luiz e outros indigenas como verdadeiros corajosos guerreiros antenados com o mundo e pulsando pelo Planeta! Seus textos neste meio, suas partilhas com os internautas, são de um belo semear de amor que eu agradeço!

  4. Valeu meninos em colocar a matéria.
    É muito importante a divulgação desse evento que vai contribuir muito para os acadêmicos indígenas e seus povos. Eu vou participar!!!

  5. Estou fazendo pós-graduação em História da Brasil, e a minha monografia é sobre a cultura indígena dos Potiguara. Acredito que esse Seminário vai ser simplesmente agradavel pela discussão dos temas que vão ser abordados. estopu ancioso em participar e espero trazer dele muita bagagem para as minhas pesquisas e para minha monografia.

  6. É muito bom compartilhar os nossos conhecimentos com os parentes de diversas etinias e culturas, quero parabenizar a iniciativas dessas entidades por serem parceiras e proporcionarem oportunidades de nós mostrarmos os nossos conhecimentos tradicionais específicos dentro de cada área que nós atuamos. E dizer que esse evento, vem trazer mais força, união, enriquecimento e valorização no nosso movimento.

  7. Os saberes indígenas assistematicamente tiveram garantidos seus espaços no saber fazer de cada povo e cada cultura. Atualmente as universidades vem abrindo as portas para a inserção de estudantes indígenas que com seus saberes consolidam a presença de uma nata intelectual indígena que, sistematicamente vão construindo e valorizando estes saberes dentro da academia . Este Congresso vem de forma qualitativa oportunizar a socialização de diversas experiências para a construção do conhecimento e o fortalecimento das populações indígenas. Parabéns pelo evento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here