Quem vai na frente na sua região? Esse poema é o nosso referencial para que possamos eleger aqui no site:Indios online, os maiores guerreiros de cada povo do Brasil.Espero contar com todos os etnojornalistas da Rede, os mesmos terão a missão de fazer uma matéria premiando seus ilustres guerreiros.

POEMA – VANGUARDA

Luis Osvaldo Santiago Moreira de Souza

Quem vai na frente

Não vê caminho

Cai no buraco

Pisa no espinho

Pés machucados

Olhar dolente

Mãos calejadas

Quem vai na frente

Quem vai na frente

Não vê estrada

Em plena mata

Abre picada

Levanta a terra

Joga a semente

Não colhe flores

Quem vai na frente

Quem vai na frente

Não tem asfalto

Não tem conforto

Só sobressalto

Planta e não colhe

Luta e não vence

Sofre e não cauta

Quem vai na frente

Mas abre estradas

Planta caminhos

Buracos tapa

Arranca espinhos

E deixa as flores

Que sempre faz

Feliz e alegre

Quem vem atrás

Esse poema é uma forma de tentar fazer com que os indígenas da Bahia e do Brasil, reflitam ao deixar de votar ou fazer campanha conta um parente indígena.A militância indígena e os sonhos de luta pela cidadania indígena  estão de luto, pois muitos dos seus guerreios estão seguindo por caminhos já mais pensados para o indígena que se diz “guerreiro” que luta na defesa da causa e que diz ser a  voz de paz e união do seu povo.

Jandair- Tuxá.

jandairribeiro@hotmail.com

(75)91988479.

(75) 88076332.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Lindo poema…e que sirva de reflexão para todos!
    Para fortalecer nossa luta temos que andar de mãos dadas, colaborar no que for possível, fazer a diferença neste país onde tanto sofremos com o preconceito e descaso dos poderes públicos…
    Os verdadeiros guerreiros renascem a cada obstáculo rompido…
    Força parentada!!!!!

  2. É DE TAMANHA TRISTEZA PERCEBER QUE DEPOIS DE 500 ANOS DE MASSACRE, OS POVOS INDÍGENAS AINDA NÃO PERCEBERAM A IMPORTANCIA DE OCUPARMOS TODOS OS AMBITOS DA SOCIEDADE QUE TEMOS DIREITO. A UNIÃO E A CONSCIÊNCIA SÃO PALAVRAS QUE FAZEM FALTA NO MOVIMENTO INDÍGENA.

    LEVO COM MINHA AS PALAVRAS DE LÚCIO XAVANTE (EX-CANDIDATO PELO ESTADO DE SÃO PAULO, QUE TRÁS CONSIGO A DECEPÇÃO PELO RESULTADO DESSA ELEIÇÃO. COMO FOI TAMBÉM O CASO DO NOSSO PARENTE AQUI DA BAHIA SANDRO TUXÁ).

    ABAIXO UM TRECHO DE UM TEXTO DE LÚCIO XAVANTE AOS PARENTES INDÍGENAS:

    “um dia, mesmo que leve mais 500 anos, nossos parentes irão perceber o que significa a ameaça branca aos povos indigenas.

    Além de tudo, aprendi as coisas que nunca tinha visto na minha vida, que sou Corajoso e que tive o Espírito Guerreiro do meu povo xavante, eu não enfrentei somente o preconceito e discriminação do branco, mas a descredibilidade do indígena, que se aliou e votou em um branco ou não indígena, vendendo assim, junto com seu voto, os seus direitos já adquiridos, a sua dignidade, a sua consciência e o que é pior, entregou de Mao beijada ao branco toda uma história de luta de nossos ancestrais, cada sangue derramado há mais de 500 anos de guerra contra a dominação branca foi esquecido no momento de voto.

    Conferindo os votos nos estados, constatamos que não foi diferente com os outros parentes indígenas, Sandro Tuxá, na Bahia atingiu pouco mais de 2500 votos, e quantos eleitores indígenas tem naquele estado? Num estado que lideranças são perseguidas e presas, num estado onde reina o coronelismo, indígenas não votaram em candidato indígena, o único indígena que se candidatou naquele estado e em Roraima, o parente conseguiu nem 10% dos votos dos eleitores indígenas naquele estado e isso foi se repetindo em cada estado e no DF. Será que o DF só tem 45 terenas? Nem os próprios terenas votaram em David.

    Quantos Sepé Tiaraju precisarão morrer? Quantos Aymberê precisarão morrer? Quantos Raiwi’a precisarão morrer? Quantos Marçal Tupã-i precisarão morrer? Quantos Xicão Xucuru precisarão morrer? Quantos Marcos Veron precisarão morrer? Pergunto meus parentes, quantos mais guerreiros e guerreiras de seu povo precisará morrer para que você participe da luta? Quantos mais guerreiros e guerreiras de seu povo precisará morrer para que você enxergue que só unidos venceremos essa guerra? Quantos mais guerreiros e guerreiras de seu povo precisará morrer? Quantos, meus parentes?”

    Lucio Xavante

    A LUTA NÃO PÁRA

  3. Eu votei em Sandro Tuxá, fiz campanha voluntario, mais não vejo que meu parente perdeu a politica, mais que nessa eleição ele plantou a semente em terras perigosas, que se nós indigenas ideologicamente, não fazer nada para defende-lo, ou seja, regar essa semente, será semelhante palha seca que ao pegar fogo quema e mais nunca falamos no assunto.

    Meus parentes vivemos em um país que é “democratico”, que dá a liberdade de escolha, mas muitos ainda não sabem o que isso significa, porém acabam fortalecendo o lado errado da politíca. Sendo assim vejo que meu parente guerreiro foi vitorioso… Foi mais de 2500 votos. Essas pessoas que votaram é porque acredita na esperança de dias melhores para os povos índigenas. por tanto parente aindo somos minoria, a nossa politica é linda e limpa, pois esses eleitores são de qualidade, ou seja, não vendero o seu voto por interesse particular e individualista.

    Mais temos a oportunidade de fortalecer essa raiz que é Sandro Tuxá, e descobrir um nome para também ser candidato deputado estadual e assim continuar essa luta ardua.
    E nosso parente tem dom para isso!
    parabens Sandro Tuxá!

  4. A política, parasse distante nós, povos índigenas, somos tratatos, como segunda
    nação,um povo distante e esquecido.E acha que isso,é só fase?
    se engana, a quantos anos nossos parentes lutam pela demarcaçoes de suas terras?
    a quanto, tempo estamos parados, esperando alguém lembrar, que a tendência da população índigena é aumentar, e não diminuir como previam os estudos.na década de 90, a polulação era de 291 mil habitantes, e segundo o censo do IBGE de 2000, a população chega a 700 mil habitante.Somos muitos hoje, e podemos eleger um candidato, para nós representar, e não esperar por terceiros, podemos ter um de nós lá. O começo pode ser difícil, alías será difícil, mas precisamos acreditar.”A porta desa vez estava aberta e deixamos passar, Carlos Drummond de Andrade”.

  5. so temos que se unir juntos porque somos um povo muito grande devemos encarar as coisas com maior fasilidades poque se não tiver leis a favor de nós devemos criar los não somos um povo fraco somos forte somos intelegentes dedico a minha melhor força ao sandro estou nesse barco amigo conte comigo cidade de santa catarina aldeia água branca.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here