Nos dias 28 e 30 de fevereiro de 2008 aconteceu na cidade de Itabuna a segunda etapa de curso de capacitação para professores da alfabetização do projeto do TOPA (Todos Pela Alfabetização). Este encontro conta com participação dos índios Pataxó Hãhãhãe e Tupinambá de Olivença que sempre esta prestigiando e compartilhando o seu desenvolvimento de ensino na aldeia. Os índios têm o seu método se ensino com uma educação diferenciada demonstrando a realidade de suas historias para sua comunidade de sempre esta preservando a sua cultura. Os índios dizem que a educação e outros meios de comunicação com a internet não altera sua cultura e sim influencia de esta mostrando a sua cultura para o seu povo e toda a sociedade.

Também estes alfabetizadores têm a meta de está dando continuidade ao ensino fornecendo o seu aprendizado aos jovens e adultos dando assim a reintegração de tudo o que aprendeu perante os seus estudos na escola. Porque o objetivo é dá oportunidade para estas pessoas que nunca tiveram a acesso a escola fazendo com que aprendam algo do estudo. Porque no futuro se tornara um cidadão de conhecimento dos seus direitos e lutara pela sua sustentabilidade para sua nação através do estudo.

Yonana Pataxó

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. O conhecimento da própria cultura faz a base para um desenvolvimento seguro, integrado e dá ao índio condição de valorizar suas tradições. Através dessa preparação ele se fortalece, vira dono do seu destino, ganha força para ir atrás dos seus interesses. Muito boa, eu acho, a utilização da internet nessa tarefa de ligar o povo índio ao todo da sociedade. Muita gente se importa, quer participar. Se estiver seguro de quem é, do valor que tem, o índio vai crescer mais, toda vez que der de si mesmo aos outros e enriquecer a humanidade toda.
    Muito importante esse projeto!

  2. Bem, acho valoroso esta busca de conhecimento para o nosso povo. Pois, só com a educação vamos mudar a nossa realidade, porém, não acho que da forma em que a mesma estar sendo realizada, ou seja, por meio do programa TOPA, vá se ressolver os problemas reais da nossa comunidade. Esta tentativa é totalmente equivocada, afinal, sabemos que existem indígenas ganhando dinheiro sem estar realmente fazendo o trabalho de educar, e o que mais me impressiona é que nossa “autoridade maior” esteja envolvida com esta “sujeira” toda. É muito fácil sair por aí mostrando listas com a quantidade de índios, imaginando que estes estão sob o seu controle, esquecendo-se que fomos nós que a colocamos no “poder”, pois, pensávamos que tal “autoridade” fosse lutar pelo nosso povo sofrido, mas, infelizmente o contrário aconteceu, ela tornou-se a cacique exclusivamente da sua própria família. Portanto, para mim, o TOPA, na Aldeia Indígena Tupinambá, é só de faixada. Meus parentes continuam lá, para servir de lista para alguns injustos índios Tupinambá. Enfim, não sou contra o TOPA, contudo, sou terminatemente contrária à “Coordenação” do mesmo na Aldeia!!!

  3. sou um dos alfabetizadores do projeto topa ,acho melhor as pessoas sentar com suas liderança e conversa os problemas da aldeia ao enves de ficar usando, este espaso de ma fè.tenho pouco conhecimento com essa lideranca tupinamba, vi nela força de vontade e sei se todos compera ira melhor.sei que não e facil por que tambem venho encontrando dificuldade criticar e facil mas agir e dificil

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here