O índice de natalidade precoce em pankararu vem aumentando muito nos últimos tempos, de forma assustadora. Existem grande números de meninas, que desde muito cedo já passam a ter responsabilidade de mães, apesar de serem muito jovens.
Nessa situação em que se encontra nossa aldeia, com esse índice alto de natalidade precoce, meninas que são mães antes dos 18 anos, vemos paras essas adolescentes e sua família, um futuro cheio de transtorno, por falta de cuidado, não usa preservativo ou ate mesmo por falta uma boa conversar de pai pra filhos. Por tanto nos vimos no direito de alertar esses jovens, não só de pankararu, mas de todas as aldeias que se informem antes de praticarem atos que venha a lhes trazerem transtornos futuramente.
Os jovens de hoje pode pensar que é apenas uma aventura, mais nem sempre é assim, com a chegada do bebê, a maioria dos jovens se tornam agressivos, totalmente irresponsáveis, talvez pelo fato de se sentirem presos a um compromisso no qual não estavam preparados para assumir.
A natalidade precoce é um dos grandes problemas em Pankararu!
Como combater um problema que vêm de geração após geração? A conversar com os próprios pais, a informação nas entidades responsáveis, seja ela municipal ou federal.
Precisamos alertar cada vez mais nossos jovens e adolescentes pankararu, para que no futuro próximo tenhamos um mundo melhor.

Marilene da silva santos
E-mail: lusilapank@yahoo.com.br

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. olha parabéns pela matéria é muito bom ver que existe pessoas preocupada com esse tipo de problema,até por que sabemos que esse problema está crecendo em nossas comunidades índigenas.Nós queremos que nossa população cresça mas com responsabilidade de nós jovens.

  2. Parabéns Lucila, vc como outras pessoas aqui de Pankararu se preoucupam muito com nossos jovens, e isso é um problema muito sério e ao mesmo tempo tão natural,pois como vc mesmo fala é geração em geração que vemos isso e até hoje não tomarão nem nunha providência sobre tal, comodismo ou falta de enterece?
    Não se sabe!
    Continui sempre assim garota leia materias que possa repassar conhecimentos e passe a essas crianças não basta saber apenas do problema temos que saber de soluções e meios que as despertem!!!

    lian!!!!

  3. A gravidez na adolescência na aldeias indígenas tem sido mesmo um fator de preocupação para os a aldeia e para os profissionais da saúde . Em algumas aldeias, isso acontece por abuso sexual dentro da aldeia mesmo e sedução por parte dos não-índios, e esse assunto nunca é discutido como deveria ser. Em outras aldeias, a população se organizou, elaborou um projeto e encaminhou à FUNASA-Vigisus e conseguiu apoio financeiro para realizar oficinas e distribuir preservativos e material informativo. Mas eu acho que vocês já podem pensar em fazer algo, ai em Pankararu, Solange, Lian podem ajudar, juntamente com os professores da escola ,mas envolvendo a comunidade, uma sugestão é fazer oficinas com a participação de pessoas idosas, pajés, parteiras e profissionais de saúde que irão repassar os conhecimentos sobre o assunto para as jovens, mães, pais, professores e lideranças da comunidade, para conscientizar e prevenir sobre o assunto. Querendo ajuda nesse planejamento é só dizer, podemos fazer isso na oficina de Saúde Tradicional, do Arco Digital que vai recomeçar !!! Estamos juntos!

  4. MArilene:
    Concordo 100% com voces e com as pessoas que comentaram sua materia.

    Faço minha a fala da SW: “Nós queremos que nossa população cresça mas com responsabilidade…”

    Concordo com ANITA…tem que se organizar e começar a cada vez mais CONSCIENTIZAR as pessoas e mudar esse quadro.

    Juntense um grupo de pessoas interessadas e estudem…. QUANTAS PESSOAS NASCEM POR ANO EM PANKARARU? que edade tem as maes? sao casadas? quantas sao as pessoas que reconhecem a NATALIDADE PRECOSE como um descuido….quem sao as pessoas que falam disto, onde, como, da algum resultado…. BORA INVESTIGAR JUNTOS e ASSIM PASSAR a AÇÂO!!!
    sebas

  5. Achei a questão muito importante e muito bem conseguida. No entanto não conheço a realidade em questão. Acho importante ver que pessoas como você se preocupam problemas destes. Parabéns…..Continua

  6. Colega sua matéria foi múito boa,se todos nós nos emportassemos e corressemos atrás de soluções para problemas desta natureza,com certeza viveriamos em um mundo melhor!
    Nossa comunidade precisa de pessoas como você colega!
    Um abraço de Aram

  7. marilene e verdade quando vc fala de gravediz na nossa aldeia esta sendo um caso que vem crescento a cada mesmo por que o gente ver de adolecente nossa comunidade é coisa que não sei como explicar precisamo mas de orientação é por isso que sua materia é foi muito boa que saber não resolver alguma coisa.
    meuripank

  8. parabens pela sua materia que está falando muito sobre gravediz na na sua aldeia ,está sendo um caso que vem,crecinto a cada mesmo , porque vemos adolecento na nossa comunidade tambem ?
    lute pelo seu objetivo para q todos adolecente possa luta pelos os seu objetivos tambem?
    beijos parente?

  9. A gravides precose xta se aumentando cada vez mais, não sei se é so aqui em angola onde isto é frequente
    na verdade eu acho k a k em angola é onde existe maior numero de adolescente e crianças gravidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here