Em 1942 o Chefe Tribal da Aldeia de Colégio, Francisco Queiroz Suíra, pela notícia de existir um órgão indigenista de proteção ao índio, começa a viajar a Pernambuco, para falar com o Padre Alfredo Dâmaso. Este sacerdote fundara um Posto Indígena em Águas Belas-Pe., este conhecimento com os indígenas de Colégio foi através do Cacique Sarapó dos Fulni-ô. O objetivo dessa viagem era para o reconhecimento dos indígenas de Colégio pelo Serviço de Proteção aos Índios- S.P.I.. A Comissão de Índios de Colégio era formado pelos indígenas: Pajé Suíra, Analbertino, Firmino, Manoel Iraminon; junto com os Fulni-ô o Cacique Sarapó e o Pajé Basílio. A Comissão de índios, falaram com o Padre Alfredo,ele afirmou que iria lutar, junto as autoridades Federais do Rio de Janeiro, no sentido de fundar um Posto Indígena. Mas antes teria que enviar a Aldeia de Colégio, um agente do órgão de Proteção para fazer um levantamento na área. O Posto Indígena foi criado em Porto Real do Colégio em 20 de março de 1944, com a denominação de seu fundador e defensor Posto Indígena Padre Alfredo Dâmaso. Com a fundação da sede cria grande expectativa entre os indígenas por melhores dias. Agora com a Proteção do órgão oficial indigenísta, reconhecendo o grupo étnico como Tribo Kariri, um fator fundamental na resistência como povo indígena. O primeiro Chefe de Posto da Aldeia Kariri, foi o Agente do S.P.I. Cícero Cavalcante de Albuquerque, onde fez várias ações: Construiu a sede do posto na esquina da Rua dos Índios,adquiriu a Colônia, resolveu um conflito com a polícia e índios, organizou os índios espalhados na cidade para mora na Rua dos Índios, Construiu a Escola e Enfermaria. Nhenety Kariri-Xocó.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here