Vivendo na aldeia indígena percebemos o verde na frente e atrás das casas, são árvores frutíferas, plantadas na aldeia na época da ocupação dos índios na Sementeira em 1978. De lá para cá muita coisa foi plantada, ao redor das casas, cada unidade familiar tem seu quintal, com água encanada gratuitamente, as plantas são irrigadas diariamente, as árvores frutíferas tem um verde escuro e dão frutos saudáveis orgânicos sem agrotóxicos. Cada quintal em aproximadamente uma tarefa de área, onde são plantados mangueiras, cajueiros, mamoeiros, acerola, goiaba, Curaçá, banana, coqueiro, pinha, jaca, abacate, jenipapo, urucum e muito mais. Essa atividade de fruticultura é muitas vezes um suporte alimentar das famílias, que não tem o que comer, tira uma fruta da época e sacia sua fome. Os quintais são sombreados pelas folhas das árvores, alguns índios armam redes de dormir, outros trabalham em artesanatos aproveitando o amparo do Sol. Em janeiro as mangueira, cajueiros dão seus frutos saborosos, a produção é bastante significativa, nesta época a fruta faz parte do cardápio alimentar do mês, em abril é época das pinhas, goiaba, abacate até maio. A banana tem água no pé dar o tempo todo, o jenipapo dá em maio e junho, lém de dar um bom suco este serve para fazer a pintura corporal da apresentação do Toré. Nhenety Kariri-Xocó.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here