As nossas Nascentes de águas puríssimas e sagradas são motivos de orgulho, e de subsistência em três das nossas aldeias, que são: Brejo dos Padres, Saco dos Barros e Bem Querer. Hoje vive quase que escassa. Considerando que na Aldeia Brejos dos Padres, tinham antes intáctas inúmeras fontes naturais como: riachos, poços, cachoeiras e bicas, que banhavam os nossos roçados, onde podíamos cultivar alguns dos nossos principais alimentos como: a cana de açúcar, a batata doce, a melancias e outros, mas podíamos dizer que nesse tempo era uma fartura, por quer não tínhamos que ir tão longe para plantar, e colher os alimentos.
Antigamente essas fontes, cachoeiras e bicas eram livres e límpidas, que nos foi dada e abençoada por Santsé, nosso Deus supremo, é um lugar de diversas e belas fontes naturais.
Não tendo a consciência dos desgastes ambientais e principalmente dessas águas, construímos em três, das nossas aldeias, varias caixas de águas, acabando assim com as nossas fontes: A bica de Pai Chico, a bica de Mane Quirino, a fontinha, a fonte do posto, a bica de Camila e a que ficaram esquecidas mais hoje algumas que não se acabaram, agora despejam suas águas em menor quantidade.
Assim em pankararu, a falta de conscientização do nosso povo, acaba com as nossas fontes naturais, a nossas águas para beber, tomar banhos e outros usos.

Nossos ancestrais contam muitos mitos, em relação a essas fontes, suas belezas são outras histórias. A bica de Camila é uma das que vive hoje, quem vê se encanta , é a mais bela de todas, índio ou não-índio que a visita não esquece jamais.
Jailton Miguel

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here