Residindo na” Rua dos Índios”, os Kariri-Xocó, participava das festividades da cidade. Na Rua Dr.Clementino do Monte, defronte o Rio São Francisco, fazia esquina com a Rua dos Índios. O velho Juaquim Miguel homem branco de Colégio,casado com a índia Xocó Anorina, organizava a Festa do Pau-de-Sebo, todos os anos, com Banda de Pífanos, no final de janeiro, na referida rua. O Pau-de-Sebo consiste em um mastro de madeira, ensebado, com gordura de boi, asteado com uma bandeira de Bom Jesus dos Navegantes,santo homenagiado. No topo do mastro enfeitado, também colocam-se prêmios em dinheiro e objetos de valor, para aquele pretendente que ousava escalar o poste. O Pau-de-Sebo era muito escorregadio, muitos rapazes se esforçavam muito para subir, sem nada conseguir, a não ser em trabalho por equipe. Os índios participavam da festa, os rapazes formavam grupos, junto com os brancos da cidade, para tentar ganhar o prêmio. Todos que subiam no mastro, ficavam melados de sebo, a Banda de Pífanos e Sabumba animava a festa. Equipes de rapazes, formavam escadas humanas, subindo uns sobre os outros, segurando no Pau-de-Sebo, até pegar o prêmio almejado. Os rapazes mais fortes ficavam na base da escada humana, aqueles mais franzinos formavam a parte superior da escada. A equipe queconseguia retirar o prêmio, dividiam o valor entre seu grupo. A Festa do Pau-de-Sebo terminou de ser praticada na década de 1980, por ocasião da morte do velho Juaquim Miguel, o organizador das manifestações culturais de Porto Real do Colégio. Nhenety Kariri-Xocó.

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here