Neste evento tivemos oficinas onde eu participei da oficina “povo indígena” foi bastante interessante, pois debatemos a respeito do descaso do governo com nosso povo , tivemos a palestra da nosso parente cacique Neguinho Truka falando sobre a demarcação e saúde , tivemos também a palavra de do nosso parente Marcos Sabarú onde relembrou as lutas do nosso povo e como devemos agir em meio a tanto descaso .
Falamos também sobre a estória real do nosso povo onde na época do descobrimento do Brasil vieram 5 mil bandidos e evadiram nossas terras onde existia 10 milhão de índios e hoje á 250 mil indígena .
Falamos sobre a nossa educação dentro da aldeia a questão formação garantida o direito a quem mora ou não nas aldeias, educação essa, estadual e federal.
Terminado as oficinas todos com o pensamento e ação jutos com outros povos presente e percorrendo as ruas da cidade e voltado ao rio assim terminado nosso evento com todos os trabalho encaminhado.

TRANSPOSIÇÃO
Olha gente vamos dezer não a transposição do Rio São Francisco
A água vai se concentrar nas mãos de quem menos precisa.
– Da forma como o projeto de transposição foi colocado, ele atenderá diretamente a apenas 5% da superfície do semi-árido. Nenhuma das barragens da região do Seridó, por exemplo, onde o quadro das secas é mais acentuado no Rio Grande do Norte, receberá as águas da transposição.
– O problema do semi-árido nordestino não é a falta de água nos Estados envolvidos no projeto e sim a má distribuição, que não deixa a água chegar a quem mais precisa. A transposição não resolve isso. Com ela, a água será levada, basicamente, para reservatórios que atendem às áreas urbanas ou às grandes produções irrigadas, e não até as cidades mais remotas, no sertão.

Mayra 19 anos xucuru kariri
Jarassidy 27 anos xucuru kairi

Comentários via Facebook
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here